Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 09.03.20

 

The clown Maïss - Louis Maisse - c.1945.jpg

 

 

Quero felicitar o Senhor Presidente da República neste 4º aniversário da sua tomada de posse, com votos de que o ano que agora se inicia seja assinalado pelo mesmo nível de sucesso, aproveitando para o congratular pelos resultados negativos nas análises de saúde hoje efetuadas.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Histórias de generais

por josé simões, em 06.03.20

 

John Lesh, member of Minneapolis Volunteer Fire Company, 1890 (1).jpg

 

 

António Costa disse que "não se mudam generais a meio de uma batalha". Coisa que Estaline fazia amiúde, substituindo-os por comissários políticos. Logo no dia a seguir Costa substituiu um general por um comissário político.

Estaline ganhou a guerra porque a inépcia do comissariado político era compensada pelos milhões de soviéticos que mandava para a frente das balas. Como António Costa não é Estaline, e o voluntarismo dentro de portas não passa pelo espírito de uma "Grande Guerra da Pátria", a questão que se coloca é se temos milhões para mandar para a frente do comissário político de Costa que substituiu o general.

 

[Imagem "John Lesh, member of Minneapolis Volunteer Fire Company, 1890", autor desconhecido]

 

 

 

 

Estranha concepção de democracia...

por josé simões, em 04.03.20

 

stalin1.jpg

 

 

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta quarta-feira que "não é legítimo" que qualquer município limite projectos de interesse nacional

 

Não há maior legitimidade em democracia do que a das populações decidirem, directamente ou por interposta pessoa - o poder autárquico eleito, o que é do seu interesse e bater o pé ao poder do Estado central, se for caso disso, e no caso da prepotência de um Estado que decide primeiro e pergunta depois ao invés de encontrar alternativas e negociar soluções. O que é que António Costa vai fazer a seguir, obrigar as populações a trabalhar na construção do aeroporto e depois deportá-las para [re]povoar as Beiras ou o interior de Trás-os-Montes?

 

 

 

 

António Costa a fazer-se desentendido

por josé simões, em 27.02.20

 

Whitley-Bay-Markéta-Luskačová.jpg

 

 

Existe o "Plano A", o aeroporto em Alcochete, consensual no país e nas autarquias da Península de Setúbal, as do PS incluídas, até o PS lhes dar ordens para tomarem posição pelo aeroporto no Montijo, o tal inventado pelo governo da troika Passos Coelho/ Paulo Portas, para que não se dissesse que iam recuperar uma obra do Sócras, o esbanjador, o endividador, aproveitado pelo PS de António Costa, porque José Sócrates ainda tem peçonha na história recente do partido e porque a Vinci assim o quer.

 

António Costa a fazer-se desentendido: "António Costa está "perplexo" com a posição do PSD sobre o aeroporto do Montijo porque foi o Governo de Passos Coelho, que tomou a decisão de construir aí o novo aeroporto. O Primeiro-Ministro apela ao sentido de responsabilidade e garante que não há plano B".

 

[Imagem]

 

 

 

 

"Coligação negativa"

por josé simões, em 15.02.20

 

carlos silva ugt.jpg

 

 

Como reconhecimento público da sua dedicação em defesa dos direitos do trabalho e dos trabalhadores irei sugerir ao Senhor Presidente da República que promova a condecoração de Arménio Carlos, pelos serviços meritórios praticados nestas funções.

 

[Imagem]

 

 

 

 

E dura, dura, dura...

por josé simões, em 14.02.20

 

duracell (1).jpg

 

 

"Carlos Alexandre quer Supremo a avaliar alegada violação do segredo de Justiça de António Costa"

 

O juiz decidiu remeter para o MP no Supremo uma certidão neste âmbito depois de a Procuradora de primeira instância lhe ter dito que não tinha competência nesta matéria [...]

