Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| "Guião para a Reforma do Estado"

por josé simões, em 21.08.14

 

 

 

«Apesar [de] ter um gabinete jurídico […], em menos de um ano o Ministério da Defesa já contratou quase 500 mil euros de serviços de assessoria externa. […] de acordo com os dados disponibilizados […], desde o início deste ano aquele ministério já celebrou contratos deste tipo que podem vir a chegar ao valor de 493.624 euros.  Sem concurso público, com a maioria dos casos a resultarem de ajuste directo

 

[Na imagem Rivers Cuomo by Chris Buck]

 

 

 

 

 

 

||| Descubra as diferenças

por josé simões, em 26.12.13

 

 

 

 «Como o exemplo deve vir de cima o documento prevê algumas reformas dos ministérios […] uma integração gradual e respeitando especificidades das funções jurídicas e contenciosas dos ministérios, o Estado precisa de se capacitar juridicamente para defender o interesse público e não deve recorrer ao outsourcing, não deve ir buscar fora do Estado a qualidade jurídica para defender o interesse público, pode e deve fazê-lo a partir de uma agregação de departamentos de contencioso e departamentos jurídicos que existem nos vários ministérios, ganhando escala, ganhando recursos»

 

Paulo Portas, 30 de Outubro de 2013, apresentação de "Um Estado melhor – Guião para a Reforma do Estado".

 

 

  «A Direcção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF) contratou o escritório de advogados Morais Leitão, Galvão Teles da Silva e Associados para assessoria jurídica na gestão de contratos swap de empresas públicas. O contrato foi assinado em Setembro, mas só foi divulgado em Dezembro. Têm um valor máximo de 340 mil euros mais IVA, o que totaliza 418 mil euros.

 

Este valor soma-se aos quase 500 mil euros (497 mil euros) do preço de assessoria financeira adjudicada um ano antes à StormHarbour pelo IGCP (Agência para a Gestão do Crédito e da Dívida Pública).»

 

["Sensual Santa" na imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Descubra as diferenças

por josé simões, em 04.11.13

 

 

 

«Como o exemplo deve vir de cima o documento prevê algumas reformas dos ministérios […] uma integração gradual e respeitando especificidades das funções jurídicas e contenciosas dos ministérios, o Estado precisa de se capacitar juridicamente para defender o interesse público e não deve recorrer ao outsourcing, não deve ir buscar fora do Estado a qualidade jurídica para defender o interesse público, pode e deve fazê-lo a partir de uma agregação de departamentos de contencioso e departamentos jurídicos que existem nos vários ministérios, ganhando escala, ganhando recursos» [Apresentação do Guião para a Reforma do Estado, partir do minuto 20:08]

 

 

«Governo bate recorde em gastos com escritórios de advogados.

 

[…] os vários organismos da administração central, local e regional assumiram encargos de 33,3 milhões de euros em 859 contratos de aquisição de serviços externos de consultoria/ assessoria jurídica entre 2011 e 30 de Outubro deste ano.»

 

 

 

 

 

 

|| Dona Chica-ca, assustou-se-se

por josé simões, em 24.11.11

 

 

 

"Afonso Henriques ficaria preocupado" sim, mas com uma das fontes de corrupção da sociedade portuguesa que é a promiscuidade entre o Estado e o poder económico, mediada pelos escritórios de advogados, de onde as Donas Chicas deste país, depois de feito o tirocínio, saem para legislar no Parlamento sem que haja declaração ou conflito de interesses.

 

[Na imagem D. Afonso Henriques, escultura em bronze de Soares dos Reis]