Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

(You Gotta) Fight for Your Right (To Party!)

por josé simões, em 02.03.21

 

1 - AFP Photo - Demonstration against the military

 

 

2 - AFP Photo - Demonstration against the military

 

 

3 - AFP Photo - Demonstration against the military

 

 

Demonstration against the military coup in Yangon on March 1, 2021.⁣

 

[Link nas imagens]

 

 

 

 

|| O vómito

por josé simões, em 18.11.10

 

 

 

 

 

 

«Mas acontece que Suu Kyi é mulher e que para mais tem aquele arzinho fisicamente frágil que nos dá cuidados quando a imaginamos presa. É certo que na sua própria residência, que é capaz de ser mais confortável que a minha. Mas imagino que deve ser terrível para uma mulher, para mais senhora de boa disponibilidade financeira, não poder sair de casa para ir às compras no hipermercado mais próximo.»

 

O resto para quem tiver estômago.

 

(Imagem de Jan van de Velde via Welcome Library)

 

 

 

 

 

 

 

|| Sei que há léguas a nos separar/ Tanto mar, tanto mar/ Sei também que é preciso, pá/ Navegar, navegar (*)

por josé simões, em 14.11.10

 

 

 

 

 

 

«Aung San Suu Kyi no te imaginas lo qu tu significas para tanta gente en #cuba»

 

(Na imagem Aung San Suu Kyi’s Burmese passport, issued in New York on 9 December 1970, Private Aris Family Collection via Guardian)

 

(*) Tanto Mar

 

 

 

 

 

 

 

 

|| Por falar em “respeito”

por josé simões, em 12.08.09

 

 

 

A China pede respeito pela soberania duma Birmânia governada em ditadura por uma junta militar que há 19 anos mantêm prisioneira a líder do partido vencedor das eleições e Prémio Nobel da Paz.

 

Conversa “à la Avante!” (façam uma pesquisa ao termo "Birmânia"), órgão oficial dos que reclamam por tudo e por nada por mais Democracia e nos estão sempre a atirar à cara com a luta anti-fascista e com os tribunais plenários.

 

(Imagem Gunman de Nick Veasey)

 

 

Por falar em papagaios…

por josé simões, em 20.10.07

“Quantos papagaios do imperialismo informaram os seus leitores de que «Dalai Lama» significa Deus-Rei? Ou de que em 1959, quando da sua última tentativa contra-revolucionária para impedir a abolição da escravatura no Tibete, a família do Dalai-Lama possuía três mil escravos?”
 
Esta barbaridade foi escrita, por este cromo; ou melhor, por este papagaio, que é militante deste partido.
 
A tentativa contra-revolucionária a que se refere, e pela data, só pode ser a revolta tibetana contra a ocupação de 1950 pelo exército de Mao. As violentas repressões de 1987 e 1989, levadas a cabo pelo exército vermelho contra a população que contesta a ocupação comunista chinesa, também não interessam nada. Assim como também não interessa nada a meticulosa política de genocídio cultural exercida pela China sobre o Tibete e a sua população. O que importa é que em 1959 haviam três mil escravos, contra os actuais 2, 81 milhões…
 
Este partido, publica este jornal, que como se sabe não é deste mundo. É que até hoje nem um parágrafo, uma palavrinha sequer sobre a Birmânia, ou sobre as recentes manifestações pacíficas violentamente reprimidas pela ditadura / junta militar. No entanto não se coibiram de enviar uma mensagem de saudação ao congresso do PC chinês, aproveitando para fazerem umas queixinhas do género: “Em Portugal, deparamo-nos hoje com a mais violenta ofensiva contra as conquistas democráticas da revolução de Abril de 1974 e os direitos dos trabalhadores” (link aqui). À China, esse exemplo das liberdades, a tomar como referência por todas as nações do planeta.
Camarada Vilarigues, talvez não fosse má ideia pedir asilo político à China; é que em Portugal a liberdade está pela hora da morte…
 
Adenda: Sobre as liberdades na China, relatório da Human Rights Watch aqui, e dos Repórteres Sem Fronteiras, aqui.
Sobre a Birmânia, continuar a seguir a Amnistia Internacional aqui, com gravações video e audio.
 
(Foto via Público)
 

 

Dia 4 de Outubro proteste!

por josé simões, em 02.10.07

Está em marcha na web uma iniciativa pela Birmânia. No próximo dia 4 de Outubro blogues de todo o mundo vão colocar um post, acompanhado de um banner exigindo liberdade e democracia na Birmânia.
Para aderir à iniciativa clicar aqui; para obter um banner, aqui.
 
Foto via La Stampa.

 

Pela liberdade na Birmânia: Proteste!

por josé simões, em 28.09.07

 

Pela liberdade na Birmânia, escreva uma carta, envie um fax ou um e-mail.
A Amnistia Internacional disponibilizou uma carta modelo (aqui) dirigida a Nyan Win, ministro dos Negócios Estrangeiros da Birmânia; pela liberdade de expressão, pela liberdade de reunião, pela liberdade de associação.
Proteste!

A superioridade moral dos comunistas

por josé simões, em 28.09.07

 

Já repararam na "superioridade moral" da democracia lusitana, que por tudo e por nada vem a terreiro puxar dos galões do passado anti-fascista e da luta contra a ditadura e pelas liberdades democráticas e do direito dos povos a auto-determinação e a escolher o seu próprio caminho e... uff ! o resto que já todos conhecem; ainda não abriu a boca para condenar a ditadura birmanesa? Andam a ver se passam pelos intervalos da chuva? Abre-se a página do jornal e, por exemplo, ficamos todos a saber que na Grécia os partidos Nova Democracia e PASOK estão «intimamente ligados e comprometidos com o actual processo de integração capitalista na Europa e alinhados com o imperialismo norte-americano e com a NATO», que o Partido Comunista da Venezuela está ao lado do presidente Hugo Chávez na sua «finalidade de fortalecer e aprofundar o processo revolucionário e afinar os instrumentos de combate ao imperialismo, à oligarquia e demais inimigos do povo» mas de Burma / Myanmar / Birmânia nada! Afinal parece que há ditaduras mais ditaduras que outras ditaduras; ou trocando por miúdos, são preferíveis algumas ditaduras amigas dos "nossos" amigos chineses, que a incógnita que é viver em democracia e ficar dependente dos resultados dessa chatice que é ter de ir a votos de tantos em tantos anos…
 
Nota: Também na Birmânia o papel dos blogues.

 

Da Birmânia até à China

por josé simões, em 25.09.07

Estes homens, e desde hoje estas mulheres também, uma vez que as freiras budistas se juntaram ao protesto, são o símbolo máximo na Birmânia quando se fala em ética e integridade. Protestam contra uma junta militar que há 45 anos oprime um povo e um país.
 
Ontem Condoleezza Rice disse que «o povo da Birmânia merece melhor. Tem o direito de viver em liberdade, como toda a gente». O que é que a ditadura militar da Birmânia fez mais que a ditadura do partido único na China não tenha feito, para receberem tratamentos diferenciados?
 
(Uma pergunta desnecessária para uma resposta que toda a gente sabe).
 
Adenda: Activista dos Direitos Humanos preso em Pequim (Aqui).
Só mais um, entre milhares…