Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Piss off! (espécie de educador)

por josé simões, em 26.02.10

 

 

 

Da última vez que levaram poesia ao rock este descambou no rock sinfónico (blhagh) e foi o marasmo total. Esteve às portas da morte e lá tiverem de vir os bárbaros para tudo voltar à normalidade.

 

(Imagem de Rian Dundon fanada na Time)

 

 

 

|| Um burro carregado de livros é um doutor; vox populi

por josé simões, em 28.12.09

 

 

 

Como é por todos sabido, antes de haver cristianismo não havia civilização e a Humanidade evoluiu (?) na mais profunda escuridão. Como é por todos sabido, antes de haver televisão e mensagens aos Sans-Culottes pelos governantes no dia de Natal, não havia civilização. «Confusão entre religião e hábitos de civilização» é misturar religião com civilização e «jacobinismo demagógico» é duzentos e tal anos depois da Revolução Francesa quando os jacobinos mudam de campo e nos querem enfiar pelos olhos adentro que religião e civilização são sinónimos. Falam, falam, falam, mas não dizem nada.

 

(Na imagem Quadro de um típico sans-culotte por Louis-Léopold Boilly)

 

 

 

|| Da banalização do sexo

por josé simões, em 04.12.09

 

 

 

Dizia-me o Ti Augusto Vira, paz à sua alma, que “agora isto não tem interesse nenhum… elas andam aí todas descascadas em todo o lado… que interesse pode um homem ter numa mulher quando, antes de casar, já viu tudo? Já não há mistério...”. Antes que me esqueça, o Ti Augusto tinha nascido em 1903.

 

Sempre ouvi dizer que quem não tem mais nada de que falar, ou fala do tempo ou fala do Benfica. E, acrescento eu, de sexo.

 

(Na imagem a capa do nº 3 da Petting Girls)

 

 

 

A “ausência” do PSD

por josé simões, em 16.04.08

 

Escreve Francisco José Viegas hoje no Correio da Manhã:
 
“Não se compreende que tão pouca gente proteste, no PSD, contra o despautério em que andam os seus líderes.
É uma acumulação de dislates sobre dislates, desde o carácter errático das suas propostas até aos ziguezagues sobre a comunicação social.”
 
Ao contrário de FJV penso que é perfeitamente compreensível. À elite do PSD; aos chamados Barões, é de todo o interesse que o partido continue assim; “sobre rodas”. José Sócrates, e correndo o risco de usar um já lugar-comum, “roubou” a agenda ao PSD; está a fazer a governação, e a proceder às reformas que os sucessores de Sá Carneiro nunca conseguiram fazer; ou por falta de arte ou por falta de coragem. Ou em última instância, a preparar caminho para outras, que, pelo que resta do código genético socialista, Sócrates não ousa fazer, e será então o PSD a avançar, quando mais tarde os mais cedo regressar à cadeira do poder.
 
A haver movimentações no PSD tendentes a inverter o rumo que, aparentemente, o partido leva em direcção ao abismo, serão motivadas por um factor estranho que dá pelo nome de Bloco. Os medos das elites PSD não são a derrota eleitoral que se avizinha; são o PS não conseguir nova maioria absoluta e ficar refém de Louçã, Fazenda & Cia Lda. Só isso os fará sair da letargia.
 
(Foto de Ana Pereira)