Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Vamos repetir todos em uníssono "o aumento do salário mínimo é mau para a economia e prejudicial ao investimento estrangeiro"

por josé simões, em 06.09.19

 

dino.jpg

 

 

Vamos repetir todos em uníssono "o aumento do salário mínimo é mau para a economia e prejudicial ao investimento estrangeiro".

 

Portugal vai acolher uma fábrica automóvel de grandes dimensões para produzir um veículo 4x4 com motor BMW e, futuramente, outros modelos, eventualmente em conjunto com a Jaguar.

 

[Imagem]

 

 

 

 

|| Gentinha [Cap. II]

por josé simões, em 22.10.11

 

 

 

O presidente da Câmara de Torres Novas não precisa de um carro. Não. O presidente da Câmara de Torres Novas precisa de um carro compatível com aquilo que ele acha que é o estatuto de um presidente de Câmara. O presidente da Câmara de Torres Novas que precisa de um carro, pago com o dinheiro dos contribuintes e compatível com aquilo que ele acha que é o estatuto, ainda que temporariamente suportado pelos eleitores, de presidente de Câmara, achou por bem badalar à imprensa o seu grande sentido de responsabilidade e poupança, em consonância com os tempos de crise que assolam o país, sem perceber que mais valia ter ficado calado e comprado um carro em primeira mão pelo valor de um carro, compatível com aquilo que ele acha que é o estatuto de presidente de Câmara, em segunda mão. Ficava mais bem visto aos olhos dos eleitores que andam a pé, de transporte público, ou que têm um carro compatível com o seu estatuto, e não contribuía para alimentar as historietas sobre a presunção e a água benta que vai à mesa no copo dos autarcas.

 

“Oh Lord, won't you buy me a Mercedes Benz? My friends all drive Porsches, I must make amends”

  

[Gentinha, Cap. I]

 

[Imagem “Autos de Xoc a Manlleu”, 1965, Rafael Rueda]

 

 

 

 

 

 

Quando a realidade ultrapassa a ficção

por josé simões, em 19.12.08

 

GINA Light Visionary Model, uma espécie de Z4M de pano: “design orgânico”.

 

Capaz de mudar de forma, o carro possui um chassis composto por cabos de alta resistência e barras de fibra de carbono. Por baixo dos panos (sem trocadilho), a BMW afirma que o GINA – sigla em alemão para Geometria e Funções Adaptativas – possui uma série de pequenos motores elétrico-hidráulicos, responsáveis pelas mudanças no formato da carroçaria.
Os faróis, tanto os frontais como os traseiros, ficam escondidos sob o tecido quando estão apagados e abrem-se como pálpebras ao serem accionados, imitando os movimentos do olho humano.


Apesar do aspecto metálico do tecido que cobre o chassis, pequenos detalhes denunciam o material alternativo. Ao abrir as portas vê-se claramente o tecido, que fica enrugado. O acesso ao motor é como abrir uma camisola, porém, no lugar de um fecho éclair, a abertura é processada pelos motores eléctricos do capôt.

 

Mesmo sendo algo impensável para os tempos actuais, a BMW afirma que a solução pode ser usada na indústria.