Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Quinta-feira é dia de Avante!

por josé simões, em 01.03.10

 

 

 

«Juiz espanhol acusa Venezuela de apoiar conspiração da ETA e das FARC»

 

 

 

|| Valiosa iconografia valiosa

por josé simões, em 25.02.10

 

 

 

Há quem tenha a espada de D. Nuno Álvares de Santa Maria, a verdadeira, a “que salvou Portugal”, para venda. Da que “matou” Portugal nunca mais ninguém deu fé:

 

«Completamente desvairado, tendo-se munido da espada de D. Afonso Henriques que mandara pedir a Santa Cruz de Coimbra, e de uma coroa de ouro que devia colocar na cabeça quando se proclamasse imperador de Marrocos»

 

Reza a história que os cavaleiros Templários na sua labuta em espadeirar o “infiel” na Terra Santa, levavam à cabeça um pedaço da cruz onde Cristo tinha sido crucificado. W, outro famoso cruzado, ficou com a “espada” do elo mais fraco como recordação de um dia ter batido à falsa fé em alguém que não era do seu tamanho.

 

Uma organização criminosa de narcotraficantes exibe legitimidade exibindo a espada do libertador das Américas.

 

Nada de novo, e aliás nunca fui grande fã da BD do Príncipe Valente.

 

 

 

Libertem Ingrid, libertem todos os reféns!

por josé simões, em 07.04.08

 

'Libérez Ingrid, libérez tous les otages !'
 
'Liberad a Ingrid!'
 
(Todos os desenvolvimentos, aqui)
 
 

É preciso ter lata!

por josé simões, em 07.03.08

 

Uns benfeitores duma organização humanitária não-governamental, apologistas da não-violência, e que se dedicam ao combate ao cultivo e ao tráfico da droga, tentando por todos os meios que os camponeses convertam o tradicional cultivo da coca, noutro tipo de culturas.
 
Uns voluntários-idealistas, que têm em seu poder há um ror de anos (6), com o seu consentimento e por sua declarada vontade, uma senhora de nome Ingrid Bettencourt (entre outros/as), também por razões humanitárias, uma vez que a referida senhora se encontra em estado de saúde grave, e só ali pode ser convenientemente tratada.
 
Uns democratas que lutam abnegadamente contra uma das mais bárbaras e desumanas ditaduras totalitaristas da América Latina.
 
Pois bem, esses santos-homens e santas-mulheres que – e nunca é demais sublinhar –, no princípio da não-violência, inocente e afincadamente levavam a cabo o seu meritório trabalho no coração da selva; clandestinamente, sem o conhecimento do Governo desse país; foram barbaramente assassinados; de noite e pelas costas (!), sem que ao menos fossem antecipadamente avisados da sorte que lhes estava reservada, de forma a poderem levantar ferro e mudar de lugar!
 
É preciso ter lata!
 
(Na foto, via La Repubblica, um dos elementos dessa organização humanitária, em plena selva, durante um período de descanso)
 
 

Hugo Chávez, as Farc e o narcotráfico

por josé simões, em 04.02.08

 

“Imaginem que a ETA tinham uma escola em Portugal para a formação de bombistas, em campos de treino protegidos pela polícia portuguesa; imaginem que as autoridades portuguesas abasteciam a ETA com armas compradas com dinheiro obtido através da venda de droga, negócio onde as autoridades portuguesas estavam enterradas até a pescoço. Seria um escândalo com uma dimensão inimaginável. É o que está a acontecer neste momento com o governo Venezuelano e com as Farc.” (Tradução livre).
 
“Se Hugo Chavez quisesse, poderia forçar as Farc a libertar Betancourt amanhã pela manhã. Era só dizer: ‘vocês a entregam ou o jogo acabou para vocês na Venezuela’. A dependência das Farc com os venezuelanos é tão grande que eles não poderiam dizer não”
 
No original aqui. Resumo em português aqui.
 
