Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O Banco de Portugal é uma instituição credível e independente?

por josé simões, em 10.12.13

 

 

 

Dito de outra maneira, a "crença" do Banco de Portugal ignora os cortes de 3,9 mil milhões de euros [1,320 mil milhões de euros via cortes na despesa com pessoal] constantes no Orçamento do Estado para 2014? Se não ignora os cortes está em "modo adivinhação" e já conta com o eventual chumbo [mais um] do Tribunal Constitucional? Se conta com o eventual chumbo do Tribunal Constitucional faz ao mesmo tempo fé na palavra do Governo de que não tem um "plano B"?

 

«Portugueses estão de volta ao consumo, acredita o Banco de Portugal»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| O estado da Nação

por josé simões, em 10.12.13

 

 

 

Depois da fé da ministra nos cântaros de chuva que haviam de cair do céu e da intervenção da Senhora de Fátima na 7.ª avaliação da troika, pelo casal Silva, temos agora a governação por "sentimento", ainda que só ao nível do Governo e da maioria que o suporta, mas ainda assim um feeling, uma fezada. É, definitivamente, uma passagem de nível. Como nos jogos de vídeo, em amaricano, "next level, reload":

 

"Há um sentimento que é cada vez mais generalizado de que a economia portuguesa está, de facto, a crescer"

 

De nada adianta dizer que o investimento continua em queda, que as exportações estão a desacelerar, e que a animação se deve ao aumento da procura interna, porque, por "intervenção divina" do Tribunal Constitucional, as pessoas e as famílias tiveram mais dinheiro para gastar. É uma alegria. Viva!

 

[Imagem]