Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Racismo de costas largas

por josé simões, em 10.01.19

 

JES Ladrao.jpg

 

 

Diz a filha mais nova que encontra em Portugal muito preconceito, que é, na novilíngua, a palavra equivalente a racismo. Entrou num shopping [e só uma angolana vir a Portugal e a referência ser o entrar num shopping só por si ser todo um programa] e eram os africanos que estavam a servir à mesa, que estavam nas cozinhas, algumas mulheres a dobrar roupa nas lojas. E foi ao almoço, tivesse ido de madrugada e via os africanos a varrer e lavar o chão, a limpar as casas de banho. Podia ter dito que chega a Portugal e vê Anselmo Ralph júri de um concurso líder no prime time da televisão generalista, que vê Matias Damásio encher festivais de Verão, ambos, Anselmo e Matias, no top of the pops, a vender em Portugal mais do que vendem em Angola, mais pop stars aqui do que lá, mas não disse. Disse antes que quando chega a Angola e vai para o shopping os portugueses que vê são donos das lojas, são os membros do conselho de administração e pergunta, em jeito de lamento, a razão para que quando se vai a África e se vê um português, em qualquer situação ele está numa situação de vantagem, ou de igualdade na pior das hipóteses, e quando se vem a Portugal e se vê um africano ele está sempre numa posição de desvantagem. E com isto disse tudo sobre os 38 anos da cleptocracia e do regime corrupto do senhor seu pai, e de que ela é directa e dilecta benifeciária, de uma elite multimilionária e em ponte aérea para as as compras nas lojas de luxo da Avenida da Liberdade na antiga capital do império, contra o investimento zero em saúde e educação, contra o investiomento zero em habitação en segurança social, muito abaixo dos idos do colonialismo, que ainda assim formou os líderes dos movimentos de libertação. A menos que a filha mais nova pensasse que só por ser angolano, ex-colónia, PALOP, país irmão, a mesma língua, blah-blah-blah, sem formação lhe dava direito a cargo em administração de empresa, responsável por shopping, director de banco e não mais que empregado de limpeza ou pedreiro em obra alimentada por mão-de-obra clandestina.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Infelizmente o Álvaro tem razão

por josé simões, em 07.01.19

 

irmaos-metralha.jpg

 

 

Políticas irresponsáveis, a corrupção e o compadrio entre a política e os privados levaram-nos à bancarrota e ao colapso dos bancos. Assim, o combate à corrupção devia ser a prioridade absoluta para os partidos. Porém, os partidos continuam a assobiar para o lado. Porque será?

 

 

Entre 2007 e 2017 as ajudas públicas aos bancos totalizaram 24 mil milhões de euros. Sabendo que, em parte, este esforço se deveu a fraudes financeiras, como é que podemos aceitar a impunidade vigente? Porque é que ainda ninguém foi preso? Quando é que alguém é responsabilizado?

 

 

 

 

O maneta de ferro

por josé simões, em 17.05.18

 

master_of_the_flying_guillotine.jpg

 

 

Luís Filpe Vieira estava a par de tudo, desde Setembro de 2017, data do início das suspeições dos e-mails, dos vouchers, das toupeiras, do caralho, e data em que o campeonato nacional de futebol 2017/ 2018 nunca devia ter iniciado até ficar tudo em pratos limpos. Bruno de Carvalho não sabia de nada, o braço direito do presidente do Sporting era maneta.

 

[Imagem em português]

 

 

 

 

O Nuno Luz da política

por josé simões, em 02.05.18

 

nunoluz.jpg

 

 

De Durão Barroso a António Costa passando por Santana Lopes, José Sócrates e Passos Coelho. Realmente é uma chatice não ser Manuel Pinho o mau da fita nem o PS o partido detentor da comenda dos corruptos e corrompidos do sistema. O Nuno Luz da política, um palerma arvorado em sub-director de político ou o coise.

 

 

 

 

Sócrates acusado

por josé simões, em 14.10.17

 

 

 

Escrevem os jornais, todos, e dizem as televisões, todas, que o Ministério Público quer que o Sócras seja impedido de exercer cargos públicos durante 5 anos "depois" de condenado. Não é "se", é "depois".

 

[Vídeo]

 

 

 

 

O dia em que caiu por terra a teoria do amigo do Sócras

por josé simões, em 02.03.17

 

Rin Tin Tin.bmp

 

 

Procurador suspeito de corrupção emprestou dez mil euros ao juiz Carlos Alexandre

 

"o juiz aludiu à forma bem vestida como o amigo se apresentava, ao facto de ter comprado um carro novo e de o filho se encontrar a estudar nos Estados Unidos como motivação para ter aceite o empréstimo que ele lhe oferecera". Há aqui um padrão, o senhor doutor, o senhor banqueiro, bom aspecto, boas roupas, bom trato, posição social, a palavra do cavalheiro que vale mais que papel assinado, respeitinho é muito bonito, primus inter pares, Salazar 50 anos depois, o triunfo da forma sobre o conteúdo, Pavlov's Dog.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

||| Ora vamos lá fazer primeiras páginas e abrir telejornais com o PS e o seu líder

por josé simões, em 12.05.16

 

 

 

O título:
"Arguidos de Vistos Gold vão todos a julgamento, Miguel Macedo incluído"


Se fosse um Governo PS:
"Corrupção no Governo de __________  [nome do líder] vai a julgamento"


O título:
"O ex-ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, vai responder em tribunal pelos crimes de prevaricação e tráfico de influência"


Se fosse um Governo PS:
"Mais um general de __________ [nome do líder] a contas com a Justiça"


O título:
"Miguel Macedo diz que já estava conformado com ida a julgamento"


Se fosse um Governo PS:
"Começa julgamento de nº 2 de __________ [nome do líder] e antigo líder da bancada do PS"


E juntavam-se aspectos da governação da pessoa em causa do ponto de vista ideológico, misturando tudo, com um subtexto "PS = corruptos".


