Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A brigada Brejnev

por josé simões, em 25.04.22

 

brejnev.jpg

 

 

"A tentativa de imposição do pensamento único, o levantamento de novas censuras, de quem emite opinião divergente […] são perigosos elementos de ataque ao regime democrático" por quem ainda ontem celebrou o nascimento de Lenine, o que instituiu a polícia política e mandou assassinar camaradas de partido, mesmo os mais chegados, do exílio, e de quem chora todos os anos nas páginas do Avante! o fim da União Soviética do Arquipélago de Gulag.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Nunca mais!

por josé simões, em 25.04.22

 

1. março camilo castelo branco setubal.jpg

 

 

[Provavelmente o graffiti mais antigo da cidade de Setúbal, desde o dia 26 de Abril de 1974 na parede da antiga conserveira 1.º de Março à Rua Camilo Castelo Branco]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 06.04.22

 

arnaldo-matos-durao-barroso.jpg

 

 

Ana Gomes, que entre Abril de 1974 e Janeiro de 1976 estava no MRPP ao lado de Durão Barroso [na imagem] diz no Twitter que "Celebrar o #25Novembro [ocorrido em 1975] é também celebrar o #25Abril. Diz quem, como eu, o viveu activamente. Ao lado do @psocialista de Mário Soares. @padaoesilva [Pedro Adão e Silva] ainda nem gatinharia, mas não devia distorcer a História. Aquele dia não dividiu: de facto uniu todos os que queriam #Democracia."

 

1974 + 1975 + 1976 = "distorcer a história".

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

25 de Abril sempre

por josé simões, em 23.03.22

 

25A.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

"Para que as coisas permaneçam iguais, é preciso que tudo mude" *

por josé simões, em 17.12.21

 

marcelos.jpg

 

 

Comissão dos 50 Anos do 25 de Abril passa da esfera do Governo para Marcelo

 

[*]

 

 

 

 

Nem um minuto

por josé simões, em 26.07.21

 

Otelo Saraiva de Carvalho desembarca de um helicó

 

 

A dita esquerda, envergonhada e subserviente à agenda da direita, quase 50 anos passados ressabiada com o dia 25 de Abril de 1974, não tanto pela perda de privilégios mas mais pela democratização da cousa pública, pelo acesso da "ralé" ao poder de decisão e pela total falta do respeitinho, que era muito bonito, prefere sublinhar o Otelo dos GDUP's, do "poder popular" e das FP's da metralhadora, e deixar cair o homem que pôs fim a quase 50 anos de fascismo, quase tantos quantos os que levamos de democracia, sem sequer 1 - um - 1 minuto de luto nacional declarar pela morte de um dos actores que devolveu a liberdade ao povo português. Num tempo em que os fascistas se assumem com orgulho devíamos todos meditar uns minutos sobre isto, principalmente o PS que se encontra por ora na administração do Estado.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

In Memoriam

por josé simões, em 25.07.21

 

otelo.jpg

 

 

Otelo Saraiva de Carvalho

 

1936 - 2021

 

 

 

 

Todo um programa

por josé simões, em 08.06.21

 

Paco Comet.jpg

 

 

O comentário diz mais sobre o funcionamento do PSD quando poder do que sobre a nomeação ela própria. Todo um programa.

 

25 Abril. Rio diz que escolha de Pedro Adão e Silva foi "compensação" por comentários a favor do PS

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

In Memoriam

por josé simões, em 01.06.21

 

carlos ferreira.jpg

 

 

Carlos Ferreira

 

1948 - 2021

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

No tempo em que o Benfica jogava de "encarnado" porque "vermelhos" eram os comunistas

por josé simões, em 25.04.21

 

paula celeste caeiro.jpg

 

 

Juntem o cravo branco do CDS ao cravo preto do Chega e temos o Portugal que que eles gostariam de comemorar: o Portugal a preto e branco de 24 de Abril.

 

[Na imagem, com link, Paula Celeste Caeiro, a mulher que "inventou" o cravo vermelho na revolução]

 

[Via]

 

 

 

 

Parece que foi ontem

por josé simões, em 25.04.21

 

Salgueiro Maia -Maia Loureiro - Ribeira das naus -

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A descida da Avenida não é no dia 24

por josé simões, em 22.04.21

 

Thomas Michael Alleman.jpg

 

 

A Ilusão Liberal, que tem um ex-líder no Twitter a afirmar que "o país evoluiu apesar e não por causa do 25 de Abril" e que antes tinha escrito num blogue que "é falso que sem o processo revolucionário iniciado com o 25 de Abril esses valores [liberdade e democracia] não tivessem prevalecido de qualquer forma", a famosa teoria da "evolução na continuidade" Marcelista, invocada por todos os saudosos da ditadura, apresenta Fernando Figueiredo como candidato à Câmara Municipal de Viseu que, no Facebook, classifica as mulheres que se fazem ouvir como "feministas, histéricas e mal fodidas"  e Bernardete Santos à Assembleia Municipal da mesma cidade, que, também na mesma rede, lamenta "tanta crítica, tanta crítica, tanta crítica, mas o homem [Salazar] tinha razão", depois de ter aplaudido a sua eleição como "O Melhor Português de Sempre.

 

Os donos da democracia queixam-se de que os "donos da liberdade" não os deixam descer a Avenida. Esqueceram-se de lhes dizer que a descida não é no dia 24.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Para o ano há mais

por josé simões, em 21.04.21

 

1.jpg

 

 

A Ilusão Liberal lançou um isco a Vasco Lourenço e ele mordeu, caiu que nem um patinho, como diz o povo. Logo de seguida veio o habitual chorrilho de alarvidades e baboseiras dos donos da democracia contra os "donos da liberdade", já estavam escritos e preparados, foi só carregar na tecla play.  Siga que para o ano há mais.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

25 de Abril de 2020

por josé simões, em 25.04.20

 

José Sena Goulão - Agência Lusa.jpg

 

 

[José Sena Goulão/ Agência Lusa]

 

 

 

 

"Lições de democracia"

por josé simões, em 25.04.20

 

 

 

"O CDS não aceita lições de democracia", by Telmo Correia, o deputado vitalício do CDS no Parlamento. Desde que nos lembramos que vemos o CDS a querer dar lições de democracia aos outros, nomeadamente aos que lutaram pela democracia enquanto o CDS desfrutava da "situação", contra o "reviralho", no Estado Novo.