Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"O vírus mortal do socialismo"

por josé simões, em 29.01.23

 

nazi poster.jpg

 

 

Foi praxis dos totalitarismo do séc. XX, o nazi e o soviético-estalinista, desumanizar o outro, o adversário político e o adversário dentro do próprio partido, no caso soviético, de forma a que depois já "inimigo" fosse aceitável a sua punição, o seu extermínio aos olhos da população. "Parasita", "Insecto", "Rastejante", "Verme", "Rato", "Vírus".

 

Ventura diz que Chega "é a única cura” contra o “vírus mortal” do socialismo

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O partido do taberneiro com os bêbados ao balcão

por josé simões, em 11.01.23

 

1.jpg

 

 

Recorrer do adjectivo "reles" com referência a adversário político é substantivo de quem o profere, o mais baixo actor político da história da democracia. Confrontar e atacar constantemente tudo o que respira para se calimerizar, de Calimero, vítima de confrontação e ataque constante, quando nem sequer a 3.ª Lei de Newton entra na equação. Stor, o Bloco é que teve a ideia mas nós chegámos primeiro, mi-mi-mi. O partido do taberneiro com os bêbados ao balcão.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O Xamã de S. Bento

por josé simões, em 09.01.23

 

xama.jpg

 

 

O Ventas que "elogia a frescura de pensamento de Bolsonaro" é o Ventas que se insurge contra o tempo de antena dado ao ex-presidiário Lula, o mesmo Ventas que prestou “sentida homenagem” a camionista que liderou o bloqueio da ponte 25 de Abril e foi condenado por tráfico de droga agravado, o tal Ventas que declarou apoio incondicional a Bolsonaro, para depois lamentar a vitória do corrupto e ex-presidiário Lula, que não se chama nem Jaime nem Pinho nem consta que tenha passado sem pagar ou sequer bloqueado a 25 de Abril; o Ventas que, com o cu apertado pelas merdas que diz da boca para fora e a fazer fé na fraca memória, vem condenar o ataque ao Palácio do Planalto em Brasília pelos alucinados do camarada Bolsonaro, porque de repente, a atenunate ao crime contra o Estado de direito democrático, se vêem governados por um bandido ex-presidiário, que não bloqueou a 25 de Abril e por isso não é digno de homenagem da parte do Ventas. E o Ventas disse isto tudo e foi o único dirigente político a dizê-lo e a ter tempo de antena na televisão do militante n.º 1, a SIC Notícias.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O barómetro

por josé simões, em 18.10.22

 

fasci lavoro.jpg

 

 

Diz que o Chaga vai inventar uma "federação sindical de direita" com "áreas-chave" como "as polícias, os professores, os quadros da administração pública, os profissionais de saúde e os profissionais de segurança". Vai servir essencialmente para se perceber até onde chegou a desistência da esquerda que é o campo onde o fascismo prospera, deixado livre por falta de comparência, falta de respostas, perda de ligação à base provocada pelo sindicalismo profissional e profissionalizado, dirigido a partir de cima por "centralismos democráticos" variados, nunca como resultado da decadência do capitalismo e estádio avançado do imperialismo e outras tretas que tais papagueadas desde 1919. Foi assim no início do século XIX em Espanha, França, Itália, com a passagem de milhares de comunistas, anarquistas, anarco-sindicalistas, da esquerda para a Falange, os Fasci di combattimento, ou Jacques Doriot, directamente do Partido Comunista Francês para a fundação do Partie Populaire Français. De fascismo percebe o nojeira Pinto, o advogado de Salazar nos Grandes Tugas que não gosta de aparecer em fotos ao lado do Ventas. É aguardar para ver quem aprendeu alguma coisa com as lições da História.

