Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

E António Costa, como é que quer ficar para a história?

por josé simões, em 21.10.21

 

in memoriam.jpg

 

 

E António Costa, como é quer ficar para a história, como o político que pela primeira vez conseguiu unir a esquerda ou como o homem que entregou o poder à direita para desmantelar de vez aquilo que resta do Estado social?

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 20.09.21

 

CLOWNS Soapy 1966.jpg

 

 

 

António Costa acusa a Galp de "irresponsabilidade" e "insensibilidade social".
O secretário-geral do PS fez duras críticas ao processo de encerramento da refinaria de Matosinhos.

 

António Costa diz que "é difícil imaginar tanto disparate e tanta asneira".

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A opera buffa do PS

por josé simões, em 28.08.21

 

Alessandro_Scarlatti.jpg

 

 

O maravilhoso não foi António Costa, qual Kim Il-sung, ter indicado uma sucessora, o maravilhoso foi a sucessora indicada, Marina Vieira da Silva, à chegada ao congresso não se ter demarcado indubitavelmente da nomeação.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A oportunidade faz o oportunista

por josé simões, em 10.08.21

 

AP Photo-Victor Caivano.jpeg

 

 

Com a total desregulação da agricultura intensiva e com a introdução de espécies alienígenas no Alqueva "António Costa diz que alerta da ONU confirma "acerto da prioridade estratégica" do Governo".

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Tratado de acção política para totós

por josé simões, em 30.07.21

 

Frank Moth.jpg

 

 

Uma semana depois de ter estado em Portalegre, na qualidade de secretário-geral do Partido Socialista, onde garantiu que existem “as verbas necessárias para fazer a barragem do Pisão”, António Costa regressa ao distrito alentejano, que apenas elege dois deputados, para “honrar” a palavra dada, mas agora como primeiro-ministro.

 

Quarenta e sete anos depois do 25 de Abril, e quarenta e cinco a contar das primeiras eleições autárquicas livres e democráticas, este modo de fazer política ainda funciona?

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

As coisas como elas são

por josé simões, em 06.04.21

 

Kristian Jones.jpg

Na véspera o moço de recados da Presidência tinha aparecido na avença semanal que tem na televisão do militante n.º 1 a acusar António Costa de afrontar e tentar condicionar o Presidente da República, no dia a seguir "Marcelo ouve especialistas sobre aplicação da “bazuca” europeia". "Condicionar", dizem eles.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

É o que temos

por josé simões, em 01.04.21

 

Marcelo.jpg

 

 

Acordamos com as primeiras páginas "Costa enfrenta Marcelo", "Costa desafia Marcelo", lá dentro, no Público, "Costa não obedece a Marcelo" [verdade] quando, independentemente da urgência e da justeza dos apoios por que esperam 130 mil desesperados compatriotas nossos com a corda na garganta e um túnel ao fundo da luz, isso será julgado no dia das eleições, a verdade é que "Marcelo enfrentou a Constituição", "Marcelo desafiou a Constituição", "Marcelo não obedece à Constituição" que juro defender e fazer cumprir. Estas seriam as letras gordas, verdadeiras, a ilustrar primeiras páginas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

"Os accionistas da EDP precisavam de conversar consigo!"

por josé simões, em 17.03.21

 

 

 

António Costa podia ter sacudido para longe e metido tudo na ordem, preferiu carregar a suspeição em cima das costas. São opções.

 

 

 

 

Enquanto o pau vai e vem folgam as costas

por josé simões, em 11.03.21

 

x.jpg

 

 

Marcelo, que não perde uma oportunidade para se meter à frente, nem que para isso a tenha de a criar, e não estamos propriamente a falar em meter-se à frente da câmara do telemóvel, desta vez não perorou ao país. Como diz o povo, entrou mudo e saiu calado. O pau já foi, mas há-de voltar. António Costa que se prepare.

 

[Na imagem, com link, a próxima apresentação de António Costa depois da volta do pau]

 

 

 

 

Tudo farinha do mesmo saco

por josé simões, em 05.03.21

 

kkk.jpg

 

 

Um é o líder de um partido que pede o confinamento de etnias, a deportação de cidadãos nacionais, intimida professores através da exposição pública da sua identidade, ameaça jornalistas.

 

António Costa a repetir o mantra que a direita radical usa, equivaler Ventura a Mamadou para desculpabilizar o primeiro.

 

Nem André Ventura nem Mamadou Ba representam aquilo que é o sentimento da generalidade do país. Felizmente

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O circo nunca acaba

por josé simões, em 17.12.20

 

costa zaragatoa.jpg

 

 

Se Emmanuel Macron não não tivesse testado positivo a foto de António Costa no teste à Covid-19 tinha aparecido, logo nas horas seguintes, ainda dentro do período de incubação, como nunca apareceram fotos a anteceder todas as viagens que o primeiro-ministro efectuou ao estrangeiro?

 

 

 

 

"A pão e água", dizem eles

por josé simões, em 03.12.20

 

glen martin.jpg

 

 

Para aqueles que acham que o "a pão e água" tem alguma coisa a ver com a [justa] reivindicação da indústria hoteleira e restauração, a ser negociada com o Governo pelas respectivas organizações representativas.

 

"Isto é o pior fascismo de regra que conheci. Tivemos um filho da p*** assim na Jugoslávia há 17 anos, passámos 21 dias de fome e derrubámos o filho da p*** do ditador do Milosevic. Isto também tem de cair".

 

Quebra mas não parte: Ljubomir Stanisic sai do hospital, volta para a greve de fome e compara Costa a ditador jugoslavo

 

E depois de terem recebido com aplausos o Ventas do Chaga numa manif convocada para o Rossio que se dizia apartidária,  ainda se dão ao luxo de gozar com todos os portugueses que sofreram 48 anos de fascismo na pele.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Num mundo perfeito

por josé simões, em 27.11.20

 

Sem Título.jpg

 

 

Num mundo perfeito Pedro Passos Coelho tinha telefonado a Christine Lagarde e agora tínhamos o @psocialista em peso, mais os avençados e ilhas adjacentes, em pé de guerra nas "redes" e no comentário televisivo, contra a subserviência do poder político ao poder económico e a uma tecnocrata nomeada por interesses mais ou menos obscuros, enquanto ignora a Constituição de um país soberano e as decisões saídas de um Parlamento eleito em eleições livres e democráticas.

 

[António Costa no Twitter]

 

 

 

 

Ano 46 depois do 26 de Abril

por josé simões, em 21.11.20

 

salazar.jpg

 

 

Logo após António Costa ter anunciado as novas medidas contra a Covid 19, Bernardo Ferrão, alegado sub-director da SIC Notícias, aparece na televisão do militante n.º 1 a acusar o primeiro-ministro de se escudar na Lei, es - cu - dar - na - Lei. Ainda o Ferrão estava deslumbrado com a profundidade da sua análise já Rui Rio estava a dar à unha no Twitter, a tresler a Lei, de forma a que fosse proibido, por Lei, o Congresso dos comunistas a realizar no mesmo dia em que o seu colega do Chaga reúne o Conselho Nacional em concelho de risco muito elevado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O estado da Nação, II

por josé simões, em 27.10.20

 

DANA WYSE.jpg

 

 

Malgrado a barragem de propaganda nos media, pela opinião publicada e falada nas duas semanas que antecederam o debate do Orçamento do Estado, no sentido de atribuir a culpa de uma hipotética crise política ao Bloco de Esquerda, os 30 minutos do discurso de abertura de António Costa são gastos, que é diferente de usados, a justificar-se.

 

[Imagem]

 

O estado da Nação, Capítulo I