Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A mesma luta

por josé simões, em 02.01.19

 

Got a lighter.jpg

 

 

Ontem Jair Bolsonaro fez um discurso de tomada de posse que podia muito bem ter sido dito por Procissão Cristas ou pela next big thing do CDS, em banho-maria para a sucessão, Adolfo Mesquita Nunes: Deus, Pátria, Autoridade, Família, exactamente por esta ordem.

 

Hoje o líder da jota do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, escreve uma carta ao Papa a pedir audiência para dar conta do empenho da organização na defesa dos valores cristãos e a rejeitar "cultura da morte" [sic] e "ideologia de género".

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Percebem onde eles querem chegar?

por josé simões, em 26.12.18

 

jordanna kalman.jpg

 

 

De todas as vezes que o CDS refere o Serviço Nacional de Saúde [SNS] trata-o por Sistema Nacional de Saúde [SNS], por exemplo, Pedro Mota Soares, no vídeo a partir do minuto 01:01.

 

Percebem a diferença? Percebem onde eles querem chegar?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 23.12.18

 

stephan schmitz.jpg

 

 

Procissão Cristas em acção de propaganda por associação que acude as vítimas do desemprego e das políticas de cortar salários, pensões e apoios sociais duante os quase 5 anos em que foi ministra do Governo da troika.

 

"Líder do CDS-PP aproveitou a quadra natalícia para lembrar que é um trabalho que ainda tem que ser feito o ano inteiro."

 

Cristas distribuiu comida com a Refood

 

[Imagem]

 

 

 

 

Libertem o tunning!

por josé simões, em 21.12.18

 

manif coletes (1).jpg

 

 

Uma manif de palermas inventada pelas televisões, com directos intermináveis, dois jornalistas por manifestante, drones com câmaras de filmar, cavalgada pela direita populista do CDS antes que os fascistas do PNR, ou outros dissidentes do sentido de Estado PSD/ CDS, que perderam definitivamente a vergonha, se cheguem à frente e ocupem o lugar, é "o povo na rua farto do socialismo", segundo a direita radical de plantão nas redes.

Uma avenida cheia de gente, desde o Marquês ao Rossio, enquadrados pela CGTP, com um caderno reivindicativo definido e propostas concretas, merece meio minuto no telejornal a seguir ao intervalo e é só funcionários públicos, manhosos, sem nada que fazer, dispensados pelas câmaras municipais e juntas de freguesia, que não perdem o dia de trabalho e só atrapalham a vida aqueles que querem fazer o país andar para a frente.

 

A comunicação social anda a brincar com coisas sérias, um dia mais tarde também vai levar por tabela.

 

[Imagem encontrada no Twitter]

 

 

 

 

Rewind

por josé simões, em 19.12.18

 

portas-correio-da-manha.jpeg

 

 

Portas sustentou que o PCP e a CGTP usaram os trabalhadores da Função Pública para prejudicar os do sector privado numa paralisação que "apenas atingiu uma minoria do sector público". A greve "dita geral" foi feita pelos funcionários públicos. Mas o novo Código Laboral não se lhes aplica, lembrou Portas. Uma curiosidade apontada pelo líder do CDS-PP para provar o insucesso da iniciativa da intersindical, cuja actuação classificou de "sindicalismo irresponsável", uma vez que, ao recusarem a nova legislação que valoriza o mérito, estão a criar obstáculos "à criação de riqueza e emprego".

 

 

 

 

"Sou neto de um antigo deputado da União Nacional"

por josé simões, em 04.12.18

 

AolfoMesquitaNunesTwitter.png

 

 

Enxofrou-se Adolfo Mesquita Nunes no Twitter com o vídeo do Luís Vargas, a ganhar nas redes a visibilidade que o nicho de mercado que são os frente-a-frente na SIC Notícias não dão aos intervenientes, principalmente quando desmontam a imagem que Adolfo Mesquita Nunes, laboriosa e pacientemente, anda a construir para se alçar à liderança do CDS num pós Cristas [já João Galamba, poucos dias antes de deixar o programa para ocupar a secretaria de Estado, com uma observação aparentemente inócua o havia tirado do sério e feito levantar a voz a falar por cima de toda a gente]. O CDS não é o partido herdeiro do fascismo, é só o partido dos netos do fascismo que invocam a sua condição de herdeiros para discursar no Congresso perante o aplauso da assembleia.

