Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Afinal havia outra

por josé simões, em 26.11.17

 

 

 

Depois de 2 - dois - 2 anos passados a ouvir a direita radical com o "encapotado aumento de impostos", que "a austeridade não acabou" e o "ataque à classe média.

 

Só 7 países da Europa baixaram a carga fiscal. Portugal foi um deles

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| "O país está melhor"

por josé simões, em 14.04.15

 

tecla.jpg

 

 

Em contrapartida baixámos o IRC, mas não foi o suficiente porque ainda é preciso baixar a Taxa Social Única para as empresas [descapitalizar a Segurança Social não são danos colaterias destas "bombas inteligentes"], a EDP continua a receber as rendas da ordem e os bancos os apoios devidos, as PPP's rodoviárias são renegociadas de modo a que o concessionário poupe nas obras de reparação e manutenção e que o ministro faça um figurão na televisão perante uma plateia de jornalistas acéfalos e amorfos, e as subvenções pagas pelo Estado estão bem e recomendam-se. Isto assim de repente.


«Segundo um estudo divulgado esta terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Portugal foi um dos países onde os impostos sobre os rendimentos do trabalho mais subiram em quatro anos


Carga fiscal sobre o trabalho disparou em Portugal»


[Imagem]

 

 

 

 

|| Outra maneira de dar a notícia

por josé simões, em 04.06.13

 

 

 

Dê graças, e rejubile, por o Governo Pedro Passos Coelho/ Paulo Portas não ter conseguido destruir o seu emprego, o que lhe permitiu pagar impostos até ao dia de hoje.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Da incompetência

por josé simões, em 11.05.12

 

 

 

E continua a brincar com as palavras como forma de mascarar a incompetência. A sua e a dos que o rodeiam.

 

"Estamos com a maior carga fiscal de que há memória em Portugal. O nível é insuportável. Por isso, é imperativo cumprir os objectivos"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Por cento a por cento

por josé simões, em 21.07.11

 

 

 

15% nos transportes, x% ali, y% acolá, n% acoli, mais o abono de família que se deixou de receber, a comparticipação nos medicamentos que deixou de existir, a taxa moderadora que aumentou, and so one.  No final, feitas as conta, vai-se ver que não só ficou sem 100% do 13º mês como sem o subsídio de férias na totalidade. E não chega.

 

(Imagem “A man and a woman walking with a porter on the platform next to a railroad passenger car at the train station”, Stanley Kubrick’s Chicago, 1949)

 

 

 

 

 

|| Nobel da Economia

por josé simões, em 12.05.10

 

 

 

 

Aumentem-se os impostos para controlar o défice.