Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Dia de reflexão

por josé simões, em 03.10.15

 

paula bobone livro.jpg

 

 

Ver Cavaco Silva a falar aos portugueses ladeado pela bandeira nacional com os cotovelos em cima da mesa. Mau aspecto.


[A imagem e o livro são meus]

 

 

 

 

||| Começar o ano com insultos

por josé simões, em 01.01.15

 

dedos.jpg

 

 

O Presidente que suporta um Governo que tem Paulo Portas como ministro a alertar os cidadãos para os perigos do populismo. De gravata à Barça, sentado ao lado de uma secretária enfeitada com uma moldura com duas das pessoas que mais lucraram com as acções da Sociedade Lusa de Negócios não cotada em bolsa, a avisar para a transparência na vida política e nos políticos, permutas de casas e pagamentos de sisas à parte. Cavaco Silva a ler no teleponto, colocado ao nível do cinto das calças do telespectador, as promessas não cumpridas pelos políticos, como "cumprir e fazer cumprir a Constituição da República" garantir "a unidade do Estado" e "o regular funcionamento das instituições democráticas". Cavaco Silva e o combate à corrupção, que é uma obrigação de todos, sem sequer ter visitado, nos dias da prisão, os amigos e os camaradas de partido e os ex-secretários de Estado e os ex-ministros por si inventados.


E ainda faltam 365 longos e penosos dias até ao dia da abalada de Cavaco Silva e a questão que se coloca é se o dinheiro ganho pela RTP com a transmissão dos jogos da Liga dos Campeões compensa o dinheiro perdido pela RTP com o afundamento das audiências e a perda de receitas publicitárias por causa das comunicações de Cavaco Silva ao país.


[Imagem]

 

 

 

 

|| Acabou a estratégia do medo

por josé simões, em 22.07.13

 

 

 

Palavra do senhor

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Morreu o Portas, viva o Portas [blah-blah-blah]

por josé simões, em 21.07.13

 

Apresentei uma la the die a solução mas os partidos não quiseram uma la the die a solução que nos faria crescer crescer crescer crescer crescer muito porque os cortes de quatro vírgula sete mil milhões de euros não são recessivos se tiverem a assinatura do PS e a dívida passava logo a ser pagável blah-blah-blah e a solução que propus é a que indubitavelmente melhor serve o superior interesse nacional blah-blah-blah porque sou muito bom e vocês não percebem nada de uma maioria um Governo um Presidente e uma oposição blah-blah-blah porque na Europa em países média dimensão como o nosso os acordos partidários têm um leque alargado e uma maioria não é um leque alargado e eu não tenho nada a ver com 2 anos de governação de uma maioria a ignorar e a menosprezar o maior partido da oposição e todos os outros e toda a gente que ainda não saiu do país blah-blah-blah e Portugal não consegue sair do circulo vicioso e os meus 20 anos na política também não têm nada a ver nem são para aqui chamados porque eu não sou político blah-blah-blah e como o compromisso de salvação da direita não funcionou vou empossar o Governo da direita mesmo por conta deles temos pena e já não há eleições em 2014 blah-blah-bla e o Governo da direita vai apresentar uma moção de confiança no Parlamento blah-blah-blah não é a mim que compete dizer isto mas também não é o Governo que apresenta mas os partidos da maioria mas isso também são pormenores porque vai tudo dar ao mesmo porque não há diferença nenhuma e até estão muito unidos blah-blah-blah e o diálogo foi uma coisa bonita e havemos de repetir mais vezes e souberam-me estes 20 dias de fantochada e o break na ilha a bem do superior interesse nacional blah-blah-blah tenho dito.

 

 

 

 

 

 

|| Com um desenho fica mais bonito

por josé simões, em 11.07.13

 

 

|| O interesse nacional

por josé simões, em 10.07.13

 

 

 

Os portugueses e os partidos políticos são uns inconscientes e uns irresponsáveis porque entendem que deve haver eleições e se houver eleições os sacrifícios dos portugueses terão sido em vão porque os sacrifícios dos portugueses têm sido coroados de glória com este Governo glorioso e os sucessivos e gloriosos desvios e metas falhadas e só se pode dissolver o Parlamento quando houver dinheiro para eleições e como já sei o resultado das eleições não as vou convocar porque daí não virá estabilidade antes pelo contrário e como tal suspendo temporariamente a democracia porque eu é que sou o presidente da junta e os portugueses deviam votar no PSD no PS e no CDS e o PCP e o Bloco de Esquerda que passem à clandestinidade até Junho de 2014 porque não estão aqui a fazer nada e só estorvam e se os partidos sérios não se entenderem e não formarem uma União Nacional e uma Câmara Corporativa até lá problema deles e da sua irresponsabilidade e da sua falta de sentido de Estado que eu encontro uma personalidade de prestígio pena o Dias Loureiro para tratar das avaliações da troika e dos compromissos internacionais e da imagem externa de Portugal.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Wishful thinking

por josé simões, em 04.06.11

 

 

 

irá ter a responsabilidade de governar Portugal nos próximos quatro anos

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

 

 

 

 

A Rainha de Inglaterra (II)

por josé simões, em 01.01.09

 

O Orçamento de Estado foi promulgado. O diploma sobre a avaliação e desempenho de professores foi promulgado. Parece que o Presidente Cavaco Silva falou há bocado ao país. Também parece que 2009 "vai ser um ano muito difícil", e outros lugares-comuns assim, todos os anos repetidos, desde o ano em que "o outro" se lembrou dizer que tinha acabado o tempo das vacas gordas.Tudo fica bem quando acaba bem.

 

É difícil ser oposição PêPêDê em Portugal.

 

(Foto roubada na Time Magazine)