 

 

 

 

Pray for CDS

por josé simões, em 03.12.18

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

CDS alerta que situação do pais "é pior que no tempo da troika"

por josé simões, em 30.11.18

 

 

 

O risco de pobreza reduziu-se para 17,3% - 2018

 

[Título do post]

 

 

 

 

A direita radical PSD/ CDS e o camarada Otelo Saraiva Bolsonaro

por josé simões, em 31.10.18

 

Fidel-Otelo-Cuba.jpg

 

 

Bolsonaro quer fazer à Folha de S. Paulo o que Chávez e Maduro fizeram aos jornais críticos do regime. Da boca da direita radical PSD/ CDS, sempre tão preocupada com a democracia e a liberdade de expressão na Venezuela, não se ouve nem um pio.

Não só não se ouve nem um pio e fica registado que, depois de décadas a atirar Otelo e o Campo Pequeno à cara da esquerda, radical ou não, o empenho posto pela direita radical PSD/ CDS em defesa do fascista Bolsonaro que diz, para quem o quer ouvir, que vai metralhar os adversários políticos.

Se agora desatarmos todos, radicais de esquerda ou não, a lamentar que o erro do Otelo foi não ter passado das palavras aos actos, como o fascista Bolsonaro, apoiado pela direita radical PSD/ CDS, diz que o erro da ditadura foi torturar em vez de matar, a esquerda é anti-democrática e indigna de respeito. É isto, não é?

 

[Imagem]

 

 

 

 

O CDS, esse partido albergue de grandes democratas

por josé simões, em 25.10.18

 

 

 

O dia em que Procissão Cristas nos diz que dava a vitória a um fascista no Brasil, um fascista da estirpe filho da puta à face da terra, que defende a tortura, assassinar adversários políticos, que as mulheres são seres inferiores, que se deve usar a violência contra os gays, que os pobres devem ser esterilizados, e que a polícia deve atirar a matar e não ser responsabilizada por isso, é o dia em que o Cónego Melo aparece em defesa dos polícias que no Estado de direito recorrem a métodos defendidos pelo fascista eleito por Procissão Cristas caso votasse no Brasil. Registe-se o CDS, esse partido albergue de grandes democratas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 09.10.18

 

Verbatra.jpg

 

 

Fernando Negrão, líder, de jure, da bancada parlamentar do PSD, o partido que suportou o Governo que celebrou protocolo com a McDonald’s, à saída da audiência com o ministro das Finanças, a propósito do Orçamento do Estado para 2019, queixar-se da fraca qualidade do emprego criado pelo Governo da 'Geringonça'.

 

O CDS, de Assunção Cristas, a ministra que assim que tomou posse nomeou liquidador-mor da Parque Expo, gordura do Estado, John Antunes, membro da comissão de honra da sua candidatura por Leiria, que não só não liquidou a Parque Expo como lhe aumentou a gordura a despesa com a adjudicação de serviços à empresa de advogados de Nobre Guedes, do CDS, e de Mota Soares, do CDS e ministro celebrante de protocolos com a Parque Expo de John Antunes; o CDS, de Assunção Cristas e Mota Soares, do Governo da criação de emprego para mais de uma dezena de nomeações saídas em Diário da República dois dias após as eleições, todos do Ministério da Defesa Nacional do PSD, de José Pedro Aguiar-Branco, para cargos criados apenas 4 dias antes das eleições legislativas de 5 de Outubro em plena campanha eleitoral; "o CDS quer explicações do Governo na AR sobre escolha de deputado do PS para ERSE".

