Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| They live

por josé simões, em 10.12.12

 

 

 

"Pronunciamento patriótico" [sic]

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

Muito estranho...

por josé simões, em 17.06.07

As coisas estão, no mínimo, a ficar muito estranhas por aqui. A juntar ao caso DREN; ao presidente da Câmara de Vieira do Minho; e à Associação dos Professores de Matemática, temos também o Presidente da Câmara da Covilhã a insinuar perseguição da parte da Inspecção-Geral da Administração do Território com a publicação de partes de um relatório de uma auditoria efectuada à Câmara, por, e segundo o edil, existir naquele município documentação “preocupante” sobre o caso da licenciatura de Sócrates na Independente. Mais o blogger António Balbino Caldeira, do blogue Do Portugal Profundo, responsável pela denúncia do caso Sócrates / Independente, a ser constituído arguido em inquérito judicial, relativo ao percurso académico do primeiro-ministro. Por outro lado o presidente da CIP vem dizer que a razão do anonimato dos financiadores do estudo Alcochete, é o medo de represálias da parte do Governo, ao nível de futuros concursos, concessões e contratos. As coisas estão, no mínimo, a ficar muito estranhas por aqui. Para não lhes chamar outra coisa. Por enquanto.

Outros Blogues

por josé simões, em 25.04.07

 

O blog Do Portugal Profundo, cujo autor levantou a lebre que acossa o primeiro ministro de Portugal, aliás, por factos que apenas a ele são directamente imputáveis, queixou-se publicamente de suspeitas de vigilância electrónica.

Nem quero crer que haja no Portugal democrático dos dias que correm, alguém com responsabilidades oficiais que à margem da lei, se dedique a actividades de pesquisa online, para colocar offline quem desalinha de quem lhe paga o salário ou assegura a carreira.
Não quero crer porque a emenda , pior do que o soneto, significaria uma sinfonia desconcertante e de prisão à vista. Seguramente e num escândalo sem proporções. Além do mais, o diabo tapa com uma mão e destapa com as duas, como é sabido...
Não quero crer que haja, no Portugal democrático dos dias que correm, algum funcionário zeloso que no afã de agradar ao chefe que o promove, infrinja a legalidade mais estrita, vigiando quem lhe convém, em nome de quem manda e sem mandado de juiz. Passam hoje 33 anos, sobre a data em que isso teoricamente acabou.
Se isso, porém, acontecer e se vier a saber, vai ser o cabo dos trabalhos para justificar o injustificável. E a presunção de inocência, será um mito, para quem vier a saber.
A credibilidade das instituições de segurança, afere-se pelo respeito da legalidade e a dedicação à causa do Estado que não se confunde com o ministro x do governo y ou o directorzinho geral de valor z.
A vontade legítima do poder querer perceber quem está por detrás de imaginárias cabalas, já levou no passado, a casos lastimáveis de suspeitas de vigilância ilegal dos nossos serviços que se dedicam a garantir a estabilidade do Estado de Direito. Os serviços secretos civis ou militares, não servem para este tipo de vigilância, a não ser que sigam a opinião moralizadora de que isto que se passa é uma tentativa de golpe de estado através da imprensa...


Embora o ridículo, nos tempos que passam, não mate ninguém e pelo contrário, até engorde, espera-se ainda assim que sobreleve às tentanções, para bem de todos e principalmente deles mesmos, o bom senso que deriva da lei. Só isso, chega.

 

Via Grande Loja do Queijo Limiano (só a ilustração é minha)

http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/