Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Um ignorante

por josé simões, em 02.05.16

 

 

 

E que faz gosto em sê-lo. "Presidente do PSD não vê razões para celebrar 1º de Maio".


[Imagem de Luis Carregã]

 

 

 

 

||| A autocítica como um dos pilares fundamentais da Revolução Cultural de Mao

por josé simões, em 01.05.16

 

All are indebted to Chairman Mao and to the Commun

 

 

"Normalmente os membros do Governo gastam imenso tempo a desfazer ‘papões’ que ninguém criou a não ser o próprio Governo. Durante semanas o Governo faz chegar à comunicação social as informações mais dramáticas e depois aplica-se, nas semanas seguintes, a desmenti-las e acha que com isso ganhou imensa coisa"


O outro era a "reeducação pelo trabalho". Não remunerado. Não eram os manhosos do subsídio de desemprego nem os calaceiros do RSI mas o princípio é o mesmo. E o termo usado não era "papão" era "tigre de papel".


[Cartaz chinês de propaganda na imagem: "All are indebted to Chairman Mao and to the Communist Party"]

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 01.05.16

 

someone-erasing-drawing-human-brain.jpg

 

 

Na capital do Cavaquistão, se calhar em homenagem aos idos em que a UGT de Torres Couto erguia um cálice de Porto para celebrar com Cavaco Silva mais cortes em direitos em regalias, Carlos Silva reescreve a história dos últimos 5 anos com um delete ao consulado de João Proença. "Impostas" é o termo. A UGT nunca existiu.


"Enalteceu, a propósito, "a reversão de um conjunto de medidas [pelo actual Governo] que de uma forma muito liberal foram impostas nos últimos anos", como os cortes salariais, a valorização da concertação social e a reposição das 35 horas de trabalho semanal."


[Imagem]

 

 

 

 

||| Dia do Trabalhador

por josé simões, em 01.05.16

 

Diário de Lisboa.jpg

 

 

 

 

 

||| Dia do Trabalhador

por josé simões, em 01.05.15

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

||| Dia do Trabalhador

por josé simões, em 01.05.15

 

 

 

 

 

 

||| Tempos modernos

por josé simões, em 04.05.14

 

 

 

[Manu Fernandez para a AP Photo]

 

 

 

 

 

 

 

||| Por certo uma coincidência

por josé simões, em 02.05.14

 

 

 

O 1.º de Maio é vermelho e o Benfica, que era encarnado até ao dia 25 de Abril de 1974 para não ser vermelho porque Salazar não gostava, jogou no Dia do Trabalhador em Turim, a capital do capitalismo italiano, assim a modos que uma Detroit europeia, jogou equipado à anarco-sindicalista.

 

 

 

 

 

 

||| Da série "Coisas Verdadeiramente Surpreendentes"

por josé simões, em 01.05.14

 

 

 

Pedro Passos Coelho consegue discursar para trabalhadores, ditos social-democratas, no dia do trabalhador, sem ser assobiado e vaiado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| 1.º de Maio

por josé simões, em 01.05.14

 

 

 

 

 

 

|| 1.º de Maio, dizem eles

por josé simões, em 01.05.13

 

 

 

O Dia do Trabalhador comemorado num hotel de 5 estrelas [Sofitel] no coração da capital, no país do milhão de desempregados, dos desempregados sem direito a subsídio de desemprego ou outra qualquer ajuda do Estado, dos salários de €450 mensais e dos salários de €450 mensais muitos meses em atraso, deve ser por causa da nossa imagem no estrangeiro.

 

Dizer, com ar erudito e prenhe de "sentido de Estado" que "as contas não batem certo desde que vivemos em democracia", cada qual que tire as suas conclusões.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| 1.º de Maio

por josé simões, em 01.05.13

 

 

 

 

 

 

|| Chikan, groping, frotteurismo

por josé simões, em 04.05.12

 

 

 

«Fizeram tudo nas minhas costas»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Ainda o 1.º de Maio das mercearias

por josé simões, em 02.05.12

 

 

 

Que a Esquerda ficou furiosa e revoltada pelas pessoas terem podido comprar produtos a baixo preço, que se fosse o Estado a financiar o desconto de 50% a Esquerda já não protestava, foram só alguns dos argumentos lidos no Twitter e nos blogues da causa. Pois. Sem tirar nem pôr, a questão é mesmo essa.

 

O que Alexandre Soares dos Santos fez, além do inestimável serviço que prestou ao Governo na questão dos feriados, foi sublinhar, em tempo de recessão e da austeridade mais austera de que há memória, o modelo de despesa das famílias, desde que a Sonae abriu o primeiro hipermercado já lá vão mais de uma vintena de anos ["isto não é um país, é uma grande superfície"], e deixar bons indicadores para o "riot spirit", latente, e que não estamos assim tão longe de Londres 2011 como possa parecer. Coisa aliás que o Grupo Jerónimo Martins deve saber melhor que ninguém, ou pelo menos devia, dado que até tem um senador 'sociólogo' da Nação assalariado.

 

Depois, se acontecer, a culpa é da Esquerda que atiça, espoleta, e explora o descontentamento das populações, que a Direita, essa, é ordeira e respeitadora da ordem instituída, além de avessa a estas coisas da causa-efeito.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O Pingo Doce é vermelho! O Pingo Doce é do Povo, não é de Moscovo!

por josé simões, em 01.05.12

 

 

 

Está bem que a gente podia perguntar, já que excluído parece estar o parar para pensar, porque é que o Grupo Jerónimo Martins decidiu fazer uma campanha promocional no dia 1.º de Maio e não no dia 30 de Abril ou no dia 2 de Maio ou até no dia 25 de Abril ou no domingo de Páscoa. Podia. Pretérito imperfeito do verbo poder. E se calhar até levava como resposta, e com ar sério, ar de sentido de Estado, que é para comemorar o Dia do Trabalhador.

Nunca o lugar comum "temos aquilo que merecemos" fez tanto sentido como hoje, dia 1 de Maio do Ano da Graça de 2012.

 

[Imagem fanada aqui]