Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Os números circenses do CDS

por josé simões, em 21.05.19

 

saltimbancos-setiubal-américo-ribeiro.jpg

 

 

Na melhor tradição do Querido Líder Paulo Portas, que por ocasião dos motins no bairro da Bela Vista veio à cidade inteirar-se da situação... na Praça do Bocage, Procissão Cristas, a "líder da direita", a "alternativa de Governo", a "rã que quer ser boi", mais o cónego Melo e uma comitiva do CDS, com a cumplicidade das televisões todas, veio em acção de campanha à Lota de Setúbal. A uma segunda-feira, o único dia da semana em que a Lota está fechada. Ainda assim, 45 anos depois do 25 de Abril, na cidade vermelha não fossem levar com um peixe na boca, dado por alguma peixeira de memória e menos dada a pantominices.

 

[Na imagem "Saltimbancos" do insigne fotógrafo setubalense Américo Ribeiro]

 

 

 

 

Têm dois defeitos

por josé simões, em 06.05.19

 

otto.jpg

 

 

Quando todos pensávamos que tinham aprendido alguma coisa com o banho de realidade que levaram, que os portugueses, quarenta e cinco anos passados sobre o 25 de Abril, não só já não são anjinhos ignorantes como não gostam de ser tratados como tal, logo nos minutos seguintes às declarações de anúncio de marcha-atrás assistimos ao frenesim de centenas de contas no Facebook e no Twitter, algumas até daquelas que só são activadas em situações de crise ou um mês antes das eleições, em operação concertada para  minimizar danos no eleitor com o "eleitoralismo de António Costa" mais "as mentiras de António Costa" e a "campanha eleitoral do PS" e "o que o PS aprovou e desaprovou" e "a nossa posição sempre foi esta", "nós não dissemos o que vocês nos ouviram dizer" e outros chavões em formato telegráfico, decalcados dos discursos do líder, Rui Rio e Assunção Cristas consiante a afiliação, a tratarem outra vez os portugueses como crianças, sem perceberem que não perceberam nada do que lhes aconteceu. Têm dois defeitos: são burros e não querem aprender. Nunca acabem.

 

[Imagem de Otto Stupakof]

 

 

 

 

Resumo da jornada

por josé simões, em 05.05.19

 

McCormick code.jpg

 

 

Nesta questão do contorcionismo de Rui Rio e Assunção Cristas com a contagem do tempo de serviço dos professores, uma medida que não ia custar um cêntimo de euro ao contribuinte, ou que até podia custar mas não tinha implicações orçamentais já este ano, era só para o ano, ou lá mais para a frente e o Governo que viesse que se desenmerdasse, como sói dizer-se, é o líder do PSD e a líder do CDS só tarde e más horas terem percebido que dez anos de crise e quatro de troika e resgate financeiro e de sacrifícios, sofrimento e vidas desfeitas, ensinaram à grande maioria dos portugueses o valor do dinheiro, a importância de contas certas, e que o tempo não anda para trás.

 

[McCormick code na imagem]

 

 

 

 

É só rir

por josé simões, em 04.05.19

 

 

 

Procissão Cristas, ministra no Governo da birra irrevogável até subir no rating ministerial e ser nomeado vice-pantomineiro, a atirar à cara de António Costa a ameaça de demissão de José Sócrates a propósito de um PEC qualquer.

 

Comissário Mário Nogueira, chantageador-mor da República, há mais de 20 anos não faz outra coisa que chantagear governos, professores, pais, encarregados de educação e alunos, a acusar António Costa de chantagem.

 

Muito bom!

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 26.04.19

 

fuck off 2.jpg

 

 

"A primeira e maior preocupação do @_CDSPP em relação à Lei de Bases da Saúde é que as populações sejam servidas com qualidade e com tempo. Queremos servir todos os portugueses e servi-los com qualidade e com o menor custo possível para o contribuinte, certamente.", Assunção Cristas no Twitter.

 

"Portugal cortou nas despesas de Saúde o dobro do que era exigido no memorando de entendimento com a ‘troika’.", o Governo onde Assunção Cristas era ministra e assinava resoluções bancárias de cruz e com os pés de molho numa piscina no Algarve.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 27.03.19

 

cds_cristas_portas.jpg

 

 

Desta excelentíssima senhora doutora deputada os únicos actos que se lhe conhecem relacionados com ser "a voz do Atlântico" durante os longos quase cinco anos em que foi excelentíssima ministra do Mar foi a venda mal contada do Pavilhão Atlântico ao excelentíssimo senhor doutor genro do excelentíssimo senhor professor Cavaco Silva.

 

Portugal deve ser a voz do Atlântico na União Europeia. Com a saída do Reino Unido há um vazio e Portugal deve ser o primeiro a querer preencher esse vazio.

 

 

 

 

"Entre Bolsonaro e Haddad, escolhia não votar"

por josé simões, em 27.03.19

 

jairbolsonaro.jpg

 

 

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou oficialmente que as Forças Armadas poderão comemorar o golpe de 31 de março de 1964, que instaurou uma ditadura militar no país, deixando centenas de mortos e desaparecidos, e cuja repressão lançou mão de artifícios como estupros e tortura.

