Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Imperialismo e neo-colonialismo é quando o PCP decide

por josé simões, em 01.02.19

 

castro-machel.jpg

 

 

Um exercício simples de fazer: imaginar esta inócua, incolor e indolor, notícia no Avante!, podia ter saído no Público ou no Diário de Notícias, sobre as manobras militares lideradas pelos Estados Unidos em Moçambique ao largo de uma "província onde aldeias remotas estão desde há um ano a ser atacadas por grupos armados que já provocaram 140 mortos", um exercício que "ensaia o combate à pirataria e ao «tráfico ilícito de drogas, de produtos da flora e fauna bravia e de seres humanos»", região onde as "petrolíferas norte-americanas (Andarko e Exxon Mobil) lideram investimentos em curso para extrair gás natural dentro de quatro a cinco anos, a partir dos maiores depósitos submarinos do mundo", se o poder não fosse exercido por um "partido irmão", a prosápia e o desfilar de chavões sobre o imperialismo e o neo-colonialismo e "os assaltantes de gasolineiras do mundo", com os piratas que operam entre as costas de Cabo Delgado e da Somália promovidos a frente de libertação nacional e heróis anti-imperialistas.

 

[Fidel Castro e Samora Machel na imagem]

 

 

 

 

A traição de Munique vs. a traição de Moscovo

por josé simões, em 14.11.18

 

MolotovRibbentropStalin.jpg

 

 

Dão-se alvíssaras a quem encontrar nas páginas do Avante! escritos críticos e assinalar de efemérides sobre o Pacto Molotov- Ribbentrop que dividiu a Polónia entre a Alemanha nazi a a Rússia dos Sovietes e a Lituânia, Letónia, Estónia, Finlândia e Roménia, em esferas de influência alemãs e soviéticas.

 

"No final de Setembro de 1938, Adolf Hitler, Neville Chamberlain, Édouard Daladier e Benito Mussolini (líderes da Alemanha, Reino Unido, França e Itália) assinaram o Acordo de Munique, que a História recorda como traição de Munique."

 

A traição de Munique escancarou as portas a Hitler

 

Uma ano depois a assinatura do "Tratado de Não Agressão entre a Alemanha e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas" foi, de certeza, para as fechar.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Socialismo bolivariano para o século XXI

por josé simões, em 22.08.18

 

maduro (1).jpg

 

 

Estes milhares de fugidos da fome, da miséria e da morte na Venezuela a aguardar atribuição de nacionalidade em Portugal, são pessoas que não lêem o Avante! , caso contrario sabiam que está tudo bem, deixavam-se ficar quietinhos lá no seu sítio e não fugiam, para Portugal ou qualquer outro país, na Europa ou ali à volta do seu.

 

[Imagem]

 

 

 

 

As saudações do PCP

por josé simões, em 24.05.18

 

scott scheidly.png

 

 

O PCP saudou na passada 2.ª feira a expressiva vitória bolivariana nas eleições presidenciais venezuelanas exigindo, em simultâneo, respeito pela vontade do povo da Venezuela.

 

No intervalo entre saudações o PCP podia dedicar algum tempo num quadradinho de página no Avante! para nos explicar a diferença entre as chapeladas eleitorais de Nicolas Maduro do "socialismo bolivariano para o século XXI" e as de Salazar e Caetano no fascismo do Estado Novo, por exemplo. E também por exemplo a diferença entre a supressão de direitos, liberdades e garantias, a censura da imprensa, e encerramento de jornais, televisões e rádios, as "conversas em família" do líder revolucionário Maduro uma noite por semana na televisão, a perseguição à oposição e os presos políticos do "socialismo bolivariano para o século XXI", a tortura praticada pelas milícias, polícias e forças militares em total impunidade, o poder judicial submetido ao poder político, e a ditadura fascista do Estado Novo de Salazar e Caetano de que os comunistas e o PCP foram as principais vítimas.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| Nunca desiludem

por josé simões, em 12.05.16

 

north-korea-at-night-these-shrines-were-the-only-s

 

