Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Essa é que é essa

por josé simões, em 22.10.16

 

google helmet.png

 

 

Vai grande rebuliço no tuita e no feice coise e no velhinho ai faive, agora tá gade, a dark web dos fugidos ao controlo parental, entre os discípulos e apaniguados e apóstolos e camaradas do Moreira de Sá de Passos Coelho, dos perfis falsos nas redes sociais e da proliferação de blogues, anónimos ou nem por isso, das chamadas telefónicas para o tudo o que era fórum nas rádios e televisões, das suspeições levantadas e falsos testemunhos e da boataria generalizada e da merda nas ventoinhas, quanta mais melhor, por o Prémio Pulitzer, pela descoberta do Estripador de Lisboa depois da Grande Entrevista ao Capitão Roby, ter desvendado o maior mistério da blogocoisa portuguesa desde os idos em que a blogocoisa era a blogocoisa e toda a gente ir todos os dias ler o Abrupto do Pacheco Pereira e por ter finalmente descoberto a careca ao Miguel Abrantes, que afinal não é o Miguel Abrantes, nem sequer o Sócras himself a escrever sob pseudónimo, mas um tal António Peixoto, pago pelo Sócras, por interposta pessoa um tal de Rui Mão de Ferro, quiçá com dinheiros do contribuinte e sem passar recibo nem descontar para a Segurança Social, e que não é maneta mas que administra, a meias com Carlos Santos Silva, com a tal da mão, tudo o que seja malabarice do Sócras.


O problema, se é que alguma vez existiu um problema, não é o anonimato do Abrantes, que afinal não é Miguel mas Peixoto, António, descobriu a Cabrita, Felícia, nem sequer se o dinheiro veio do contribuinte ou do Carlos Santos Silva, por via das trafulhices feitas pelo Sócras, como já ficou provado nas páginas do Correio da Manha [sem til] e transitou em julgado nas redes sociais depois de condenado pelo tribunal da opinião pública, nem sequer se o Abrantes Peixoto passou recibos, nem tampouco se o Miguel António descontou para a Segurança Social, que se calhar nem sabia da obrigatoriedade de o fazer e que como ele há muitos e que tal nem sequer é impeditivo de aspirar a ser um dia primeiro-ministro de Portugal, não.


O problema é que tudo o que foi escrito e está escrito no Câmara Corporativa, que ao contrário dos blogues do Moreira de Sá de Passos Coelho não correu a apagar posts, cache incluída, são verdades, bem fundamentadas e detalhadas, com cruzamento de dados, coisa que as televisões os jornais e as rádios do pensamento único dominante deixaram de fazer, tudo sem recorrer ao insulto, à calúnia e à difamação, e essa é que é essa.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

Guardar