Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"Qu'ils mangent de la brioche" *

por josé simões, em 18.03.20

 

cds.jpg

 

 

Diz-me com quem te preocupas. O problema do CDS não é a quebra brutal de rendimento dos trabalhadores com a entrada em vigor do layoff, não. O problema do CDS, disse-o Telmo Correia no plenário do parlamento que aprovou o "estado de emergência" , é o montante previsto para o layoff ser insuficiente para as empresas. Os trabalhadores perdem poder de compra e ficam com a corda na garganta em regime de layoff? Comam brioche.

 

[Na imagem cartaz do CDS durante o PREC]

 

* Qu'ils mangent de la brioche

 

 

 

 

É absolutamente espantosa a noção que o PS tem de democracia parlamentar

por josé simões, em 28.02.20

 

anibal_cavaco_silva.jpg

 

 

O Parlamento bom, o que permitiu ao Partido Socialista tendo perdido as eleições governar durante toda uma legislatura, a mui famosa 'Geringonça', para grande espanto da direita que, em quarenta anos de democracia, foi obrigada a aprender um conceito novo: democracia parlamentar constitucional, é afinal o Parlamento mau, o que chumba as propostas do PS, sem maioria absoluta no hemiciclo, levadas a votação sem previamente falar com as outras forças parlamentares.

 

É absolutamente espantosa a noção que o PS tem de democracia parlamentar. "É absolutamente espantoso que o Parlamento bloqueie o funcionamento de outras instituições". Agora imaginem que o Partido Socialista tinha maioria absoluta.

 

Deixem o PS trabalhar!

 

 

 

 

Agora pençem

por josé simões, em 20.02.20

 

MANIF EUTANÁSIA.jpg

 

 

"Deixem-os". Isto é imprecionante. Agora pençem.

 

[Imagem]

 

 

 

O maior erro de casting da democracia portuguesa

por josé simões, em 02.02.20

 

Painéis_de_São_Vicente_de_Fora_-_Painel_do_Infante.png

 

 

Assim como os reis, os da expansão colonialista portuguesa, que nasciam para serem reis, fossem quais fossem as suas qualidades, "Que ninguém me diga que eu não estou onde devia estar. Eu nasci para estar ali [Parlamento]. Eu vou continuar ali. Eu não me imagino em mais sítio nenhum hoje".

 

[Imagem]

 

 

 

 

Malucos do Riso

por josé simões, em 16.12.19

 

voto.jpg

 

 

Voto de "condenação" apresentado pelo Chega na Assembleia da República.

 

 

 

 

Perder uma boa oportunidade de ficar calado

por josé simões, em 12.12.19

 

hitler mickey (2).jpg

 

 

"É uma vergonha!" Ferro Rodrigues repreende expressões de André Ventura

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Malucos do Riso

por josé simões, em 03.12.19

 

cds (3).jpg

 

 

[Via]

 

 

 

 

A chico-espertice dos liberais de pacotilha

por josé simões, em 27.11.19

 

Karl_Marx.jpg

 

 

Do CDS ao Chega passando pelo Iniciativa Liberal e pelas prestimosas colaborações do Livre, já que esta legislatura parece que vai ser a do "vamos brincar aos parlamentos", à chico-espertice da Iniciativa Liberal com o "projecto de lei para que passem a estar plasmados no recibo de vencimento dos trabalhadores por conta de outrem os custos suportados pela entidade patronal no âmbito das contribuições para a Segurança Social", devia a esquerda avançar com outro projecto de lei para que no recibo de ordenado passasse a constar o número de horas diárias que os trabalhadores têm de trabalhar para justificarem o salário que recebem no final do mês, a mui famosa e por vezes esquecida mais-valia. Talvez assim ganhassem consciência do valor do trabalho, da contratação colectiva, da reivindicação, dos direitos e garantias. Já que é para brincar aos parlamentos brinquemos a sério.

 

 

 

 

Da falta de noção no PIEC - Processo de Inchamento em Curso

por josé simões, em 27.11.19

 

rafaelestevesmartinstwitter.jpg

 

 

A confusão entre a "missão" de serviço público, inerente ao cargo de deputado eleito da Nação, e um qualquer emprego na vida privada, por alguém que não sabe, nem quer saber, o que é ser deputado eleito, e por outrem que não sabe, nem quer saber, o que é ser assessor de imprensa de um deputado eleito por uma partido político. Siga a marcha.