 

Violação do segredo de justiça é quando o meritíssimo quiser. Ou era. Ou o excelentíssimo senhor juiz ainda não percebeu o que [lhe] aconteceu com este gesto simples de António Costa a estragar uma carrada de primeiras páginas ao Correio da Manha [sem til] e a pôr fim, ainda antes de começar, ao queimar em lume brando das insinuações e julgamentos na praça pública, ou percebeu e ensaia uma fuga para a frente. O que com toda a certeza não percebeu é que isto cansa, que as pessoas começam a ficar fartas.

 

 

 

 

O circo nunca acaba

por josé simões, em 05.02.20

 

Marion Peck.jpg

 

 

O juiz que um par de horas depois de ter feito 100 perguntas por escrito a António Costa as tinha escarrapachadas em todos os telejornais e nos jornais online é o mesmo juiz que informou os jornais e as televisões que resolveu colocar nas mãos do Ministério Público a decisão de abrir um inquérito contra o primeiro-ministro, António Costa, por violação do segredo de justiça por ter divulgado no site oficial do governo as respostas que deu ao tribunal.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Quando o primeiro-ministro goza com os cidadãos

por josé simões, em 03.02.20

 

Sem Título (3).jpg

 

 

Quando o Partido Socialista em 2013, na oposição e em pleno consulado da troika, propõe a descida do IVA da electricidade de de 23% para 13% e, chegado ao Governo, uma das primeiras medidas que toma é baixar o IVA da restauração em 2016, na exacta percentagem dos 23% para 13% que anos antes tinha proposto para a electricidade, causando um prejuízo ao Estado avaliado em 385, 3 milhões de euros, e que chegado 2020, quatro anos depois, com o boom do turismo e  o aumento de volume de negócios que a restauração teve, opta por manter o IVA, de um bem não essencial, tal e qual como está, em prejuízo de um bem de primeira necessidade - a electricidade. Governar é feito na base de opções, o primeiro-ministro e o Partido Socialista escusavam era de gozar com os cidadãos, além de feio paga-se caro nas urnas.

 

[Na imagem print screen da conta Twitter do PS]

 

 

 

 

Da credibilidade da justiça

por josé simões, em 28.01.20

 

 

 

Na impossibilidade de depoimento presencial, com suporte vídeo e audio para posteriormente fazer chegar aos media tablóide e passar em repeat na televisão do Correio da Manha [sem til] até ao julgamento e condenação na praça pública no grande circo da justiça,  apareceu a lista das perguntas "a que a RTP teve acesso" e "a que a SIC teve acesso". Segue-se o tradicional "o Ministério Pública suspeita".

 

[Imagem "Judges" by Jerrold Litvinenko]

 

 

 

 

O circo da justiça

por josé simões, em 08.01.20

 

 

Fugas cirúrgicas ao segredo de justiça. Gravações de audio e imagem dos inquéritos nas televisões e nas rádios. Primeiras páginas assassinas no Correio da Manha [sem til]. Promiscuidade total entre a justiça e os tablóides, escritos e televisivos. Tudo é sempre "o Ministério Público acredita" nunca há um "o Ministério Público tem provas". Para quê se o julgamento é feito na praça pública? Dito de outra forma, se é uma questão de fé, de acreditar, uma fezada sem provas, mais vale julgar e condenar na abertura do telejornal e na primeira página do jornal. Chama-se "assassinato de carácter". No faroeste metiam alcatrão e penas também.

 

«O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal não aceita que o primeiro-ministro deponha por escrito como testemunha do processo de Tancos e cita a lei: "As decisões dos tribunais são obrigatórias para todas as entidades públicas e privadas e prevalecem sobre as de quaisquer outras autoridades."»

