Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A direita radical PSD/ CDS e o camarada Otelo Saraiva Bolsonaro

por josé simões, em 31.10.18

 

Fidel-Otelo-Cuba.jpg

 

 

Bolsonaro quer fazer à Folha de S. Paulo o que Chávez e Maduro fizeram aos jornais críticos do regime. Da boca da direita radical PSD/ CDS, sempre tão preocupada com a democracia e a liberdade de expressão na Venezuela, não se ouve nem um pio.

Não só não se ouve nem um pio e fica registado que, depois de décadas a atirar Otelo e o Campo Pequeno à cara da esquerda, radical ou não, o empenho posto pela direita radical PSD/ CDS em defesa do fascista Bolsonaro que diz, para quem o quer ouvir, que vai metralhar os adversários políticos.

Se agora desatarmos todos, radicais de esquerda ou não, a lamentar que o erro do Otelo foi não ter passado das palavras aos actos, como o fascista Bolsonaro, apoiado pela direita radical PSD/ CDS, diz que o erro da ditadura foi torturar em vez de matar, a esquerda é anti-democrática e indigna de respeito. É isto, não é?

 

[Imagem]

 

 

 

 

O CDS, esse partido albergue de grandes democratas

por josé simões, em 25.10.18

 

 

 

O dia em que Procissão Cristas nos diz que dava a vitória a um fascista no Brasil, um fascista da estirpe filho da puta à face da terra, que defende a tortura, assassinar adversários políticos, que as mulheres são seres inferiores, que se deve usar a violência contra os gays, que os pobres devem ser esterilizados, e que a polícia deve atirar a matar e não ser responsabilizada por isso, é o dia em que o Cónego Melo aparece em defesa dos polícias que no Estado de direito recorrem a métodos defendidos pelo fascista eleito por Procissão Cristas caso votasse no Brasil. Registe-se o CDS, esse partido albergue de grandes democratas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 09.10.18

 

Verbatra.jpg

 

 

Fernando Negrão, líder, de jure, da bancada parlamentar do PSD, o partido que suportou o Governo que celebrou protocolo com a McDonald’s, à saída da audiência com o ministro das Finanças, a propósito do Orçamento do Estado para 2019, queixar-se da fraca qualidade do emprego criado pelo Governo da 'Geringonça'.

 

O CDS, de Assunção Cristas, a ministra que assim que tomou posse nomeou liquidador-mor da Parque Expo, gordura do Estado, John Antunes, membro da comissão de honra da sua candidatura por Leiria, que não só não liquidou a Parque Expo como lhe aumentou a gordura a despesa com a adjudicação de serviços à empresa de advogados de Nobre Guedes, do CDS, e de Mota Soares, do CDS e ministro celebrante de protocolos com a Parque Expo de John Antunes; o CDS, de Assunção Cristas e Mota Soares, do Governo da criação de emprego para mais de uma dezena de nomeações saídas em Diário da República dois dias após as eleições, todos do Ministério da Defesa Nacional do PSD, de José Pedro Aguiar-Branco, para cargos criados apenas 4 dias antes das eleições legislativas de 5 de Outubro em plena campanha eleitoral; "o CDS quer explicações do Governo na AR sobre escolha de deputado do PS para ERSE".

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Partido do Vómito

por josé simões, em 31.08.18

 

vómito (1).jpeg

 

 

Fazer campanha eleitoral com a desgraça e a miséria de compatriotas e seus descendentes.

 

O CDS apresentou um plano, que quer discutir e aprovar na Assembleia da República, para resgatar os portugueses e lusodescendentes que vivem na Venezuela de Nicolás Maduro, a atravessar uma crise profunda. Os centristas querem criar uma “ponte aérea, garantindo sem custos o regresso dos portugueses ou lusodescendentes que queiram vir para Portugal“, embora esse dinheiro possa ser devolvido ao Estado em 3 a 5 anos, caso haja capacidade financeira desses “retornados”. Além disso, o CDS exige que os regressados da Venezuela tenham “no mínimo” o mesmo tratamento que o primeiro-ministro propôs para emigrantes que saíram no período da crise: desconto de 50% no IRS.

