Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Da série "Coisas Verdadeiramente Importantes"

por josé simões, em 21.05.14

 

 

 

Há esquadras de polícia a meter água pelo telhado e pelas paredes; há esquadras de polícia forradas a amianto; há esquadras de polícia sem camaratas, onde os polícias de turno dormem no chão em cima de papelões e dentro de sacos cama trazidos de casa; há esquadras de polícia onde o papel higiénico é trazido de casa pelos polícias; há esquadras de polícia onde as patrulhas automóvel não se efectuam por falta de verba para pagar o arranjo e manutenção das viaturas na oficina; há esquadras de polícia onde as patrulhas automóvel não se efectuam por falta de verba para o gasóleo e gasolina; há esquadras de polícia onde só uma das várias viaturas ao dispor é usada, por falta da verba para a oficina e gasóleo; há esquadras de polícia onde por falta de verba para gasolina os polícias se deslocam a pé para entregar contra-ordenações e restante expediente. Tudo disponível online para consulta, até o ministro pedir ao Tribunal Europeu que ordene a retirada dos links.

 

E ainda há os salários miseráveis dos polícias, o fardamento pago do seu bolso, a carga horária, as progressões na carreira, o armamento obsoleto e a falta de treino e preparação, também online para consulta via Google.

 

E depois temos uma "consultora de programas televisivos de entretenimento contratada pela PSP [que] estudou teoria da cor" e que convenceu o ministro Miguel Macedo a gastar 18 milhões de euros do dinheiro dos contribuintes para aclarar o azul escuro das fardas de serviço.

 

Como diria o vice-trampolineiro Paulo Portas, "o socialista é muito bom a gastar o dinheiro dos outros mas quando acaba o dinheiro chamam-nos a nosotros y a vosotros para compor as coisas"

 

[Keystone Cops na imagem]