Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Fim-de-semana

por josé simões, em 08.12.19

 

Yellow Submarine - The Beatles.jpg

 

 

Este fim-de-semana foi assim.

 

Yellow Submarine ~ The Beatles

 

[7" vinyl]

 

 

 

 

|| Der ‘Honoré Mirabeau’ Terrorist

por josé simões, em 15.04.10

 

 

 

 

Hoje é um dia feliz, ou como diria o “outro”, um dia histórico para mim: fui graduado em “jacobino”.

 

E até já preguei 3 saltos de alegria, apesar de considerar não ser digno de tamanha distinção… What the fuck, então não é que o acharya justifica a distinção exactamente com os mesmos argumentos que motivaram a sua atribuição?!

 

Ou não sabe ler, ou ficou turvado por se defender que a Igreja deve pedir desculpa (o que só prova que Marx tinha razão), ou é mais um exemplar do mui famoso post das “verónicas e chicuelinas”. Ainda não percebi. E, diga-se de passagem, também não estou muito preocupado com isso.

 

(Imagem)

 

 

 

|| Pai, perdoa-lhes porque não percebem nada de nada

por josé simões, em 14.04.10

 

 

 

 

Quando o normal seria um pedido de desculpas e o reconhecimento pelo erro, por precipitação ou até por má interpretação, dado os tempos serem outros e o fenómeno das “provocações” pop-rock então uma coisa relativamente recente, não: veio um perdão. Só que a Igreja Católica teima em fingir que vive numa realidade paralela; não perdoa quem quer perdoar, perdoa quem pode perdoar:

 

"I think the Vatican, they've got more to talk about than the Beatles."

 

(Na imagem entrada para o concerto dos The Raconteurs em 18 de Maio de 2008 no Music Box do Fonda Theater em Los Angeles)

 

(Em stereo)

 

 

Os Beatles e o CSI

por josé simões, em 03.06.07

Quem me conhece sabe que um dos meus hobbies é coleccionar vinyl. Anos e anos de pesquisas e procuras em feiras de velharias, muito dinheiro gasto e a colecção nunca que mais acaba. Nem sei se alguma vez acabará.

Também aqueles que me conhecem (e os experts na matéria) sabem, que numa colecção digna do nome, têm de haver obrigatoriamente discos dos Beatles. Correndo o risco de estar aqui em público a cometer uma espécie de haraquiri do coleccionador, revelo um segredo da classe: um dos discos mais difíceis de encontrar, e um dos mais valiosos, e isso desculpem, mas não vou revelar porquê nem como o identificar - é que existem várias edições, mas uma, e só uma, é que é a especial – é o Álbum Branco dos Beatles; The White Album.

Em 20 anos de “oficio” só por 3 vezes me deparei com um “special one”. Aquele palpitar do coração, o tremor das mãos; só quem sabe do que estou a falar. A primeira vez que tal sucedeu foi há cerca de 13 anos na Feira da Ladra em Lisboa e teve como desfecho um negócio do arco-da-velha na Feira Internacional de Vinyl de Londres. Acabou em Osaka, na colecção de um japonês fanático da banda de Liverpool, que se deslocou propositadamente a Londres para o adquirir. A segunda vez, foi há quinze dias na Feira de Velharias que tem lugar na placa central da Avenida Luísa Todi em Setúbal, e por motivos que me escuso de revelar, escapou-se-me por entre as mãos. A terceira vez – e aqui é que está o curioso da coisa – foi outra vez na Feira de Setúbal, ontem; mas desta agarrei-o e vai ficar por cá, venha o japonês que vier.

Esta poderia ser apenas uma história com um final feliz – e é! – apesar do insólito que é, encontrar duas semanas seguidas no mesmo local, o que se procura há 20 anos. Hoje ao final da tarde estava a ver na SIC uma das minhas séries preferidas - CSI Las Vegas. Era sobre o assassinato de um coleccionador de vinyl. Adivinhem qual o disco que faltava na colecção?  

Fim-de-semana

por josé simões, em 03.06.07

Este fim-de-semana foi assim:

A Hard Day's Night - The Beatles

(Vinyl 7")