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Partido do Vómito

por josé simões, em 31.08.18

 

vómito (1).jpeg

 

 

Fazer campanha eleitoral com a desgraça e a miséria de compatriotas e seus descendentes.

 

O CDS apresentou um plano, que quer discutir e aprovar na Assembleia da República, para resgatar os portugueses e lusodescendentes que vivem na Venezuela de Nicolás Maduro, a atravessar uma crise profunda. Os centristas querem criar uma “ponte aérea, garantindo sem custos o regresso dos portugueses ou lusodescendentes que queiram vir para Portugal“, embora esse dinheiro possa ser devolvido ao Estado em 3 a 5 anos, caso haja capacidade financeira desses “retornados”. Além disso, o CDS exige que os regressados da Venezuela tenham “no mínimo” o mesmo tratamento que o primeiro-ministro propôs para emigrantes que saíram no período da crise: desconto de 50% no IRS.

 

 

 

 

No comboio descendente

por josé simões, em 21.08.18

 

gelado.jpg

 

 

É assim que as coisas funcionam: primeiro nomeamos [nomeiam] um militante [Manuel Queiró] administrador duma empresa pública que, por inação ou por aplicação do princípio "muita parra e pouca uva" ou "muito barulho para nada", leva à gradual degradação e desvalorização da empresa, depois é alegar que os privados fariam melhor que o Estado e meter o contribuinte a pagar a privatização da empresa. Saiu-lhes as contas furadas, com o PCP e o Bloco a forçarem o Governo da 'Geringonça' e, no comboio descendente, já não vir ninguém à gargalhada.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Noções elementares de xenofobia

por josé simões, em 08.07.18

 

wasted rita.jpg

 

 

Somos favoráveis a uma política muito responsável em matéria de imigração. Temos um perfil demográfico assustador e temos dados concretos que não correspondem ao desejo dos portugueses. Os estudos mostram que os portugueses gostariam de ter mais filhos, achamos que temos de ter políticas de natalidade e de apoio às famílias e continuaremos a apresentar estas medidas. Agora, também não gostamos daquela visão que diz que como não temos filhos vamos abrir portas à imigração porque essa é a solução. Isso é instrumentalizar as pessoas e isso não é a nossa visão.

 

O que Assunção Cristas nos diz, mais ponto menos vírgula, é "nasceu em Portugal não é português", não basta nascer em Portugal para se ser português [apesar de ser filho de imigrante, que trabalha, produz riqueza, e paga impostos em Portugal. Mas isso são outros quinhentos].

 

Voltamos ao início da entrevista: "Nasceu em Luanda cinco meses e três dias depois do 25 de Abril de 1974. Casada, tem quatro filhos, é católica praticante [...]. Nascida fora do rectângulo, uma branca de segunda, como eram denominados pelo Estado Novo do "doutor Salazar, como se usa dizer no CDS, os descendentes dos colonos, em Angola obrigados a sentar-se atrás dos brancos de primeira nas escolas e nos transportes, chega a ministra da Nação. O resto, o catolicismo praticante, deixamos à "doutrina social da igreja".

 

[Imagem]

 

 

 

 

Os cúmplices

por josé simões, em 22.06.18

 

 

 

Já não digo a manada, anónima, mais ou menos conhecida ou ilustre, mais rápida que a própria sombra, no Twitter e no Facebook, sempre que toca a Cuba e/ ou Venezuela, mas os "democratas", euro deputados eleitos na lista conjunta, Paulo Rangel e Nuno Melo, cada um com avença mensal em jornais de tiragem nacional [Público e Jornal de Notícias] e a entrarem-nos diariamente casa dentro pelos ecrãs de televisão, com este último [Nuno Melo] constantemente em modo "cão raivoso" e a destilar ódio contra toda a esquerda, a começar logo na que está à direita do PS, já vieram condenar o partido do camarada Viktor Orbán, ou lado de quem se sentam na bancada do Partido Popular Europeu [PPE]?