Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| "Assim se vê a força que tem o PC"

por josé simões, em 29.11.15

 

fogo sobre o CDS.jpg

 

Assim mesmo, como se usava, antes de ter perdido o "que tem o" para "do". É o spot promocional que a televisão pública passa em tudo o que é intervalo e separador para depois remeter para o site "A história da extrema-esquerda em Portugal". PCP igual a "extrema-esquerda" no canal público de televisão, repetindo a lengalenga que o pensamento único dominante repete a todas as horas, em todos os espaços de comentário político, em todas as televisões e escamoteando o papel que os comunistas portugueses tiveram na estabilização e consolidação do sistema político, até mesmo como força de contenção à dita extrema-esquerda. E quando a RTP resolver fazer a história da extrema-direita em Portugal abre o spot promocional com imagens do famoso cerco ao congresso do CDS no Porto?


[A imagem é do site]

 

 

|| Os idiotas úteis

por josé simões, em 08.10.13

 

 

 

Luís Amado pertence àquela estirpe de idiotas úteis à extrema-direita, que na Grécia, enquanto viam os bancos a que presidem recapitalizados com o dinheiro dos contribuintes na exacta proporção em que eram aplicadas doses maciças de austeridade sobre a população, vinham para a praça pública com gritos de "Alerta!" e "Perigo!" que o Siryza podia chegar ao governo pela via eleitoral, enquanto, de mansinho e também pela via eleitoral, os fascistas do Aurora Dourada tomavam lugares no Parlamento, infiltravam a polícia e as forças armadas, e enchiam as ruas de "camisas castanhas" e os opositores, os emigrantes, os sem-abrigo, ou simplesmente aqueles que pensam de maneira diferente, de bordoada.

 

"Temos no Parlamento forças revolucionárias de esquerda"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Qual foi a parte que eu não percebi?!

por josé simões, em 24.04.11

 

 

 

 

 

Como os «partidos de “extrema-esquerda”, mais não fizeram do que “colaborar com a direita em relação à queda do Governo”», devemos negociar com os partidos de direita, que mais não fizeram do que colaborar com a extrema-esquerda em relação à queda do Governo...

 

O raciocínio de Ferro Rodrigues só é válido num sentido, o sentido que lhe convém.

 

 

 

 

 

 

 

Da extrema dura

por josé simões, em 13.02.09

 

A extrema-esquerda, isto fazendo recurso da adjectivação com que nos últimos tempos não se têm esquecido de nos assustar lembrar, propôs a «proibição dos despedimentos em empresas que tenham resultados». Parece-me bem. Se as empresas dão lucro é pelo trabalho e esforço dos trabalhadores e é em alturas de crise que os trabalhadores mais precisam das empresas. E não é por uma empresa reduzir a margem de lucro que daí virá grande mal ao mundo à economia.

 

A outra extrema, a direita, propôs que empresas «que recebem «injecções de capital» do Estado dêem garantias de que não despedirão trabalhadores». Parece-me bem. Por todas e mais algumas razões, mas principalmente por ser o dinheiro dos contribuintes que está a ser jogado.

 

Aliás, as duas propostas parecem-me muito semelhantes, e até se complementam, não fora um pormenor: o silêncio ensurdecedor da parte daqueles que foram mais rápidos que a própria sombra a criticar a proposta da “extrema-esquerda”.

 

(Foto SF MOMA)