 

As "lutas revolucionárias" do PCP

por josé simões, em 20.09.07
Agora que mais uma Festa do Avante! é passada parece que tudo voltou à normalidade. E a normalidade é a total ausência de pudor – estou indeciso entre “pudor” e “falta de vergonha na cara” – quando se escreve “É a cada povo que compete escolher o seu próprio caminho libertador” para depois meter no mesmo saco e como fosse se tudo a mesma coisa, os movimentos de libertação das ex-colónias portuguesas, a Palestina, Timor e as FARC; classificando estas últimas como “revolucionários colombianos”. “Não há porém «ajuda» que possa resolver os problemas sociais e políticos de um país dominado por uma oligarquia tirânica, encharcado de esquadrões da morte, com milhares de presos políticos, gangrenado pelos cartéis da droga, profundamente injusto e desigual”, lê-se (Negrito meu). Obviamente que as FARC não são para aqui chamadas nestas coisas de «cartéis da droga». Até porque a droga traficada pelas FARC se destina a financiar uma causa justa, de luta contra o imperialismo, mesmo que seja num país com uma democracia parlamentar que até admite um partido comunista nos boletins de voto… A não ser que, como a droga traficada pelas FARC tem como destino o consumo pelos jovens na Europa capitalista e nos Estados Unidos capitalistas e imperialistas, se torne numa actividade comercial aceitável aos olhos do PC… (Ler na íntegra aqui).
 
É sempre salutar ler o Avante! Fiquei por exemplo a saber que há uma «política belicista da chanceler Merkel no Afeganistão onde, de resto, a Alemanha reparte actualmente com os EUA «o aparelho de ocupação no velho estilo colonial». Para o jornal que nos anos da ocupação soviética de Brejnev ignorou sistematicamente o assunto, e passava a batata quente para as mãos do Avante! das massas – O Diário –, onde a invasão do Afeganistão era classificada como ajuda revolucionária a pedido do Governo de um país amigo… (Ler aqui).

Exército de assassinos

por josé simões, em 02.09.07

Os amigos do PC. Sem mais comentários. Via Apdeites.

 

O PCP e os assassinos

por josé simões, em 01.09.07

 

Em constante actualização no Kontratempos.
aqui havia sido questionada a relação entre os 90 anos da Revolução de Outubro e a Defesa da Democracia. Mais uma para o rol.
 
O Der Terrorist associa-se à vaga. Tiago conta connosco; dizemos Presente!
Ler mais aqui.

Autoridade para negociar com terroristas

por josé simões, em 18.06.07

Aquela direita bloguista – e não só – que fez campanha eleitoral em Portugal por Sarkozy, como se depende-se dos votos dos portugueses a sua eleição para o Eliseu; que exultou e rejubilou com a vitória do candidato da UMP, é a mesma direita que não perde uma oportunidade – e verdade seja dita, com razão – de espetar umas farpas no nosso vizinho Zapatero pelas mais que muitas argoladas cometidas, nas cedências que fez, ao aceitar negociar e, por consequência, ficar refém de uma organização terrorista como o é a ETA. Foi, e é, a mesma direita que não perdeu a oportunidade nem o timming para cair em cima de Mário Soares – outra vez com razão – por defender as negociações directas com a Al-Qaeda, como a melhor forma de combater o terrorismo islâmico.

Essa direita Sarkozysta e anti-Zapatero anda alheada e esquecida. Esquecida de que a pedido de Sarkozy, o Presidente da Colômbia Álvaro Uribe libertou aquele que é considerado o ministro dos Negócios Estrangeiros das FARC – Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, umas das organizações terroristas mais sanguinárias da América Latina, com ligações ao narcotráfico. Esta direita sofre agora de amnésia súbita. Foram os primeiros – e mais uma vez, verdade seja dita, com razão – a denunciar a presença das FARC na Festa do Avante!, com pavilhão e tudo. Mas isso foi no tempo aS (antes-de Sarkozy). Ou será que, há quem tenha autoridade política para negociar com os terroristas? Há terroristas com quem vale a pena negociar e outros que nem por isso? Terroristas bons e terroristas maus?