Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| A brincar às sanções

por josé simões, em 18.08.14

 

 

 

No fundo a nova "reforma" da Política Agrícola Comum é mais do mesmo, quando os agricultores portugueses, em particular, e os europeus, em geral, eram pagos para não produzir e para manter a paz social nas auto-estradas e vias de comunicação entre a Espanha, França, Itália e a Alemanha. Agora os contribuintes europeus vão pagar 125 milhões de euros aos agricultores europeus afectados pelo embargo russo ou, como diz a comunicação social, a UE vai dar 125 milhões de euros aos produtores afectados pelo embargo russo. Quando a Argentina e o Brasil começarem a suprir as necessidades russas no campo da pecuária cá estarão os contribuintes europeus, perdão a União Europeia, para manter a paz social e a livre circulação de pessoas e bens nas auto-estradas e vias de comunicação entre o Pays-Bas, a França e a Alemanha.

 

Preocupamo-nos muuuuuito com a europeização da Ucrânia democracia na Ucrânia e a estalinização de Putin mas fomentamos o caos e a anarquia na Líbia e e no Iraque, negociamos com as cleptocracias africanas e as ditaduras árabes e fechamos os olhos aos atropelos aos direitos humanos na China. Se calhar é porque o dinheiro do contribuinte europeu não chega para tudo.