Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Diz não ás dragas!

por josé simões, em 15.11.18

 

dragas.jpg

 

 

Onde é agora o popularmente denominado "Cais da Autoeuropa" era uma praia paralela ao rio com 100 metros de areão e um restaurante. A "civilização" e o "crescimento económico" aos 100 metros paralelos ao rio roubou ainda mais 300 em comprimento. Agora queixam-se todos que o Portinho da Arrábida está a desaparecer e que no lugar do "Monte de Areia" ou "Monte Branco" há hoje um pedregulho e que onde antes havia areia branca e fina estão calhaus escuros e grandes a rebolar ao sabor das ondas.

Não contentes com o desaparecimento da praia da Cachofarra/ Vila Maria e o do Portinho da Arrábida, em prol do desenvolvimento e das exportações e da criação de riqueza, vão agora proceder à dragagem de 6,5 milhões de metros cúbicos de areia do estuário do Sado para possibilitar navegação a navios de grande calado, com o Porto de Sines aqui ao lado à espera das obras na via rápida de "Santa Engrácia", que desde o "marcelismo" nunca mais a ligam a lado nenhum, nem sequer à auto-estrada, e do caminho-de-ferro que havia de ligar à Europa o porto "que se vê do Panamá".

Há coisas que cansa estar sempre a repetir.

 

[Na imagem grafitti numa rua de Setúbal]

 

 

 

 

||| E privatizar também a puta que os pariu a todos?

por josé simões, em 21.06.14

 

 

 

Devido à ausência e, nalguns casos, até à diminuição da biodiversidade prevista no plano de ordenamento, por via da actividade humana… proibida no plano de ordenamento, um grupo privado apresenta um estudo, de iniciativa privada, onde se propõe a entrega de uma parcela do património natural comum… à iniciativa privada, para exploração e ocupação humana… proibida no plano de ordenamento.

 

Plano de ordenamento, falho e falhado, por desleixo, desinteresse, falta de dinheiro, o que seja, por culpa da tutela e das entidades responsáveis por o fazer cumprir e respeitar, ou por dolo, de quem estando à frente da cousa pública tem, por cegueira ideológica, como objectivo último entregá-la a privados com o argumento de que os planos públicos não funcionam e que a iniciativa privada, que é só de alguns, é melhor a gerir e administrar a cousa pública, que é de todos.

 

«EDIA analisa possibilidade de concessionar ilhas de Alqueva a operadores económicos»

 

Recordando José Saramago nos Cadernos de Lanzarote: «Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo... e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| "Só há uma Terra"

por josé simões, em 27.09.13

 

 

 

Era o nome de um programa de televisão, quando o ambiente e a ecologia ainda não estavam na ordem do dia, e que dava uma vez por semana na RTP a preto-e-branco.

 

"Só há uma terra" podia ser o lema, mesmo para os negacionistas que, com uma agenda ideológica escondida, ignoram e recusam que o aquecimento global é uma realidade, com o argumento de que obedece… a uma agenda ideológica! Até porque só há mesmo uma terra.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Every Last Drop

por josé simões, em 13.02.13

 

 

 

[Clicar na imagem e… Scroll Down!]

 

 

 

 

 

 

 

Por um melhor ambiente

por josé simões, em 05.08.08

 

Estava ali a ver uma reportagem sobre o Festival Andanças.

Em nome do ambiente o plástico foi abolido; diziam. Beber cerveja só em caneca.

E estava o pessoal todo lampeiro na esplanada; à roda da cervejola dentro da caneca. Ecologia para aqui, ambiente para ali, e o coiso e tal. Refastelados em cadeiras vermelhas… de plástico; oferecidas pela Super Bock. A fumar umas cigarradas e a apagar as beatas em cinzeiros... de plástico (sem patrocínio).

Preservar o ambiente; dizem.

 

(Foto de Dan Nguyen)