Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Questão existencial

por josé simões, em 23.08.19

 

cds twitter (1).jpg

 

 

Por coincidência, e de certo só por coincidência, no dia em que morria um dos manos financiadores da direita radical à escala global e que fazia gala em dizer "Um dia, o meu pai deu-me uma maçã. Vendi-a logo por cinco dólares e comprei duas maças, que vendi por dez dólares. Depois comprei quatro maças e vendi-as por 20 dólares. Isto continuou dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, até que o meu pai morreu e me deixou 300 milhões de dólares." o CDS, o partido da meritocracia, o CDS da proposta para baixar a escolaridade mínima obrigatória [nem todos podem ser doutores, percebem?], o CDS de que quem não se esforçou, não estudou e não teve nota para entrar na faculdade o possa fazer se para tal pagar um valor previamente definido, o CDS ilustra a sua conta no Twitter com uma questão ao nível de um Alexandre Pingo Doce, de um Ferraz da Costa ou de um van Zeller, empresários por herança, "Faz sentido trabalhar? Acha que vai deixar mais aos seus filhos do que o que recebeu dos seus pais?"