E no entanto ninguém pergunta a Passos Coelho, em entrevistas sucessivas ao longo de semanas, o que pensa de Miguel Macedo, se ainda são amigos e se o foi visitar.


[Roubado ao Pedro e imagem]

 

 

 

 

||| É isto, não é?

por josé simões, em 16.03.16

 

Redenção de Cam.jpg

 

 

Lula da Silva não é corrupto. Não há corruptos no Partido dos Trabalhadores. Dilma Rousseff não pactua com a corrupção. É tudo uma conspiração de brancos, habituados a pretos como serviçais, ricos e ressabiados com a diminuição das desigualdades e do fosso entre ricos e pobres no Brasil da era PT, ansiosos pelo regresso da miséria e do chicote, o dia da desforra. A luta de classes a sul do equador. É isto que querem que se veja nesta fotografia, não é?


No país da miscigenação. Por amor da Santa...


[Na imagem A Redenção de Cam]

 

 

 

 

||| Pattern recognition

por josé simões, em 04.03.16

 

pattern-recognition.jpg

 

 

José Veiga está proibido de contactar Miguel Relvas e Sérgio Monteiro.
Manuel Damásio está proibido de contactar Miguel Relvas e Sérgio Monteiro.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Entretanto no Twitter

por josé simões, em 02.03.16

 

twitter duarte marques.png

 

 

O deputado do partido de António 'homem da mala' Preto e dos militantes a viverem em camaratas, sabe-se lá em que condições de higiene e salubridade, na Rua dos Pescadores em Esmoriz, assim de repetente e para não ser maçudo com assuntos massudos, que quis linchar, alcatrão e penas, Pacheco Pereira por "delito de opinião" [print screen "por causa das moscas"]: "há tipos que são mais tolerantes com a corrupção do que com o livre pensamento".


Podemos ir todos de fim-de-semana...


[Conta Twitter do deputado Duarte Marques]

 

 

 

 

||| O caso do procurador detido é um escândalo de proporções incalculáveis

por josé simões, em 26.02.16

 

joana marques vidal.jpg

 

 

"O caso reveste-se ainda de contornos mais preocupantes quando se sabe que em 2012 a actual procuradora-geral, Joana Marques Vidal, impediu, com um voto contra, que o Conselho Superior do Ministério Público inquirisse o procurador Orlando Figueira sobre a entidade para quem estava a trabalhar. Não se sabe porque razão a procuradora-geral impediu que o procurador Figueira fosse inquirido."


[Imagem]

 

 

 

 

||| Mudança de paradigma

por josé simões, em 25.02.16

 

Rui Machete.jpg

 

 

O ministro dos negócios Estrangeiros não apresentou um pedido público de desculpas...


[Imagem]

 

 

 

 

||| «Ninguém ousa chamar os bandidos pelos nomes»

por josé simões, em 19.07.15

 

Bobby Becker.jpg

 

 

«Em causa negociatas, tentativas de branqueamento e enriquecimento ilícito e figuras públicas, políticos, estruturas partidárias, altos funcionários do Estado e firmas privadas. É esta a índole dos envolvidos. São Pedro da Cova, crime ambiental, corrupção, branqueamento, fraude fiscal e tráfico de influências que já duram há quase 20 anos. Crimes que continuam por investigar. Cavaco Silva, Durão Barroso, Valentim Loureiro, Nuno Melo, Assunção Cristas e Marco António Costa são as personalidades que, directa ou indirectamente, estão ligadas a esta sucessão de acontecimentos.


O processo-crime para apurar estas suspeitas foi arquivado»


[Imagem]

 

 

 

 

||| O crime que deveria tirar o sono a Blatter

por josé simões, em 03.06.15

 

footballfans__qatar_2022.jpg

 

 

«O jornal americano The Washington Post fala nos 150 milhões de dólares do escândalo da FIFA que levaram, ontem, à demissão de Sepp Blatter. Mas fala também num número mais modesto e que é o que aqui me traz. Entretanto, deixem-me lembrar algumas balizas, para ajuizarmos: mortos nas obras dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008: seis; no Mundial de Futebol da África do Sul, 2010: dois; nos JO de Londres, 2012: um; no Mundial do Brasil, 2014: dez. Assim, desde 2008, nos dois maiores acontecimentos desportivos, Mundial de Futebol e JO, em países tão diversos - e da Ásia, África, Europa e América -, a diferença vai de um a dez mortos. Um morto é sempre uma tragédia, nunca é uma estatística, disse um dos maiores assassinos da história, José Estaline. Mas em obras tão grandes e longas a diferença tão curta, de um morto (Londres) a dez (Brasil), é quase irrelevante e pode ser explicada por acidentes. Quer dizer, consequência do acaso. Portanto, não previsível por quem decidiu a escolha daqueles lugares... Acabo, agora, as balizas para ajuizarmos o que se segue. Passo ao tal número do The Washington Post. Mais modesto e bem mais tremendo. Mortos nas obras, desde que o Qatar foi escolhido, em 2010, para realizar o Mundial de 2022: 1200. Leram bem, mil e duzentos. E ainda faltam sete anos de obras, mas fiquemos pelos já mortos. 1200. Um número destes não é acidente. Não é imprevisível. E atacam Blatter pelo mero roubo de 150 milhões...»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 31.05.15

 

Der Spiegel.jpg

 

 

A capa do Der Spiegel