 

 

 

 

No comboio descendente

por josé simões, em 21.08.18

 

gelado.jpg

 

 

É assim que as coisas funcionam: primeiro nomeamos [nomeiam] um militante [Manuel Queiró] administrador duma empresa pública que, por inação ou por aplicação do princípio "muita parra e pouca uva" ou "muito barulho para nada", leva à gradual degradação e desvalorização da empresa, depois é alegar que os privados fariam melhor que o Estado e meter o contribuinte a pagar a privatização da empresa. Saiu-lhes as contas furadas, com o PCP e o Bloco a forçarem o Governo da 'Geringonça' e, no comboio descendente, já não vir ninguém à gargalhada.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Noções elementares de xenofobia

por josé simões, em 08.07.18

 

wasted rita.jpg

 

 

Somos favoráveis a uma política muito responsável em matéria de imigração. Temos um perfil demográfico assustador e temos dados concretos que não correspondem ao desejo dos portugueses. Os estudos mostram que os portugueses gostariam de ter mais filhos, achamos que temos de ter políticas de natalidade e de apoio às famílias e continuaremos a apresentar estas medidas. Agora, também não gostamos daquela visão que diz que como não temos filhos vamos abrir portas à imigração porque essa é a solução. Isso é instrumentalizar as pessoas e isso não é a nossa visão.

 

O que Assunção Cristas nos diz, mais ponto menos vírgula, é "nasceu em Portugal não é português", não basta nascer em Portugal para se ser português [apesar de ser filho de imigrante, que trabalha, produz riqueza, e paga impostos em Portugal. Mas isso são outros quinhentos].

 

Voltamos ao início da entrevista: "Nasceu em Luanda cinco meses e três dias depois do 25 de Abril de 1974. Casada, tem quatro filhos, é católica praticante [...]. Nascida fora do rectângulo, uma branca de segunda, como eram denominados pelo Estado Novo do "doutor Salazar, como se usa dizer no CDS, os descendentes dos colonos, em Angola obrigados a sentar-se atrás dos brancos de primeira nas escolas e nos transportes, chega a ministra da Nação. O resto, o catolicismo praticante, deixamos à "doutrina social da igreja".

 

[Imagem]

 

 

 

 

Os cúmplices

por josé simões, em 22.06.18

 

 

 

Já não digo a manada, anónima, mais ou menos conhecida ou ilustre, mais rápida que a própria sombra, no Twitter e no Facebook, sempre que toca a Cuba e/ ou Venezuela, mas os "democratas", euro deputados eleitos na lista conjunta, Paulo Rangel e Nuno Melo, cada um com avença mensal em jornais de tiragem nacional [Público e Jornal de Notícias] e a entrarem-nos diariamente casa dentro pelos ecrãs de televisão, com este último [Nuno Melo] constantemente em modo "cão raivoso" e a destilar ódio contra toda a esquerda, a começar logo na que está à direita do PS, já vieram condenar o partido do camarada Viktor Orbán, ou lado de quem se sentam na bancada do Partido Popular Europeu [PPE]?

 

 

 

 

Plasticina

por josé simões, em 05.06.18

 

plasticine model joana ullan vieira.jpg

 

 

Andámos anos a ouvir a direita no poder, e às vezes também o PS, a acusar a Fenprof, os sindicatos, os professores, o comissário Mário Nogueira, a mando da CGTP, a mando do PCP, de irresponsabilidade pela marcação de greves por alturas das provas de avaliação e exames. Hoje ouvimos todos a direita na oposição, pela boca de Assunção Cristas do CDS, no debate quinzenal no Parlamento acusar o ministro da Educação de irresponsabilidade por, com a sua intransigência em não ceder às reivindicações dos sindicatos, pôr em causa a avaliação dos alunos no final do ano lectivo. E isto é a chamada espinha dorsal de plasticina.

 

[Imagem]

 

 

 

 

No shit?!

por josé simões, em 11.05.18

 

eutanasia.jpg

 

 

"A eutanásia mata". Somos todos burros?

