Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Da (a)normalidade democrática

por josé simões, em 19.06.19

 

 

 

O nível intelectual, e o respeito pela figura de deputado e pela instituição Assembleia da República, de um deputado eleito que numa comissão parlamentar de inquérito se entretêm a filmar o inquirido enquanto faz gifs para o Twitter com piadolas pontuadas por smiles ":-)".

 

Vitor Constâncio está novamente na Comissão de Inquérito à CGD para prestar depoimento. Começou pela teoria da "cabala", cartilha que já conhecemos de outros momentos. Hoje começou literalmente aos papéis :)

 

Duarte Filipe Batista de Matos Marques deputado eleito do PSD pelo círculo eleitoral de Santarém no Twitter.

 

 

 

 

"É tudo um putedo"

por josé simões, em 28.05.19

 

trapezista (4).jpg

 

 

Passam uns quantos cheques sem cobertura e têm o nome escarrapachado no sítio do Banco de Portugal e impresso em papel atrás do balcão de todas as lojas do país.

Atrasam-se num pagamento, qualquer que seja o motivo, que o Fisco só vê números de contribuinte não vê corações, e ficam com o nome em exposição no online das Finanças.

Injectamos 23,8 mil milhões na banca nos últimos 12 anos e a lista dos ladrões é "segredo de Estado", não autorizada a consulta pelo escudeiro dos banqueiros, em flagrante desrespeito pelos representantes eleitos pelas vítimas do roubo em eleições livres e democráticas, e que ainda se dão ao luxo de pagar com o dinheiro dos seus impostos o principesco salário a quem, no Banco de Portugal, devia ter por princípio último zelar pelos supremo interesse dos contribuinte e não por fechar os olhos ao fartar vilanagem dos banqueiros.

 

Como diria o malogrado "camarada" Arnaldo Matos, "é tudo um putedo".

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Gotham

por josé simões, em 12.05.19

 

António Cotrim-Lusa.jpg

 

 

Gotham

 

 

[Imagem de António Cotrim/ Lusa]

 

 

 

 

Voltando ao início...

por josé simões, em 26.10.18

 

 

 

A 9 de Setembro, no encerramento da Universidade de Verão do PSD, Rui Rio pedia celeridade, schnell, schnell, na investigação ao "roubo" de Tancos e dizia que não dizia tudo o que queria dizer e que sabia. Duas semanas passadas, a 25 de Setembro, depois das armas "encontradas" e do "gamanço" deslindado, Rui Rio aparece a dizer que aconteceu tudo exactamente como ele sabia que ia acontecer, que se regressou à normalidade e que folgava por saber que quer a Polícia Judiciária quer o Ministério Público tinham actuado e que tudo está bem quando acaba bem e adiante que se faz tarde.

 

Agora, que parece que vai haver Comissão Parlamentar de Inquérito ao affair Tancos, o líder do PSD vai continuar a dizer que já sabia o que sabia e que não podia dizer e que acabou como sabia que ia acabar ou também vai ser chamado a depor?

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 06.05.18

 

circus.jpg

 

 

Rui Rio ao pedir a presença de Manuel Pinho no Parlamento criou um problema ao Bloco de Esquerda [Porquê? Isso agora não interessa nada]. O Bloco de Esquerda que, acossado pelo problema criado por Rui Rio, ensaiou a fuga em frente ao pedir uma comissão parlamentar de inquérito às rendas da energia [as pessoas, burras, ignorantes, acéfalas, não percebem nada de rendas de energia mas ouvem falar e acham que está mal e por isso aplaudem a iniciativa do Bloco de Esquerda]. Rendas de energia que começaram com Durão Barroso e Santana Lopes e se prolongaram até hoje, daí a iniciativa do Bloco de Esquerda, de forma a envolver toda a gente e a entalar o PSD. Eu, ele, não acredito nas comissões parlamentares de inquérito mas se esta servir para esclarecer alguma coisa então está bem. Resumidamente Marques Mendes na avença semanal na televisão do militante n.º 1.

 

Perceberam como é que isto começou, o Bloco de Esquerda entalado por Rui Rio?

 

[Imagem]

 

 

 

 

#Sad

por josé simões, em 24.03.17

 

cross hell.jpg

 

 

Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal, finge não saber que já ninguém lhe tem respeito, nem mesmo aqueles que o reconduziram no cargo.

 

Parafraseando, Your organization's terrible. Sad.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Por falar em "claustrofobia democrática"

por josé simões, em 25.02.17

 

nazi-donald-duck-reading-mein-kampf.jpg

 

 

Corria o Ano da Graça de 2014 quando no dia 1 de Outubro a direita, a maioria de direita, deu por encerrada a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigava o negócio dos submarinos porque a maioria dispunha do poder de aceitar ou não as propostas da oposição - a minoria, a esquerda, as "esquerdas unidas" como diria Assunção Cristas. Escreveu na altura o jornal Público que "Nunca se esteve tão perto de perceber o destino final da comissão de 30 milhões de euros pagos pelos alemães à Escom e que levantou suspeitas". As suspeitas que linkavam [de link] para o CDS e para Paulo Portas e para as offshore, que voltaram à ribalta por via de um ex-secretário de Estado do CDS, do CDS de Paulo Portas, de Paulo Portas dos submarinos, dos submarinos das comissões, das comissões que a maioria de direita PSD/ CDS se recusou saber o destino final em Comissão Parlamentar de Inquérito Mas isso foi no tempo da maioria boa, a maioria de direita, o tempo em que o ar democrático era puro e respirável, sem asfixias e claustrofobias, sem a necessidade do líder do CDS pedir audiências ao Presidente da República.

