Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Nascer do nada

por josé simões, em 23.05.08

 

Se todos concertarmos esforços em torno de uma mesma ideia, ela – a ideia – ganha mais força; dizia-me repetidamente um professor de quem já não recordo o nome. Uma variante da célebre “uma mentira várias vezes repetida transforma-se numa verdade”.

 

Hoje assistimos a uma concertação de esforços na repetição de uma mentira. Vasco Pulido Valente (VPV) escreve no Público que o PSD nasceu do nada; José Manuel Fernandes no editorial repete, citando VPV, que o PSD nasceu do nada.

 

As coisas que a gente aprende a ler o Público! Eu que pensava que o PSD tinha nascido dos cacos da UN / ANP; por via da chamada Ala Liberal; mais uns pozinhos de caciquismo rural, essencialmente no interior e norte do país, também ele ligado ao anterior regime, e com a cumplicidade da igreja católica.

 

O PSD e o PCP – os comunistas doutra forma –, no novel regime saído da Revolução de Abril, eram os únicos partidos com uma estrutura montada no terreno e pronta a entrar em acção. Assim se explica a influência, quer duns, quer doutros, nos anos que se seguiram. A implantação / força ao nível autárquico é o exemplo dessa estrutura no terreno. O resto – apogeu e queda / decadência é História.

 

Mas se VPV diz; está dito!