Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| "E a bem da sanidade da discussão política"

por josé simões, em 24.03.15

 

 

 

 

 

 

||| Aquela sensação de quando o chão nos foge debaixo dos pés

por josé simões, em 29.04.14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando no Frente-a-Frente do Jornal das 9 na SIC Notícias, moderado por Ana Lourenço, Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, avivava a memória de Diogo Feio, do CDS-PP, sobre as linhas vermelhas que não podiam ser pisadas, quanto mais ultrapassadas, e o irrevogável, com lugar cativo no anedotário nacional, de Paulo Portas. Não há vice-escudeiro, por mais leal que seja, que resista a tanta trampolinice e pantomina.

 

 

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 11.02.14

 

 

 

«Isso não vai criar uma justiça a duas velocidades? Uma para cidadãos estrangeiros, outra para…

 

Não, não, haverá uma justiça para grandes investimentos [enfatizado com um grande gesto de braço e mão] e se calhar uma justiça um pouco mais lenta mas até pode ser que haja uma boa contaminação para investimentos mais pequenos» [A partir do minuto 02:28]

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 10.03.09

 

Diogo Feio, deputado do CDS/ PP, no frente-a-frente com Saldanha Sanches na SIC N referindo-se à maior incidência do desemprego em determinados distritos do país disse: «Por exemplo, no distrito de Espinho, que foi o distrito onde decorreu o congresso do PS, o desemprego é xis por cento»

 

Por que cargas de água é que o congresso do PS aparece como ponto de referência ao indicador de desemprego. A demagogia não tem limites?

 

(Imagem de Mark Johnson)

 

Adenda - o comentáro de Pedro Vieira: «giro, giro é ele ter criado o distrito de Espinho»

 

Palavras para quê? É um artista português...