 

[Rafael Esteves Martins no Twitter]

 

 

 

 

Na próxima legislatura depois a gente fala

por josé simões, em 17.11.19

 

Jenny Holzer.jpg

 

 

Andamos há décadas de legislaturas a falar de Os Verdes servirem para o PCP ter tempo de antena a dobrar, nas televisões e no Parlamento, para agora chegamos ao ponto de termos o fascista Chega com tempo de antena a triplicar, com o CDS e a Iniciativa liberal, em termos de impostos e carga fiscal, funções sociais do Estado, salários e salário mínimo nacional, protecção social, saúde e educação. Na próxima legislatura depois a gente fala da eficácia de cada a passar a mensagem.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Muito do 1% também passa por aqui

por josé simões, em 07.11.19

 

Occupy_Wall_Street_Together_.jpg

 

 

Até meados dos anos 80 era absolutamente banal um electrodoméstico durar dez ou mais anos. Muitos mais. Em casa dos meus pais havia um esquentador Vaillant, passe a publicidade, comprado nos anos 60 que só deixou de existir com o advento da gás natural canalizado. Até as lâmpadas aguentavam nos casquilhos gerações inteiras. De casa da minha avó saíram lâmpadas antigas, de vidro grosso e filamento ainda mais grosso, que só deixaram de dar luz vinte anos depois, depois de caídas ao chão numa mudança. Muito do 1% também passa por aqui.

 

"O PCP quer uma garantia de dez anos para os electrodomésticos, viaturas e dispositivos electrónicos. A medida consta de um projecto de lei entregue pelos comunistas na segunda-feira na Assembleia da República.

 

A medida visa combater a obsolescência programada e promover a durabilidade dos bens de consumo. Os comunistas defendem que os fabricantes devem comprovar que as técnicas utilizadas na concepção dos equipamentos asseguram a sua longevidade, recusando práticas de obsolescência programada."

 

Projecto de lei apresentado no Parlamento promover durabilidade dos bens de consumo e diminuir a emissão de dióxido de carbono.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Primeiro dia, véspera de Halloween

por josé simões, em 30.10.19

 

British prime minister Margaret Thatcher covering her face with her hand at the 1985 Conservative Party Conference.jpg

 

 

"É muito bom que esteja aqui alguém que se diga assumidamente liberal porque já estamos um bocado cansados daqueles que são envergonhadamente liberais e se vão disfarçando como sendo sociais-democratas. Finalmente o PSD tem alguém autenticamente liberal em quem se pode rever nesta Assembleia da República"

 

António Costa, primeiro-ministro, na resposta à interpelação do deputado do Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, no primeiro dia de debate do programa do XXII Governo Constitucional.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Um homem de saias, onde é que já se viu?!

por josé simões, em 27.10.19

 

curt kobain.jpg

 

 

curt kobain II.jpg

 

 

É a pergunta que se faz em Portugal nos 25 anos da morte de Curt Kobain.

 

 

 

 

Começa o circo

por josé simões, em 25.10.19

 

milonga.jpg

 

 

Há uma diferença substancial entre chegar atrasado e programar um atraso e André Ventura não chegou atrasado ao Parlamento, André Ventura atrasou-se para a coreografia a transmitir pelos telejornais e para a qual contou com a prestimosa colaboração de Ana Rita Bessa, deputada eleita pelo CDS, que ensaiou uma espécie de milonga [na imagem] no breve 'raspanço' entre cadeiras . É desrespeitoso para o voto popular e para a casa da democracia, que bastas vezes não se dá ao respeito, mas é um desrespeito "criativo" da parte do deputado eleito pelo Chega. Habituem-se.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A pergunta do dia

por josé simões, em 25.10.19

 

pinochet.jpg

 

 

Hoje é o dia em que os jornalistas com lugar cativo na Assembleia da República tiram o dia para passar rasteiras aos deputados maçaricos do PCP sobre o multipartidarismo na ex-URSS, a democracia na Coreia do Norte, o Estado social na China ou o sindicalismo no antigo "bloco de leste", para gáudio do pagode e conversas em modo anedota que se prolongam por décadas, assim haja memória.

 

Hoje é o dia em que os jornalistas com lugar cativo na Assembleia da República vão tirar o dia para perguntar ao deputado eleito pelo Iniciativa Liberal sobre a democracia, os direitos humanos, as liberdades e garantias no Chile, e nem sequer é preciso recuar até aos rapazes do Milton Friedman em Santiago, onde chovia sobre o multipartidarismo e o cadáver de Allende.