 

 

 

 

"Por acaso foi uma ideia minha"

por josé simões, em 30.09.22

 

passos_.jpg

 

 

O processo de aceitação e normalização da extrema-direita em curso, por iniciativa daquele que reclama Passos como nome para o seu passado, está a correr como previsto, se as legislativas fossem hoje o PSD ficava onde estava com Rui Rio, nos 28%, e o partido do ex-camarada de partido subia quatro pontos, para os 11%. Como diria Passos, o passado reclamado, "por acaso foi uma ideia minha".

 

 

 

 

A superioridade moral do "novo" PSD

por josé simões, em 29.09.22

 

scott scheidly.png

 

 

A superioridade moral do "novo" PSD, como se intitulou a tralha passista recauchutada à roda de Luís Montenegro, e rapidamente papagueado por toda a comunicação social, camarada e amiga, não lhe permite dizer "o PS governou com a extrema-esquerda mas nós não vamos governar com a extrema-direita porque temos princípios e somos moralmente superiores". É precisamente o contrário, legitimam a extrema-direita invocando uma pretensa "extrema-esquerda". Sabem muito.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Populismo para totós

por josé simões, em 28.09.22

 

Вадим Соловьёв.jpg

 

 

O gajo, o doutor gajo, que passa a vida a arengar os 3,8% de ciganos beneficiários do rendimento mínimo tem o partido financiado pelos 1% beneficiários do rendimento máximo garantido.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Os Malucos do Riso

por josé simões, em 30.08.22

 

chega.jpg

 

 

Os Malucos do Riso

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O idiota útil

por josé simões, em 22.08.22

 

Otto Stupakoff 1963.jpg

 

 

O idiota útil deixou de ser... útil. Agora é uma questão de tempo até deixar a cadeira no Parlamento.

 

O deputado Gabriel Mithá Ribeiro apresentou a demissão da vice-presidência do Chega. A renúncia surge após ter sido afastado do cargo de coordenador do gabinete de estudos do partido, que passa agora a ser assumido "provisoriamente e com efeitos imediatos" por André Ventura

 

[Imagem de Otto Stupakoff]

 

 

 

 

Os labirintos do Chaga

por josé simões, em 16.08.22

 

ventura.jpeg

 

 

Diz o jornal que não vende, especializado em venturices, que o Chaga vai apresentar uma federação sindical, em território comunista e socialista, para roubar a rua e o protagonismo aos comunistas e socialistas. O resto é História, do triunfo dos fascismos, quando a esquerda e o movimento sindical de esquerda desistiram da rua, do trabalho, da vida das pessoas, ou se embrenhou em discussões e lutas estéreis sobre merdas, é este o termo exacto, que lhe eram alheias. Quem quiser investir 35 paus e abdicar de passar umas horas por dia no Twitter e Facebook em discussões e lutas estéreis sobre merdas, o João Bernardo, sem nunca sair das primeiras décadas do século XX, explica este "novo" sindicato a nascer no séc. XXI.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

His Master's Voice

por josé simões, em 21.07.22

 

ventríloco.png

 

 

O Ventas e o Chaga não são contra a imigração, o Ventas e o Chaga são contra a imigração legalizada, aqueles que vêm para o nosso país à procura de melhor qualidade de vida, para si e para os seus, a qualidade que não encontram no país de origem, tal e qual a diáspora portuguesa desde sempre, aqueles que trabalham mais do que lhes é exigido sem respingar, aqueles que descontam e pagam impostos e contribuem para a sustentabilidade da Segurança Social. O Ventas e o Chaga, na sua cruzada contra a imigração, o que pretendem é que Portugal seja uma imensa estufa em Odemira, um olival em Beja, um amendoal no Alqueva, de trabalho escravo, sem direitos nem garantias, de mais-valia absoluta para o empregador, os financiadores anónimos do Chaga.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

O ataque à democracia

por josé simões, em 11.07.22

 

hitler mickey.jpg

 

 