 

Tancos: Carlos Alexandre insiste em ouvir António Costa presencialmente

 

 

 

 

Isto é para levar a sério?

por josé simões, em 26.12.19

 

Federico Fellini on the set of Satyricon, phorographed by Mary Ellen Mark, 1969 (1).jpg

 

 

Depois do "ministro" [entre aspas] do Ambiente ter vindo anunciar o desassoreamento do Mondego para evitar as cheias que lhe proporcionaram cinco dias depois ter vindo anunciar  a recuperação dos diques no prazo de dois meses, António Costa, que tem uma paixão pela saúde, veio ele próprio anunciar o desassoreamento do Serviço Nacional de Saúde, num caso peculiar de primeiro-ministro do Estado laico a fazer "mensagens de Natal", primeiro ao eleitores e depois aos cidadãos. António Costa tem a noção de que mais tarde ou mais cedo a direita vai regressar ao poder e que estes exercícios manhosos de propaganda manhosa são o grão a grão que enche o papo dos eleitores, até à saturação que inevitavelmente há-de dar uma sapatada no PS para entregar o poder de mão-beijada a quem vai acabar por concluir o longo processo de desmantelamento do SNS em prol do negócio da saúde privado? É assim que as coisas funcionam, a entrega da guarda da capoeira à raposa, já deviam estar avisados por um governo de Passos Coelho, do empobrecimento geral na "ida ao pote", a seguir a um governo PS. E bem podem berrar pelo "pai António Arnaut" e pela "herança", metida na gaveta depois do upgrade feito a meias com António Semedo, que o pote é para rapar até ao fim.

 

[Na imagem Federico Fellini on the set of Satyricon, phorographed by Mary Ellen Mark, 1969]

 

 

 

 

"Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo", vox pop

por josé simões, em 29.11.19

 

trapezista (5).jpg

 

 

No dia 8 de Novembro o primeiro-ministro António Costa aparece na pele de líder do PS perante militantes socialistas da Federação da Área Urbana de Lisboa a "defender mais justiça na repartição dos ganhos do crescimento entre empresas e trabalhadores e que o nível do salário médio deve atingir o nível registado antes da crise de 2010".

 

No dia 27 de Novembro, 19 dias depois, Siza Vieira, o ministro da Economia do Governo do líder do PS, António Costa, vai à câmara alta não eleita do Parlamento, a Concertação Social, dar aos patrões o referencial de 2, 7% de aumento salarial para o ano de 2020, abaixo do que já está a ser negociado em algumas empresas, e quando para atingir a meta proposta por António Costa ao país a fingir que falava para aos militantes os salários só recuperaram para valores pré-crise com subida de 4%.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Ser de esquerda dá trabalho

por josé simões, em 07.11.19

 

orelhas de burro (2).jpg

 

 

António Costa, artista da rádio e da televisão, a enaltecer os méritos e a virtude de trabalhar de borla... err... do voluntariado e a dar como exemplo o ministro da educação na Expo 98 e os milhões que gera para os bolsos do Cosgrave, do Covões, do Montez, e da Medina filha, as outras Expos privadas desta vida. Muito bom. Trabalhar de borla. Um gajo de esquerda. Que se diz de esquerda. Não lhe ocorreu dar a Festa do Avante! como exemplo. Fica para a próxima. E os estagiários, uns porque estão habituados ao "voluntariado", outros porque estão habituados a deixar o cérebro em casa, caladinhos de microfone esticado e sorriso imbecil na cara. Ser de esquerda dá trabalho.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Primeiro dia, véspera de Halloween

por josé simões, em 30.10.19

 

British prime minister Margaret Thatcher covering her face with her hand at the 1985 Conservative Party Conference.jpg

 

 

"É muito bom que esteja aqui alguém que se diga assumidamente liberal porque já estamos um bocado cansados daqueles que são envergonhadamente liberais e se vão disfarçando como sendo sociais-democratas. Finalmente o PSD tem alguém autenticamente liberal em quem se pode rever nesta Assembleia da República"

 

António Costa, primeiro-ministro, na resposta à interpelação do deputado do Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, no primeiro dia de debate do programa do XXII Governo Constitucional.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Largo do Rato, século XXI

por josé simões, em 16.10.19

 

XII Governo PS.jpg

 

 

               O Rei Sol, o Querído Líder, Kim Jong-Costa. Largo do Rato, século XXI.

 

[Imagem]