Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Os subversivos

por josé simões, em 14.11.08

 

 

Para vos ser sincero também me faz alguma confusão poder alguém ser condenado em tribunal por pintar numa parede «8.º congresso da JCP. Transformar o sonho em vida. 20 e 21 de Maio. Vila Nova de Gaia».

 

Mas foi em tribunal (não plenário) e com advogado de defesa.

E não fica por aqui, porque vai haver «recurso da decisão, "até à última instância"» e se preciso for «até ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, "por violação da Convenção Europeia dos Direitos do Homem que garante um direito fundamental que é o direito à liberdade de expressão"»; Odete Santos dixit.

É o Estado de Direito a funcionar, e ainda bem que assim é. E disponibilizo-me desde já para, se preciso for, comparecer em tribunal como testemunha abonatória.

 

Depois quase que fico à beira das lágrimas pelos quase-mártires pós-Revolução de Abril: bora-lá-pintar-um-mural-com-as-efiges-da-Catarina-e-do-Luís! escrito no órgão oficial do Partido. Aquele mesmo que faz a apologia da China e de Cuba e do Vietnam, quais paraísos na terra, de e para os trabalhadores, e já nem me quero lembrar do Laos e da Coreia do Norte a tal que é uma República Democrática e Popular, e das saudades do País dos Sovietes. E fico assim a pensar: esta treta não é verdade só pode ser a gozar, porque, primeiro nem há um partido da oposição para fazer um congresso na terra dos Menezes lá dos respectivos sítios, e depois desgraçado daquele que for apanhado a passar o pincel na parede. A menos que aquilo seja mesmo um paraíso e ninguém tem necessidade de organizar partidos da oposição, e muito menos de rabiscar paredes municipais, e o pessoal até anda todo descalço porque no chão não há espinhos. Nunca se sabe…

 

Numa coisa a “camaradaAnabela Fino tem razão, e com licença, com uma correcção minha: sorte a deles «quando ensaiaram os primeiros passos, quando balbuciaram as primeiras palavras, quando escreveram as primeiras letras, quando começaram a sonhar o futuro» ter sido aqui e não ali. Se fosse na China a família ainda tinha de pagar a bala. As taxas de IVA sobre ser “subversivo” variam muito consoante os lugares.

 

(E já que a posta é sobre garffitagem, fui roubar a imagem ao blogue lusitano com o maior acervo das ditas pinturas)