Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"Frescura de pensamento"

por josé simões, em 09.10.18

 

bolsonaro.jpg

 

 

Há pouco mais de um ano, os apóstolos do Tea Party em terras lusas, inspirados no sucesso de personagens como Sarah Palin, Dick Armey, Michele Bachmann, Marco Rubio ou Ted Cruz, que potenciaram o aparecimento de Dondal Trump,   tentaram "tomar o pulso, testar num subúrbio para ver até onde se pode ir a nível nacional", não correu como pretendido e um dia havemos de saber se por cedo demais, se por terem mais olhos que barriga, se por os portugueses não irem em "frescuras de pensamento". Entretanto, e como o descalabro eleitoral foi de dimensão nacional, o testa de ferro primeiro-ministro no exílio deixou de se andar a passear pelos corredores do Parlamento de pin na lapela, foi à sua vida, mas deixou o partido e a bancada parlamentar armadilhada, com o ideólogo Miguel Morgado à frente de uma troupe de escudeiros, escondidos numa mentira, sem coragem de se apresentar a votos, a dizer aos portugueses ao que vêm e ao que se propõem. A coragem que o Trumpinho de algibeira ganhou depois da falta de apoio na convocatória de um congresso antecipado que depusesse Rui Rio. É cedo demais para Montenegro, é cedo demais para Morgado, é cedo demais para Duarte. Vamos ver quem vai lucrar com os tempos políticos, o do Ventura incluído.

 

"O advogado e vereador do PSD em Loures André Ventura vai renunciar ao mandato na câmara no dia 20 deste mês e, logo a seguir, avança para a criação de um novo partido político."

 

Nova força política defende regresso da prisão perpétua, castração química, proibição do casamento gay e redução de deputados para 100.

 

[Na imagem recorte de entrevista a Bolsonaro em 1999. Via]