Não é nenhum burro e muito menos um matacão, é licenciado em Direito, com 19 valores, e doutorado em Direito Público, sabe antecipadamente que os projectos que insiste em submeter a discussão serão vetados por manifesta inconstitucionalidade, mas insiste e insiste e insiste e voltará a insistir. O paladino da verdade e da justiça, interprete do sentir do povo, contra a corrupção e a imoralidade. Intruja e charlatão que é joga com a genuína indignação da iliteracia jurídica dos pobres de espírito, aqueles que acreditam piamente naquilo que apregoa. É um jogo jogado em duas frentes, a sua, a do conteúdo para atingir a forma, a dos aios e escudeiros, apenas meia dúzia de degraus acima da turba na capacidade de raciocínio e interpretação, mascarados de intelectualidade no chorrilho de salamaleques de escrita, no ataque à forma para destruírem o conteúdo.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Estas coisas não se inventam

por josé simões, em 07.07.22

 

hitler_ scott scheidly.png

 

 

O partido homofóbico, "Cerca de duas horas antes, logo após o arranque do debate desta quarta-feira na Assembleia da República, um outro apelo: “Precisamos da vossa ajuda. A imagem do André que hoje foi partilhada tem na descrição uma hashtag #orgulho. Infelizmente, o Facebook e o Instagram transformam automaticamente a #orgulho com as cores LGBTI. Peço-vos, por isso, e com urgência, que procedam à alteração nas vossas respetivas páginas distritais e concelhias: #orgulho passa a ser #orgulhoemserchega", termina a apresentação do "espasmo de aflição política" com o deputado Pedro Pinto a citar António Variações. Estas coisas não se inventam.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O pai da criança

por josé simões, em 04.07.22

 

Sem Título.png

 

 

Luís Montenegro, no congresso do PSD, a lamentar o desinvestimento socialista na saúde e escola pública e a criticar o estado lastimoso em que o PS meteu o Serviço Nacional de Saúde e a educação, enquanto por dentro rejubila com o meio caminho andado para a privatização do que resta caso chegue um dia a primeiro-ministro, implícito no discurso do Estado que atrapalha a iniciativa privada e no "preconceito ideológico".

André Ventura com a mesma lengalenga do pai da criança, Passos Coelho nos idos do Governo da troika com Vítor Gaspar sentado à direita, do valor miserável do subsídio de desemprego e RSI que era urgente reduzir, no montante a pagar e na duração temporal, para obrigar os calaceiros e manhosos, que involuntariamente se viram na situação de desempregados, a procurarem os empregos que não havia por causa das milhares de falências de empresas e negócios no ajustamento de "ir além da troika", e a aceitarem por qualquer preço o que lhes aparecia pela frente. Ou na redução da indemnização a pagar pelos patrões, ainda assim não surgisse uma vaga de novos milionários à sombra da bananeira. Um diz que o passado se chama Passos, outro o que diz remete para Passos. 

 

Mas quem será? mas quem será? mas quem será? O pai da criança, eu sei lá, sei lá, eu sei lá, sei lá

 

[Link na imagem print screen da conta Twitter do Ventas do Chaga]

 

 

 

 

A televisão do militante número 1 e a normaliação do fascismo

por josé simões, em 23.03.22

 

psp.jpg

 

 

Um polícia é assassinado à pancada por fuzileiros numa rixa na porta de uma discoteca, deixando André Ventura e o Chega, mais rápidos que a própria sombra quando se trata de ciganos, entalados num silêncio de 48 horas, só quebrado com um lacónico não-me-comprometo-que-isto-envolve-polícia-e-forças-armadas-e-logo-fico-desarmado-no-nicho-de-mercado-com-qualquer-coisa-que-diga "Manifesto à família e aos colegas as minhas profundas condolências. Enorme tristeza de um acontecimento como este, sem qualquer sentido ou racionalidade. Deixo também à PSP a minha total solidariedade" recebendo como recompensa uma reportagem na televisão do militante n.º 1 - SIC Notícias, onde se insinua o PSP ligado aos "portugueses de bem" e ao partido que vai pôr ordem nesta merda. Muito mau.