Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Como diria o “outro”: “Prosélito é a tua tia, pá!”

por josé simões, em 17.06.10

 

 

 

O “inteligente” (consultar dicionário de tauromaquia) Carlos Santos que, no espaço de um ano, passou do Bloco de Esquerda para a Direita católica com um curto estágio nas hostes Socráticas, chama-me “prosélito”. Eu, que sempre professei a mesma “religião” e que nem sequer sou “baptizado” (com e sem comas).

 

Para a próxima, e quando se quiser meter com alguém, escolha alguém do seu tamanho e, antes de se meter a caminho, consulte um dicionário da língua portuguesa ou, na falta dele, abra uma página no Google, digite “prosélito” e vá à página da Wikipédia, que é for free. E depois, na volta, compre um espelho, e nem é preciso gastar muito dinheiro, qualquer loja “do chinês” vende isso ao preço do proselitismo.

 

 

 

 

|| Award

por josé simões, em 21.09.09

 

 

 

O Carlos Santos, do blogue O Valor das Ideias, distinguiu aqui a casa com um título no mínimo asfixiante: "Vale a Pena Ficar de Olho Nesse Blogue!", de seu nome. Hummm, “ficar de olho”… adiante, agradeço a asfixiante distinção e vou asfixiar outros. E os meus asfixiados são:

 

Activismo de Sofá

Água Lisa

Blogoperatório

Entre as Brumas da Memória

Esquerda Republicana

Mátria Minha

Vento Sueste

 

 

 

|| Award

por josé simões, em 21.06.09

 

 

 

“O selo deste prémio foi criado a pensar nos blogs que demonstram talento, seja nas artes, nas letras, nas ciências, na poesia ou em qualquer outra área e que, com isso, enriquecem a blogosfera e a vida dos seus leitores."

 

Sobre o significado de LEMNISCATA:

 

“curva geométrica com a forma semelhante à de um 8; lugar geométrico dos pontos tais que o produto das distâncias a dois pontos fixos é constante.”

Lemniscato: ornado de fitas Do grego Lemniskos, do latim, Lemniscu: fita que pendia das coroas de louro destinadas aos vencedores
(In Dicionário da Língua Portuguesa, Porto Editora)

 

Acrescento que o símbolo do infinito é um 8 deitado, em tudo semelhante a esta fita, que não tem interior nem exterior, tal como no anel de Möbius, que se percorre infinitamente.

 

Texto da editora de “Pérola da Cultura”

 

Serve este parlapier, para dizer que o Carlos Santos do blog O Valor das Ideias achou que aqui o estaminé era um digno merecedor do prémio. E se bem o pensou melhor o atribuiu, e deixemo-nos de merdas e venha de lá ele que isto de prémios é coisa que deixa um gajo todo inchado, mais que não seja porque há alguém que passa por aqui e lê e gosta do que lê.

 

E ala que a conversa já vai longa e ainda há que seguir as regras que são elas laurear  7 dignos merecedores:

 

Albergue dos Danados

Almocreve das Petas

Caminhos da Memória

Jugular

Ku Frontalidadi

Sobre o Tempo que Passa

A Terceira Noite

 

 

 

Do acompanhamento psicológico ao ladrão

por josé simões, em 02.11.08

 

Carlos Santos, de cognome “o diabo de Gaia” ao minuto 19 dum Benfica-Porto entrou em campo e deu um “calduço” no fiscal de linha porque «não tinha gostado que o árbitro não tivesse assinalado alguns foras de jogo» (Expresso, só assinantes). Por sua vez José Ramalho, o árbitro “calduçiado”, está a ter acompanhamento psicológico, porque «na rua, começou a ser gozado e ameaçado de levar mais “calduços”. Sem conseguir aguentar a pressão, tornou-se irritadiço, teve pesadelos e deixou de arbitrar jogos».

 

Um árbitro qualquer, num jogo de futebol qualquer entre duas equipas quaisquer, assinala um fora-de-jogo inexistente com a consequente anulação de um golo legal. Por via disso a equipa deixa de ganhar 3 pontos (era para escrever a equipa é roubada em), e, no fim da época, o campeonato escapasse-lhe por… uma diferença de 3 pontos. A equipa não tem entrada directa na Liga dos Campeões, sujeita-se a uma pré-eliminatória de onde sai eliminada e deixa de ganhar uns milhões de euros. O árbitro continua a fazer a sua vidinha, sai à rua, ri-se a bandeiras despregadas e dorme no sono dos anjos.

 

(Foto de Gianni Berengo Gardin)