Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Enquanto andamos todos entretidos com o futebol

por josé simões, em 18.05.18

 

William Cox.jpg

 

 

Governo aprova furo de petróleo em Aljezur e dispensa estudo de impacto ambiental.

 

[Imagem de William Cox]

 

 

 

 

Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 17.05.18

 

 

ng (1).jpg

 

 

A capa da National Geographic.

 

 

 

 

E o juiz não ter citado a Bíblia no acordão já é um avanço civilizacional

por josé simões, em 29.03.18

 

 

 

[...] a empresa de celulose situada em Vila Velha de Ródão (distrito de Castelo Branco) recorreu judicialmente dos dois processos já decididos administrativamente, sendo que num deles lhe foi aplicada uma coima de 12.500 euros e no outro, ainda a aguardar decisão do Tribunal, de 48.000 euros.

 

No caso da coima de 12.500 euros, o Tribunal reduziu esse valor para 6.000 euros "e decidiu substituir o pagamento da coima por uma admoestação, ou seja, por uma repreensão escrita.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O bolso do contribuinte é um poço sem fundo

por josé simões, em 14.03.18

 

Hillerbrand + Magsamen, Ophelia, from the series ‘Higher Ground,’ 2012.jpg

 

 

250 mil € do contribuinte, meio milhão, contas da autarquia, para reparar estragos provocados pelo mau tempo no Algarve, das câmaras, como não há igual no país, que embolsaram milhões de euros em sisas e licenças de construção em dunas e falésias e ribeiras e linhas de água e alterações ao PDM, que permitiram urbanizações em zonas de Reserva Ecológica e Reserva Agrícola Nacional, primeiras vítimas das intempéries.

 

Quando toca a mais-valias é toda uma clique que gravita à roda do centrão ligado ao poder democrático autárquico, quando toca ao prejuízo a rifa sai sempre ao suspeito do costume, o constituinte., É isto, não é?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Não tira selfies quem quer, tira quem pode

por josé simões, em 29.01.18

 

Marcelo.jpg

 

 

Não se pedia a Marcelo, Presidente, que fosse mergulhar no Açude de Abrantes, mas pelo menos uma selfie com os desgraçados que andam a catar espuma para os camiões cisternas. Pelo menos isso.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 25.01.18

 

mr_bingstagram.jpg

 

 

Ver os deputados Duarte Marques, do PSD, e Patrícia Fonseca, do CDS, da maioria parlamentar de suporte ao Governo da direita radical que entregou a pasta do ambiente à agricultura de Assunção Cristas do CDS, da eucaliptização por cima da biodiversidade, do ordenamento do território e da Reserva Agrícola Nacional, "isso depois logo se vê"; da maioria parlamentar de suporte ao Governo da direita radical que entregou a pasta do ambiente à economia de Pires de Lima do CDS, da celulose e da pasta de papel, em nome da recuperação, do crescimento económico e da criação de emprego – directo e indirecto, propagandeado primeiro, nunca contabilizado e confirmado depois; da bancada parlamentar de suporte ao Governo da direita radical que bloqueou todas as acções inspectivas ambientais em nome da racionalização de custos e meios e de cortar fatias de gordura ao Estado – o celebérrimo fazer mais com menos; Duarte Marques, do PSD, e Patrícia Fonseca, do CDS, agora na bancada parlamentar da oposição preocupados com a poluição no Tejo, das descargas das celuloses e de outras criações de riqueza avulso. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Acho que nem assim percebem

por josé simões, em 15.11.17

 

1 (6).jpg

 

 

2 (6).jpg

 

 

3 (7).jpg

 

 

luzinterruptus highlights the threat of plastic waste with bordeaux façade installation

 

 

 

 

O eucalipto bom

por josé simões, em 02.11.17

 

 

 

Desde a entrada em vigor do Regime Jurídico das Acções de Arborização e Rearborização — a que os críticos chamam a “lei que liberaliza a plantação de eucaliptos” —, em Outubro de 2013, a área ocupada por esta espécie exótica em Portugal registou um aumento próximo da superfície da cidade de Lisboa: quase 10 mil hectares.