 

[Campanha contra a morte assistida pelo CDS-PP de Almada]

 

 

 

 

Agit-prop

por josé simões, em 25.03.18

 

cristas almeida ávila.jpg

 

 

Diz a direita radical que o Governo andou um sábado inteiro em acção de agitação e propaganda pelo país. Até cronometraram o tempo do primeiro-ministro ao segundo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Um post deliberada e provocatoriamente politicamente incorrecto

por josé simões, em 13.03.18

 

 

 

Na entrevista que o palerma Bernardo Ferrão, arvorado a homenzinho, foi autorizado fazer à "rã que quer ser boi" [copyright Jerónimo de Sousa] a cada 5 minutos ouvia-se da boca de Assunção Cristas as palavrinhas mágicas "Adolfo Mesquita Nunes". A ambição polítca de Adolfo Mesquita Nunes justifica que se sujeite ao "somos um partido retrógrado, quase a roçar o fascista, mas até somos tolerantes e muito open mind e até temos um gay de estimação assumido"?

 

 

 

 

"Centro-direita", dizem eles

por josé simões, em 12.03.18

 

União_Nacional_Flag_.jpg

 

 

A páginas tantas, um senhor, que trata toda a gente por tu no partido do doutor como tratamento institucionalizado, em sua defesa e como estatuto, invocada a sua qualidade de neto de um deputado da União Nacional, da ditadura fascista das chapeladas nas eleições e das oposições encarceradas e torturadas pela polícia polítca, perantre o aplauso de restantes congressistas na sala. Um partido do "centro-direita", dizem eles.

 

[Vídeo e imagem]

 

 

 

 

O interior da sem-vergonhice

por josé simões, em 11.03.18

 

snoopy.jpg

 

 

A páginas tantas, no calor do discurso da sem-vergonhice da recuperação e revitalização do interior, chegámos a temer ouvir Assunção 'a santinha' Cristas dizer "e, como prova da boa fé desta ideia e para dar o exemplo, vou mudar-me, com a família, para o interior, para um daqueles sítios sem tribunal, sem escola, sem posto de saúde e sem hospital, que mandei encerrar quando era mimistra do Governo da direita radical".

 

[Na imagem o ícone dos betos da Juventude Centrista nos 80s em tudo o que era t-shirt]

 

 

 

 

"Forbes distingue líder da JP como jovem promissor"

por josé simões, em 19.02.18

 

anonimo.jpg

 

 

"A Forbes distingiu há um mês as portuguesas Lara Vidreiro e Filipa Neto como duas das 30 jovens sub-30 “mais brilhantes” da Europa, no ranking anual “30 Under 30”, mas o negócio de aluguer de vestidos de luxo que ambas lançaram em 2014 — e pelo qual foram distinguidas pela publicação norte-americana — não funciona. O aluguer de vestidos está sempre “indisponível”, o número de telefone da marca está desligado há semanas, a empresa aparenta não ter colaboradores, não se sabe onde é o espaço físico da marca e as empreendedoras estão desde o final do ano a trabalhar noutras empresas."

 

"Mais: em 2016, as vendas da empresa totalizaram 278.162 euros, mas os prejuízos ascendiam a mais de um milhão de euros. No final desse ano, a empresa estava em falência técnica, com um capital próprio negativo de 28.155 euros."

 

O líder da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos, foi considerado pela revista Forbes como um dos 30 jovens mais brilhantes, inovadores e influentes da Europa, com menos de 30 anos, na categoria Direito & Política

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

É preciso coragem, dizem

por josé simões, em 11.02.18

 

 

 

Adolfo Mesquita Nunes, que sempre teve boa timeline de esquerda, da esquerda urbana-chic do amiguismo lisboeta [oficialmente por causa do bom gosto, do bem vestir e da simpatia open mind], lança a escada na tentativa de criar uma vaga de fundo exterior que lhe permita aspirar a liderança do partido conservador, e por vezes até reaccionário, mas que perante a possibilidade de chegar ao pote do poder renegue os princípios em que acredita e que defende. E assim vão as coisas, quando a ideologia passa para plano secundário perante a orientação sexual, a identidade e o género. É preciso coragem, dizem.

 

[Imagem]