Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Eu hoje acordei assim

por josé simões, em 13.05.15

 

livro.jpg

 

 

 

 

 

||| Ainda que mal pergunte

por josé simões, em 11.05.15

 

Coquetería.jpg

 

 

No Estado laico o patrulhamento das estradas [GNR, Brigada de Trânsito, PSP] a propósito de peregrinações religiosas, patrulhas extraordinárias com recurso à chamada de agentes/ polícias/ soldados em dias de folga ou em horas extra, são pagas pela confissão religiosa celebradora do evento e não pelo bolso do contribuinte, certo?


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

|| Ao Menino e ao Borracho põe Deus a mão por baixo

por josé simões, em 07.07.10

 

 

 

E também parece que a Virgem Maria apareceu uma vez em Fátima

 

(Imagem “Riding with the Lord”, Mark Ryden, 2010)

 

 

 

 

|| Qual foi a parte que eu não percebi?!

por josé simões, em 13.08.09

 

O que é que havia em Fátima antes do alegado milagre ter acontecido? Zero, nada, nicles batatóides; mato e olival. O santuário foi construído, e a cidade à roda dele. Em Setúbal é a estátua de Bocage ou o arco da Rua Arronches Junqueiro, em Lisboa a Torre de Belém ou o arco da Rua Augusta, em Coimbra a Torre da Universidade, no Porto a Torre dos Clérigos e em Almada o Cristo-Rei. O que é queriam no cartaz; a rotunda da avenida principal?

 

Diz o povo que “quem não tem nada para fazer faz colheres”. Não há missas para rezar nem fiéis para confessar lá pelas imediações?

 

(O ideal talvez fosse, a boa maneira feudal, entregar a presidência da autarquia à Reitoria do Santuário...)

 

 

 

O Insulto

por josé simões, em 14.10.08

 

Vem um qualquer Audrys Backis lá detrás do Sol nascente rezar uma missa a Fátima. De um país "onde se defendem ideias e ideologias contrárias ao direito natural" e acabadinho de sair de um regime de 50 anos que foi «uma ferida na [história natural do homem]", responsável pelo "obscurecimento da consciência e da poluição da mente"»; o Arcebispo dixit.

 

E veio dar graças a Deus. E à Virgem que contribuiu para o fim do comunismo.

 

Escusava era de insultar a inteligência de um povo que viveu 50 anos sob o jugo do fascismo católico com a cumplicidade da igreja católica. E pegando nas suas palavras «que semeou tanto mal, ódio e guerras no século passado; que aceitava Deus e pisava a dignidade do homem, os seus direitos fundamentais».

 

Mas isso agora também não interessa nada. Todos sabemos que para a Igreja há uma diferença fundamental entre o povo levar no lombo com porradas dadas pelos fascistas, ou levar no lombo com porradas dadas pelos comunistas. E o povo também não vê a diferença; porrada por porrada…

 

Ah! e os comunistas vão para o Inferno e os fascistas para o Céu.

 

(Foto Getty Images via Dayli Telgraph)

 

 

 

Quase um século para perceber!

por josé simões, em 13.05.08

 

Faz hoje precisamente 25 anos, estava aqui o escriba literalmente instalado de armas e bagagens “à porta” de Fátima; responsável por uma unidade paramédica da 1.ª Brigada Mista Independente, deslocada propositadamente desde a base militar de Santa Margarida, para prestação de cuidados médicos básicos aos peregrinos que arribavam ao Santuário. Apoio ao peregrino; dizia-se.

 

Instalámos, e instalámo-nos, dois dias antes num hospital de campanha, e, até dia 13 à noite, foram dos três dias mais miseráveis que já passei na minha vida. Pés e pernas em estado lastimável – alguns em carne viva; desidratações; desnutrições – por muito andar e pouco comerem; gripes e alguns princípios de pneumonia – chovia que “Deus a dava”; e os joelhos e os cotovelos! Não estavam em carne viva… estavam até quase ao osso, pelas promessas de fazer todo o recinto até à capela, de rastos ou de joelhos, em cima do alcatrão e da gravilha. Centenas!

Um camarada Alferes que não era virgem nestas andanças, dizia-me que “este ano até que nem está mau de todo!

 

Um hospital de campanha para acudir a uma guerra entre a carne e o pavimento com Deus e a Virgem pelo meio.

 

Ontem o bispo de Leiria-Fátima veio apresentar uma novidade nos 91 anos das aparições; a criação de serviços de apoio psicológico e psiquiátrico aos peregrinos:

 

há cada vez mais pessoas a procurar Fátima (…) manifestando perturbações de ordem psíquica ou espiritual

(Público, sem link)

 

A sério?! No shit?! Ao fim de 91 – noventa e um – 91 anos, quem diria?!

 

(Na foto encontrada no La Repubblica, garrafas de litro e meio com “água santa”; para beber)

 

 

 

Milagres contemporâneos

por josé simões, em 12.05.08

 

Leio no Público que:

 

“Há, até hoje, registos de umas vinte mil aparições da Virgem Maria, mas apenas 15 são reconhecidas pela Igreja Católica - uma das quais é Fátima, onde hoje e amanhã se assinalam os 91 anos do início dos acontecimentos que levaram três crianças a contar ter visto Nossa Senhora.” (Sem link)

 

Ontem vi o Bruno Nogueira num sketch d’Os Contemporâneos, e numa alusão óbia à Dona Lúcia, dizer que, não acredita em videntes que usam óculos com 20 dioptrias em cada lente. “Aqui ao perto vejo Fátima, se afastar os óculos um bocadinho vejo Alicante, ali à direita”.

 

Ainda assim as malhas da Igreja por onde passam os milagres são largas. Bastante largas.

