Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Na fronteira

por josé simões, em 06.08.10

 

 

 

O princípio é o mesmo: a distância daqui até aqui ou aqui é a de enquanto o Diabo esfrega um olho. Déjà vu.

 

(Na imagem Auschwitz Doll)

 

 

 

 

 

 

|| Regresso ao passado

por josé simões, em 28.06.10

 

 

 

Oficialmente, entre Outubro de 1939 e Agosto de 1941, durou na Alemanha de Hitler o programa Aktion T4 cujo objectivo era a «eliminação ou a esterilização de pessoas com deficiências físicas, mentais, doentes incuráveis ou com idade avançada, denominados de "vida que não merecia ser vivida"».

 

Oficialmente, em Junho de 2010, na Alemanha democrática e da União Europeia um estrangeiro pode ver recusada a permissão de trabalho e residência com o argumento de que é muito estúpido.

 

(Imagem)

 

 

 

 

Da Eugenia na Coreia do Norte

por josé simões, em 27.08.08

 

No Independent, um ex-professor de Kim Jon-il, em tradução livre da minha autoria:

 

“(…) o professor Kim descreve como Pyongyang foi "purificada" de todos os residentes  deficientes antes do Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes em 1989, uma exibição projectada para superar as Olimpíadas, que tiveram lugar em Seul no ano anterior. A maior parte das vítimas eram "relojoeiros, gravadores, serralheiros e sapateiros" que desapareceram durante a noite.”

 

Até mesmo para as pessoas de estatura baixa não era seguro, declara o professor Kim.. O governo distribuiu panfletos a milhares de pessoas em Pyongyang onde se dava conta duma maravilhosa droga que iria aumentar a sua altura. Os candidatos foram enviados para longe e para diferentes ilhas desabitadas, numa tentativa para pôr termo aos genes abaixo da média, com o objectivo de impedir uma nova geração. Esquecidos ou mortos, nenhuma das pessoas voltou para casa.

 

Bradley K Martin, o autor de Under the Loving Care of the Fatherly Leader e um repórter veterano em assuntos norte-coreano, diz que é verdade, que impossível encontrar pessoas deficientes em Pyongyang.”

 

(Na íntegra aqui)

 

Adenda: Adivinhem quem teve uma jota representada no Festival de 1989?