 

 

 

 

 

Isto está a pedir é uma Comissão Parlamentar de Inquérito ao acidente de Camarate

por josé simões, em 20.02.17

 

1.jpg

 

2.jpg

 

3.jpg

 

4.jpg

 

 

[Via Twitter]

 

 

 

 

Sitcom PSD

por josé simões, em 15.06.16

 

cheers.jpg

 

 

O PSD quer uma comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos para apurar o que aconteceu durante os quatro anos de Governo PSD – apologista da privatização do banco, a meias com o CDS, e em que o banco do Estado, descapitalizado, sem acesso a crédito nos anos da troika, por ser o maior banco nacional mais exposto à destruição da economia, às falências e ao desemprego, não conseguiu pagar as divídas ao accionista Estado nem limpar dos balanços empréstimos duvidosos - concedidos com a aprovação de nomeados pelo PSD e CDS, ao mesmo tempo que se sujeitava às regras europeias, rigídas com o dinheiro do contribuinte em bancos do Estado, liberais e mãos largas com o dinheiro do contribuinte em bancos privados.


O PSD requereu uma audição urgente do diretor-geral da ADSE no Parlamento para esclarecer o pagamento indevido de 29,7 milhões de euros à Região Autónoma da Madeira - de Governo PSD, por um Governo PSD a meias com o CDS, vulgo maquilhar as contas.


"Não estraguem, por favor, não estraguem!"


[Imagem]

 

 

 

 

||| Granada de fumo

por josé simões, em 05.05.16

 

granada de fumo.jpg

 

 

Se o militante do Partido Socialista Vítor Constâncio fosse inteligente percebia que está a ser usado como granada de fumo para esconder Maria Luís Albuquerque, Passos Coelho, Paulo Portas e cinco anos de maioria PSD/ CDS, enquanto as tropas adversárias, numa manobra de diversão e de intoxicação da opinião pública, atacam o Governo do PS suportado pela esquerda no Parlamento. Mas isso era se o militante do Partido Socialista Vítor Constâncio fosse inteligente.


[Imagem]

 

 

 

 

||| E que nome é que se dá a esta gentinha?

por josé simões, em 25.03.15

 

lacoste.jpg

 

 

Ontem a culpa tinha sido do e-mail, mal redigido ou não redigido conforme as normas, que é como quem diz do desgraçado que o escreveu e que agora não tem como provar quem o ditou.
Hoje foi por lapso que a resolução não constou no comunicado, emitido no final de um Conselho de Ministros que decorreu sem a presença do primeiro-ministro, da ministra das Finanças e com o vice-primeiro-ministro a sair da sala antes da aprovação da medida.


E que nome é que se dá a esta gentinha?


[Imagem]

 

 

 

 

||| Resumo da jornada

por josé simões, em 26.02.15

 

Greg Schmigel thisisntfuckingparis 1969.jpg

 

 

"Não sei". "Ainda bem que me faz essa pergunta". "Desconheço". "Agradeço o ter-me feito essa pergunta". "Não lhe sei responder". "Não sei". "Muito bem". "Não lhe sei responder". "Não sei". "Muito bem". "Não lhe sei responder". "Estou aqui para colaborar". "Não sei".


Zeinal Bava, o melhor CEO do mundo e arredores, era o melhor CEO do mundo e arredores por não saber nada de nada, numa empresa aparentemente gerida pelas secretárias e pessoal administrativo diverso, que trabalharam em equipa para lhe proporcionar uma medalha do Dia da Raça, atribuída, sem saber porquê, por um Presidente da República que não sabe o que é que o melhor CEO do mundo e arredores fazia na empresa sem saber nada de nada.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Rewind/ Fast Forward buttons

por josé simões, em 30.01.15

 

Can I Get A Witness 2014.png

 

 

«Cavaco Silva afirmou que o "Banco de Portugal tem sido peremptório, categórico, a afirmar que os portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo (BES)".


O Presidente da República justificou que os portugueses podem confiar no BES "dado que as folgas de capital são mais do que suficientes para cobrir a exposição que o banco tem à parte não financeira, mesmo na situação mais adversa"»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Comichões

por josé simões, em 20.01.15

 

The Shepherd's Realm by Andrew Fladeboe.jpg

 

 

Dos deputados que saltitavam alegremente entre a sede do banco na Avenida da Liberdade, em Lisboa, e a o ex-Mosteiro de S. Bento da Saúde, actual casa da democracia, sem a urticária da incompatibilidade e impedimento, e que nunca ninguém percebia se era o fulano do PSD, o sicrano do BES, ou os dois em um que falavam, até às comichões na sala da comissão parlamentar de inquérito ao banco, vai um grande avanço.


«Sala da comissão do BES provoca urticária a deputados do PSD»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Eu não queria ter um filho banqueiro ou industrial ou matarruano

por josé simões, em 12.12.14

 

 

 

Passam todos pela catwalk da filha-da-putice que é esta Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso Banco Espírito Santo e todos dizem "treuze", "tamém", "runião", "piquenos", e "há liaz" não sabem que "perca" é um peixe, pessébe?! e todos os senhores deputados são todos "sô-tôres" ou "sô-toras". Eu não queria ter um filho banqueiro ou industrial ou matarruano.


[Imagem de autor desconhecido]