Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| A Voz do Povo

por josé simões, em 17.05.16

 

 

 

Ao balcão do café: "Qualquer dia o Estado, violando a Lei, desata a construir esquadras de polícia onde já há empregados da Securitas".

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 16.05.16

 

palhaço.jpg

 

 

E chegámos aqui: juro que ouvi Rodrigo Queiroz e Melo, director executivo da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, dizer no programas Prós e Contras na RTP 1 que "o Estado cometeu a ilegalidade" [sic] de construir escolas públicas onde já havia colégios privados. E, quando aqui chegamos, já não há mais nada para discutir ou debater.


[Imagem]

 

 

 

 

||| "damos prioridade à escola pública"

por josé simões, em 13.01.16

 

illustration,popculture schulz.jpg

Curiosamente o partido que não precisava de programa de Governo porque o programa da troika era O Programa, o que tinha sido essencialmente influenciado pelo partido nas negociações com a troika, Catroga dixit, um rascunho que era mesmo preciso surpreender e ir mais além do acordado, no que tocava a cortes nas funções sociais do Estado, na redução dos custos do trabalho e na retirada de direitos e garantias, naquela parte que tocava ao financiamento do ensino privado «and reducing and rationalising transfers to private schools in association» nunca houve memorando a cumprir por causa da nossa imagem, nunca houve imposição dos credores nem mãos atadas no protectorado, antes pelo contrário.


«Financiamento aos colégios será avaliado para se evitar "redundâncias" na rede escolar»

 

 

 

 

|| "[...] and rationalising transfers to private schools in association agreements."

por josé simões, em 05.08.12

 

 

 

É o que se pode ler no memorando de entendimento. O Governo continua um Governo coerente, vai mais além da troika e tira, do dinheiro dos nossos impostos, ao ensino público para dar ao ensino privado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Para bom entendedor

por josé simões, em 20.06.10

 

 

 

O que os responsáveis radiográficos não dizem, mas deviam, é em que lugar aparece a opção “cortar na educação no colégio privado” no ranking das famílias.

 

(Na imagem Aaron Haircut, autor desconhecido)

 

 

 

 

|| Em nome do Papa

por josé simões, em 04.05.10

 

 

 

 

Assim como a maioria das empresas privadas, também a «maioria das escolas particulares não vai fechar durante a visita do Papa». Se quisesse ser muito maquiavélico diria que o Governo que administra o Estado republicano laico está a trabalhar muito bem para acabar com o que resta do ensino público.

 

(Em stereo)

 

(Imagem)

 

|| O ranking

por josé simões, em 08.05.09

 

E por alturas dos rankings é puxar dos galões e até olhar por cima do ombro com sobranceria para aqueles que por uma razão ou por outra têm o rebento na escola pública  não têm o rebento no colégio privado. A mais das vezes pela mesma razão que, ironias do destino, desata agora a bater a quase todas as portas: Money, Money, Money cantavam os ABBA.

 

E agora “O Estado”, essa entidade suprema e milagrosa, ou seja, todos nós que pagamos os nossos impostos e que no fim das contas feitas o dinheiro não nos sobra na carteira para luxos tais como seja matricular o menino e a menina no colégio-privado-que-esse-é-que-é-bom, por portas travessas paga. Exige-se que pague!

 

E o rabinho lavado com água das malvas, também não?

 

Post-Scriptum: Quase de certeza que há uma fábula de La Fontaine que se aplique a esta estória...

 

(Imagem de Margaret Bourke-White via Life Pictures/ Getty Images)