Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Mas isso sou eu que vejo política em tudo, claro

por josé simões, em 27.11.14

 

alentejo.jpg

 

 

Justiça poética é o Cante ser declarado património da humanidade precisamente no dia em que morre quem mais ignorou o Alentejo, as suas gentes, a sua cultura e as suas tradições. Mas isso sou eu que vejo política em tudo, claro.

 

 

 

 

||| O mundo é um sítio pequeno e as pessoas não são postes, estáticos, espetados no chão

por josé simões, em 27.11.14

 

 

 

e muito antes da lengalenga neoliberal da mobilidade e do incentivo à mobilidade;
e porque as coisas acontecem porque têm de acontecer e não por incentivo superior estatal, do Estado administrado por quem abomina o Estado por decidir superiormente da vida das pessoas;
e eu que nasci e sempre vivi em Setúbal e não falo charroco só porque não quero nem me apetece, porque sei o abecedário todo, fui criado a ouvir isto;
e porque estas coisas não têm nada a ver com cantar mas com trabalhar e sofrer e lutar e com consciência social e por passar a mensagem contra a lengalenga neoliberal da mobilidade;
e porque ainda hoje fico com pele de galinha de cada vez que oiço;
viva!


«O cante do Alentejo já é património mundial e UNESCO chamou-lhe "exemplar"»