Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Dar ainda mais mau nome à greve

por josé simões, em 04.06.18

 

Avante Reforma Agrária Cacém 1975.jpg

 

 

Houve um tempo para a "greve em solidariedade com a reforma agrária", para a "greve em solidariedade com os trabalhadores da Setnave", para a "greve em solidariedade com o sector empresarial do Estado", para a "greve em defesa das nacionalizações", para a "greve em solidariedade com os trabalhadores da Função Pública", para a greve em e por...  e depois a greve desapareceu porque as pessoas pura e simplesmente se fartaram de serem joguetes enquanto andavam a perder dias do seu salário em guerras espúrias e inconsequentes. Agora temos greve, as poucas que vão havendo com os poucos que vão resistindo, em "defesa da qualidade dos serviços", em "defesa do serviço público", em "defesa das populações". Não tem nada a ver com a luta, legítima,  por melhores salários, melhores condições de trabalho, defesa de direitos adquiridos, contra a transferência do trabalho para o capital. Quase 50 anos passados sobre a revolução do 25 de Abril continuam, alegremente e a tratar os outros como acéfalos, no processo de destruição da reivindicação e de dar mau nome à greve.

 

[Imagem de autor desconhecido]