 

Na gestão de Passos Coelho autorizaram-se 43% de novas plantações enquanto o Governo de António Costa é responsável pelos restantes 57%.

 

[Imagem]

 

 

 

 

"À meia volta"

por josé simões, em 16.10.17

 

Adriano Miranda, Vouzela.jpg

 

 

Sintomático que os distritos mais afectados pela tragédia dos incêndios no Anno Domini 2017, devido à desertificação do território e à falta de uma exploração sustentada da terra e do meio ambiente, por via das Políticas Agrícolas Comuns assinadas a troco de 30 dinheiros para abate e abandono, convertidos em casario, barcos, parque automóvel e no deixar crescer do eucalipto, tenham sido aqueles onde Cavaco Silva teve as mais expressivas maiorias absolutas.

 

[Imagem "Ventosa, Vouzela, 16 de Outubro de 2017", Adriano Miranda]

 

 

 

 

A perversão da natureza

por josé simões, em 08.10.17

 

crowded-cities-crowbar-start-up-cigarettes.jpg

 

 

É mais fácil ensinar um ser humano a não atirar pontas de cigarro para o chão ou um corvo a apanhar beatas da via pública?

 

 

 

 

An area of trash equivalent to the size of France floating in the North Pacific Ocean

por josé simões, em 18.09.17

 

1.jpg

 

2.jpg

 

3 (1).jpg

 

4.jpg

 

5.jpg

 

 

The campaign to recognise a country-sized pile of trash as an official nation

 

 

 

 

Preocupações

por josé simões, em 21.06.17

 

A dead deer lays on the roadside in an area affect

 

 

A nós preocupa-nos o topete, o descaramento, a falta de vergonha de todos os governantes, para o caso do PSD, com passagens pela Agricultura, Indústria, Ambiente e Administração Interna, entretidos em desregular e desmantelar o património natural e ambiental comum em benefício de interesses privados para onde posteriormente transitaram acabada a comissão de serviço no Governo. Missão cumprida.

 

PSD preocupado com a "descoordenação" no combate às chamas

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Porquê?

por josé simões, em 19.06.17

 

publico.jpg

 

 

Porque é que andamos há décadas a massificar a floresta de eucalipto - o "ouro verde" como alguém um dia teve o desplante de a baptizar, destruindo a Reserva Ecológica Nacional, reduzindo a Reserva Agrícola Nacional - património natural e ambiental comum, fomentando a desertificação e os desequilíbrios ecológicos em nome do crescimento económico e da criação de riqueza? Para quem e para quantos?

 

Porque é que andamos há décadas a apostar e promover a indústria das celuloses - que se alimenta da massificação do eucalipto, em nome da criação de emprego - quantos, alguém já se dedicou a esta contabilidade? Em nome da criação de riqueza - Para quem e para quantos, alguém já efectuou este balanço? Em nome do crescimento económico - compensa ao Estado o investimento do dinheiro dos impostos dos contribuintes na indústria dos incêndios para garantir recheadas as contas bancárias dos accionistas e patrões das celuloses e dos industriais do eucalipto? Compensa em vidas humanas perdidas e famílias destruídas?

 

Porquê?

 

 

 

 

...

por josé simões, em 02.06.17

 

Francesco Bongiorni.jpg

 

 

[Francesco Bongiorni]

 

 

 

 

 

Com o tiro de partida dado por José Sócrates primeiro-ministro

por josé simões, em 15.01.17

 

lamanga-spain.jpg

 

 

Começa o saque ao património natural e ambiental comum:


Está dada licença para construir no litoral alentejano


Critérios utilizados na delimitação da Reserva Ecológica Nacional nos concelhos de Alcácer do Sal e Grândola reduziram a área demarcada aos leitos e margens dos cursos de água e a uma faixa muito restrita da zona litoral, deixando lacunas graves nas zonas de recarga de aquíferos.

 

 

benidorm-spain.png

 


[Na imagem o antes e depois em Espanha]