 

Já não é o elogio, nem a apologia, nem a saudação, é uma notícia, em forma de notícia, atrás do "Breves", na secção "Internacional", logo a seguir à abertura, feita com um israelita bom.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Lisboa, Rua Soeiro Pereira Gomes, século XXI

por josé simões, em 20.06.15

 

lenin mummy.jpg

 

 

«EUA projectam reforço militar no Leste europeu
Cerco imperialista à Rússia»


«Mugabe denuncia
potências ocidentais»


«16 de Junho de 1963
Valentina Tereshkova torna-se
a primeira mulher a ir ao espaço»


[Na imagem a manutenção da múmia de Lenine]

 

 

 

 

||| Os órfãos de Brejnev

por josé simões, em 11.12.14

 

brejnev soviet poster.jpg

 

 

Ver o Avante! , órgão oficial do Partido Comunista Português, a dar voz ao back in the USSR de Vladimir Putin e a passar a perna ao Partido Comunista da Federação Russa, partido irmão de Guennadi Ziuganov e herdeiro do PCUS, é algo absolutamente delicioso.


«Rússia não será outra Jugoslávia»


[Imagem]

 

 

 

 

||| "Uma política patriótica e de esquerda"

por josé simões, em 09.11.14

 

Berlim1.jpg

 

Berlim2.jpg

 

Berlim3.jpg

 

Berlim4.jpg

 

Berlim5.jpg

 

 

Há quem tenha chorado de alegria com as imagens da queda do Muro de Berlim na MTV.


E há quem chore baba e ranho com saudades das imagens do Muro de Berlim da miséria, da infelicidade, da dor e da morte alheia, ainda a preto-e-branco.


Quando vierem com a lengalenga da "política patriótica e de esquerda" a gente lembra-se da "reacção e da social-democracia" a celebrar «mais do que a queda do muro de Berlim» e, na hora de optar e fazer escolhas, as pessoas votam na "reacção" porque não querem para elas aquilo que não gostam de ver fazer aos outros.

 

 

Obrigado PCP, vanguarda da classe operária e sempre, sempre ao lado do povo.

 

 

 

 

 

 

 

 

||| Good bye Lenin!

por josé simões, em 07.11.14

 

good bye lenine.jpg

 

 

«Perante a campanha anticomunista de intoxicação da opinião pública desencadeada a pretexto da passagem de 25 anos sobre a chamada «queda do muro de Berlim», o PCP considera necessário afirmar o seguinte [...]»


Para quem quiser, ainda que por breves instantes, regressar à realidade surrealista socialista do Portugal de 1974 continua a ler aqui. Para quem nasceu depois de 1974 e só pela boca de terceiros teve contacto com a realidade surrealista socialista do Portugal de 1974 continua a ler aqui.

 

 

 

 

||| Revisionismo é isto

por josé simões, em 29.08.14

 

 

 

A divisão da Polónia entre Estaline e Hitler só foi assinada «depois de os soviéticos terem perdido todas as esperanças numa aliança com ingleses e franceses para travar o nazismo», a ocupação das repúblicas bálticas [Estónia, Letónia, Lituânia] só aconteceu «depois de os soviéticos terem perdido todas as esperanças numa aliança com ingleses e franceses para travar o nazismo», o massacre de Katyn na Polónia só aconteceu «depois de os soviéticos terem perdido todas as esperanças numa aliança com ingleses e franceses para travar o nazismo», o compasso de espera ordenado por Estaline ao Exército Vermelho nas margens do rio Vístula para dar tempo enquanto os nazis na outra margem acabam a operação de limpeza só aconteceu «depois de os soviéticos terem perdido todas as esperanças numa aliança com ingleses e franceses para travar o nazismo», que quase metade dos 23 milhões de soviéticos mortos durante a II Guerra Mundial tenham sido vítimas de um Estaline paranóico e com a mania da perseguição, dedicado a purgar as cúpulas das forças armadas substituídas por fiéis e acéfalos comissários políticos que de guerra não sabiam nada, também foi só «depois de os soviéticos terem perdido todas as esperanças numa aliança com ingleses e franceses para travar o nazismo». A Pátria do PCP parece ser a URSS. É o que temos.