 

(Foto via Reuters)

 

 

 

A sagrada Família; perdão, a família é Sagrada

por josé simões, em 11.05.08

 

Sim. O que é mesmo importante é manter a família casamento. Mesmo que de fachada. Mesmo que a família seja disfuncional; ou nem sequer funcione. Mesmo que seja a causa de todos os sofrimentos; entre os cônjuges, e para os filhos. De certeza que, como dizem os brasileiros, “com muita fé em Deus” tudo se há-de resolver.

 

Eu a falar sozinho: saudosos tempos da dupla Salazar / Cerejeira, em que as mulheres apanhavam e baixavam as orelhas, dentro daqueles lenços negros atados por baixo do queixo, e que lhes cobriam permanentemente as cabeças (burka versão lusitana).

 

(Link)

 

(Foto roubada no La Repubblica)

 

 

República e laicidade (II)

por josé simões, em 13.10.07

 

Toda a manhã. Canal 1. SIC. TVI. Em simultâneo. Sempre os mesmos planos em todos os canais. Fátima em franchising televisivo e em canal aberto. Sem alternativa possível para quem não é assinante da distribuição por cabo; a salvação (era para escrever libertação) pelo gong dos telejornais. À tarde há futebol. Não sei se mais lá para a noite haverá fado ou tourada. Bom povo português!
 
República? Estado laico? Eu vou ali e já venho…
 
(Qualquer semelhança com as televisões da Arábia Saudita nas cerimónias em Meca é pura coincidência…)
 
Adenda: entretanto o secretário de Estado do Vaticano, sublinho, secretário de Estado, apela «à “rebelião” dos cristãos face aos “senhores destes tempos”».

Ficava tudo queimado!

por josé simões, em 12.10.07

Segundo o Diário Digital, “o professor jubilado de Física José Teixeira da Silva refutou hoje a hipótese de o Sol se ter aproximado da Terra em 13 de Outubro de 1917, conforme relataram testemunhas dos fenómenos da última aparição de Fátima aos pastorinhos.
«Se realmente tivesse sido o Sol, ficava tudo queimado» (…)” (negrito meu) é a explicação, de tão simples que apetece perguntar como é que ninguém ainda se tinha lembrado de tamanha evidência. Um herege é o que é, com toda a certeza, este professor jubilado de Física. Nada comparável com as doutas personalidades formadas em Medicina e que trabalham para o Vaticano com o objectivo de descobrir indícios de milagres, onde deveriam haver evidências científicas. Adiante.
 
José Teixeira da Silva é um dos oradores convidados para o debate organizado pela historiadora Fina d’Armada a ter lugar no Porto no próximo sábado, e que tem a particularidade de ser moderado pelo ex-autarca de Matosinhos, Narciso Miranda. Segundo a organizadora o convite para a moderação prende-se com o facto de “precisar de alguém «com experiência para dominar uma assembleia que se adivinha difícil».”
Não sei se este convite terá sido uma boa ideia, tendo em conta as tristemente célebres refregas da Lota de Matosinhos na última campanha eleitoral para o Parlamento Europeu envolvendo Sousa Franco… mas já que o tema são os milagres, e parafraseando um cabo-verdiano que montava guarda a um estaleiro de construção civil que havia na rua dos meus pais quando eu era puto: “cada um sabe de si, Deus sabe de todos, e cada qual é como evidentemente”.

O tabu Igreja Católica

por josé simões, em 11.05.07

A Igreja católica é tabu em Portugal? A resposta é “Sim!”

Só assim se compreende a razão por que a notícia “Nova basílica de Fátima vai ser paga a pronto – Custou 60 milhões de euros – mais 20 milhões que o previsto – e será paga sem recurso a crédito.” (Diário de Notícias 9 de Maio), tenha passado incólume na imprensa e nos blogues; principalmente nestes últimos, habitualmente mais rápidos, certeiros e mordazes, no tempo e no modo de reacção aos factos e acontecimentos, pela sua independência em relação a qualquer poder instituído.

 

A leveza e a candura com que a obra e os montantes envolvidos foram apresentados aos media pelo reitor do santuário de Fátima, Monsenhor Luciano Guerra; a naturalidade como foi apresentada a derrapagem orçamental, “Aceitámos, desde logo, a diferença de 40 para 46, 5 milhões”, disse exortando à compreensão para as questões dos aumentos de preço dos materiais. Monsenhor julgou ser “legítimo” o empreiteiro adicioná-los às facturas. “Todos os anos vemos publicada uma lista de aumentos pelo Governo” (DN 09/ 05), a mim dão-me que pensar…

 

Tantas são as vezes – que até já deixou de ser notícia! – a conferência episcopal, ou os bispos a título individual, ‘morderem nos calcanhares’ do Governo (este ou outros) pelo crescimento das desigualdades sociais em Portugal, pelo crescente fosso a separar os mais ricos dos mais pobres, pela aposta no betão e nas obras de fachada em detrimento da resolução dos problemas básicos das populações e, acima de tudo, pela quase obscena ostentação de riqueza. Não, não é o discurso do Partido Comunista. Tem sido o discurso da Igreja Católica nos últimos 20 anos em Portugal.

 

Sobra, ainda, autoridade moral à Igreja, para voltar de novo à carga e ao assunto? Faz o que eu digo, não faças o que eu faço?

 

Provérbio do dia: “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar nas portas do Céu.”

 

Post-Scriptum: Construir o hospital da CUF no Grande Porto, será mais barato que erguer a nova basílica da Cova de Iria. O projecto desta nova unidade de saúde pertença do Grupo Mello, estará concluído em 2009 e, ficará pelos 50 milhões de euros.