 

Tempo para recuperar declarações dos nossos grandes democratas "A Venezuela! A Venezuela" que com a sua abstenção contribuíam para a vitória no Brasil de um saudoso do fascismo, da repressão e da tortura: Assunção Cristas. "Entre Bolsonaro e Haddad, escolhia não votar".

 

 

 

 

O CDS em roda livre

por josé simões, em 21.03.19

 

CDS Madeira FB.jpg

 

 

O CDS da Madeira, no Facebook a puxar dos galões para surfar a onda da redução do preço a pagar pelos passes sociais, e a líder do CDS nacional no Twitter, depois de fazer uma piadola manhosa com "socialistas", a dizer que ainda não chegámos à Madeira, que isto dos passes com desconto não interessa nada, que o que interessa é um "estatuto do benefício fiscal para o interior", com desconto nas portagens que o CDS, quando chegou ao Governo com Assunção Cristas ministra, tratou não só de aumentar como de as introduzir onde elas não existiam.

 

 

 

 

"Assunção Cristas diz"

por josé simões, em 11.02.19

 

 

 

"Assunção Cristas diz" is the new awesome.

 

 

 

 

"Senhor Presidente, condena a violência no bairro Jamaica?"

por josé simões, em 05.02.19

 

selfie_de_marcelo_com_solange_moradora_do_bairro_da_jamaica.jpeg

 

 

marcelo jamaica.jpg

 

 

"Senhor Presidente, condena a violência no bairro Jamaica?", pergunta a líder do CDS, Procissão Cristas, depois de ter publicamente declarado o apoio à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa.

 

[Imagens]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 31.01.19

 

 

 

Mais um dia na vida de Assunção Cristas, uma ex-ministra de um governo que injectou mais de 1500 milhões na CGD sem fazer qualquer auditoria, que afirmou nunca ter discutido qualquer banco em conselho de ministros, e que confessou ter assinado a resolução do BES na praia e sem a ter lido.

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 23.12.18

 

stephan schmitz.jpg

 

 

Procissão Cristas em acção de propaganda por associação que acude as vítimas do desemprego e das políticas de cortar salários, pensões e apoios sociais duante os quase 5 anos em que foi ministra do Governo da troika.

 

"Líder do CDS-PP aproveitou a quadra natalícia para lembrar que é um trabalho que ainda tem que ser feito o ano inteiro."

 

Cristas distribuiu comida com a Refood

 

[Imagem]

 

 

 

 

O CDS, esse partido albergue de grandes democratas

por josé simões, em 25.10.18

 

 

 

O dia em que Procissão Cristas nos diz que dava a vitória a um fascista no Brasil, um fascista da estirpe filho da puta à face da terra, que defende a tortura, assassinar adversários políticos, que as mulheres são seres inferiores, que se deve usar a violência contra os gays, que os pobres devem ser esterilizados, e que a polícia deve atirar a matar e não ser responsabilizada por isso, é o dia em que o Cónego Melo aparece em defesa dos polícias que no Estado de direito recorrem a métodos defendidos pelo fascista eleito por Procissão Cristas caso votasse no Brasil. Registe-se o CDS, esse partido albergue de grandes democratas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 09.10.18

 

Verbatra.jpg

 

 

Fernando Negrão, líder, de jure, da bancada parlamentar do PSD, o partido que suportou o Governo que celebrou protocolo com a McDonald’s, à saída da audiência com o ministro das Finanças, a propósito do Orçamento do Estado para 2019, queixar-se da fraca qualidade do emprego criado pelo Governo da 'Geringonça'.

 

O CDS, de Assunção Cristas, a ministra que assim que tomou posse nomeou liquidador-mor da Parque Expo, gordura do Estado, John Antunes, membro da comissão de honra da sua candidatura por Leiria, que não só não liquidou a Parque Expo como lhe aumentou a gordura a despesa com a adjudicação de serviços à empresa de advogados de Nobre Guedes, do CDS, e de Mota Soares, do CDS e ministro celebrante de protocolos com a Parque Expo de John Antunes; o CDS, de Assunção Cristas e Mota Soares, do Governo da criação de emprego para mais de uma dezena de nomeações saídas em Diário da República dois dias após as eleições, todos do Ministério da Defesa Nacional do PSD, de José Pedro Aguiar-Branco, para cargos criados apenas 4 dias antes das eleições legislativas de 5 de Outubro em plena campanha eleitoral; "o CDS quer explicações do Governo na AR sobre escolha de deputado do PS para ERSE".

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Partido do Vómito

por josé simões, em 31.08.18

 

vómito (1).jpeg

 

 

Fazer campanha eleitoral com a desgraça e a miséria de compatriotas e seus descendentes.

 

O CDS apresentou um plano, que quer discutir e aprovar na Assembleia da República, para resgatar os portugueses e lusodescendentes que vivem na Venezuela de Nicolás Maduro, a atravessar uma crise profunda. Os centristas querem criar uma “ponte aérea, garantindo sem custos o regresso dos portugueses ou lusodescendentes que queiram vir para Portugal“, embora esse dinheiro possa ser devolvido ao Estado em 3 a 5 anos, caso haja capacidade financeira desses “retornados”. Além disso, o CDS exige que os regressados da Venezuela tenham “no mínimo” o mesmo tratamento que o primeiro-ministro propôs para emigrantes que saíram no período da crise: desconto de 50% no IRS.