 

[Na imagem poster soviético de propaganda]

 

 

 

 

 

 

||| Investimento produtivo, criação de emprego, aposta na agricultura e incentivo à internacionalização e exportação

por josé simões, em 20.11.13

 

 

 

«A Comissão Europeia acrescentou, esta quarta-feira, […] a maçã riscadinha de Palmela à lista dos produtos com designação de origem protegida.».

 

A mesma maçã riscadinha de Palmela que o banco do Estado, pejado de administradores nomeados pela maioria PSD/ CDS-PP, decidiu "condenar", enquanto salvava da condenação o projecto falido, de uma imobiliária falida, para o entregar de mão beijada ao "camarada" Belmiro de Azevedo, como aqui se dá conta.

 

É o mui famoso "regresso à terra" e investimento na agricultura que este Governo, com especial ênfase para os ministros do CDS, Paulo Portas, Assunção Cristas, Pires de Lima, não se cansam nunca de papaguear.

 

 

 

 

 

 

 

|| Um Governo riscadinho

por josé simões, em 17.05.13

 

 

 

Lembram-se do liberal Pedro Passos Coelho que, antes de ser primeiro-ministro, queria privatizar a Caixa Geral de Depósitos para retirar o "peso do Estado" da economia e que, depois de chegado ao Governo, exige que a mesma Caixa Geral de Depósitos financie mais a economia ou "vamos de ter mudar a administração" [ler "substituir os boys nomeados"], lembram-se?

 

Do que ninguém se lembra é de ter ouvido Pedro Passos Coelho falar sobre que tipo de financiamento à economia exige, a que género de economia é que se refere, coisa desnecessária para os boys nomeados que perceberam bem a irritação do chefe, o "posto de trabalho" em risco, e conhecem como ninguém as prioridades económicas do Governo das marcas e das grandes empresas. A ministra Cristas, do partido da lavoura, essa continua calada. Ou a rezar para que pare de chover que já estamos quase em Junho.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| Mete mais tabaco nisso

por josé simões, em 19.01.13

 

 

 

«É evidente que existe um plano secreto para lançar o mundo no caos. É o plano dos ricos. A miséria e a fome esmagarão os oprimidos. As novas armas de destruição eliminarão boa parte dos que ficarem: biliões de bocas inúteis que nada acrescentam aos lucros dos grandes monopólios. Na Terra, um só poder, uma só religião, um só monopólio global.»

 

In the Year of Darkness, 2029

 

 

 

 

 

 

|| Quinta-feira o Avante! explica

por josé simões, em 24.09.12

 

 

|| New lyrics for old songs

por josé simões, em 19.07.12

 

 

 

Assim como o imperialismo soviético a ex-União Soviética, por via da sua invasão do intervenção no Afeganistão, ficará para todo o sempre associada ao nascimento dos talibans e dos mais de 30 anos de instabilidade de toda uma região, desde a data da derrota retirada até aos dias de hoje [isto sem contarmos com os 10 anos de ocupação], a Rússia do ex-serviços secretos Putin, nascido, criado e educado, debaixo da bandeira do "Internacionalismo", pelo suporte ao regime do genocida Bashar al-Assad,  ficará para sempre ligada ao surgimento do terrorismo e do fundamentalismo islâmico onde ele não existia, numa zona onde a paz e a segurança se vivem sempre no fio da navalha, com Israel a sul cercado por todos os lados, e na fronteira da europeia [e membro da NATO] Turquia. Se calhar por causa disso mesmo.

 

Tal como em 1979, o PCP e o Avante! sempre do lado certo História. Some things never change.

 

[Imagem]