Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Um dia como outro qualquer

por josé simões, em 16.09.12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

|| Back to life, back to reality

por josé simões, em 15.09.12

 

 

 

Já mete nojo esta conversa do não haver dinheiro para pagar salários como justificação para roubar o dinheiro dos salários que foram pagos.

 

[Imagem Manif 15 de Setembro, O Que Diz A Rua]

 

 

 

 

 

 

|| Não tenhamos ilusões

por josé simões, em 15.09.12

 

 

 

Os patrões e os accionistas das empresas estão contra o roubo que o Governo se propõe fazer aos salários dos trabalhadores, baptizado como aumento da Taxa Social Única [TSU], não porque não lhes agrade aumentar em 7% a mais-valia, mas pelo mau estar, pela desmotivação, pelo clima de conflitualidade e revolta que vai criar nas empresas, pela motivação para a greve e para a reivindicação que vai estimular, e consequente instabilidade, com prejuízo para a produção e qualidade dos serviços e produtos, o que, no curto prazo, se pode mostrar muito mais prejudicial do que manter tudo como está, ou até aumentar a contribuição TSU às empresas, coisa que este Governo de terroristas sociais nem sequer consegue perceber.

 

 

 

 

 

 

|| Relatório e Contas. Resumo da semana

por josé simões, em 15.09.12

~

 

 

[Via]

 

 

 

 

 

 

|| O "pensamento" político e económico de Pedro Passos Coelho, explicado às criancinhas e outros analfabetos

por josé simões, em 14.09.12

 

 

 

«[…] os concorrentes estrangeiros das empresas nacionais têm custos de trabalho mais baixos [

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| "olha, olha… vai um?.. vão todos!"

por josé simões, em 13.09.12

 

 

 

Como na anedota do condutor que ouve a emissão no rádio do carro interrompida pela informação de trânsito a avisar que vai um condutor em contramão na auto-estrada, "olha, olha… vai um?.. vão todos!". Passou o prazo de validade.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Tantas vezes vai o cântaro à fonte…

por josé simões, em 13.09.12

 

 

 

De tanto escapar pelos intervalos da chuva, uma arte que domina com mestria e como ninguém, basta ver o historial enquanto deputado, ausente nas votações mais melindrosas para a imagem que gosta de cultivar e para os princípios que defende para o partido; enquanto ministro, conseguindo não estar no Governo nas alturas da porca torcer o rabo, e estar no Governo cheio de patriotismo e de "sentido de Estado" e de uma vaidade tamanho deste mundo, e do sorriso cínico com que pontua o raciocínio frente aos microfones, algum dia lhe havia de sair o tiro pela culatra. O jornalista relativo explica como:

 

«[…] ficou verde ao ouvir falar do aumento de sete pontos percentuais nas contribuições de todos os trabalhadores para a Segurança Social e na redução da taxa social única para 18% para as empresas [

 

[Na imagem Hulk by Arian Noveir]

 

 

 

 

 

 

|| Casos de polícia

por josé simões, em 12.09.12

 

 

 

Por certo haverá uma explicação minimamente aceitável para estas notícias continuarem a aparecer nos jornais na secção "Economia":

 

«Chefe de missão do FMI: mudanças na TSU não foram exigência da troika»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 12.09.12

 

 

 

"Se não tivesse de ir ao Algarve iria à manifestação"

 

[Imagem]

 

- o fogo está a crescer e está a cerca de 5 metros, 10 metros de sua casa…

- ‘tá… ‘tá… e vou sair, vou ao médico, eu tenho uma consulta agora às 5 horas, às cinco e meia, e não posso estar aqui…

 

 

 

 

 

 

 

|| Fundamentalismo

por josé simões, em 12.09.12

 

 

 

Quando a urgência da situação exigia um ser racional à frente de uma das pastas mais importante do país, o Ministério das Finanças, temos o primo das irmãs Mariazinha, Alcina e Adelaide [foi Deus, como no fado?], um homem de fé, educado na tradição do temor a Deus e obediência à Santa Madre Igreja. Sangue, suor e lágrimas na vida terrena por uma recompensa de leite e mel numa outra vida desconhecida, eterna, ao pé do Pai. Entre explodir-se com um cinto de bombas numa rua de Cabul ou Bagdade e acreditar no bom coração e na caridade cristã das empresas e das marcas, e na redistribuição da riqueza pelo patrão que se substitui ao Estado, não vejo grande diferença. Allahu Akbar.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| O grande embuste

por josé simões, em 11.09.12

 

 

 

Basta ter visto com atenção nas televisões as entrevistas de rua, logo a seguir à comunicação ao país do "cidadão e pai", para perceber a eficiência do trabalho de formiguinha da máquina de propaganda da maioria PSD/ CDS, de meses e meses de manipulação da opinião pública, através dos escudeiros de serviço instalados na comunicação social, com especial incidência nas televisões em tudo o que é debate e programa, que a leva a aceitar com passividade o saque e o esbulho que lhe é feito pelo governo das empresas e das marcas, com um encolher de ombros e que é preciso fazer sacrifícios para endireitar as contas do país, tortas pelo despesismo e o socialismo e o keynesianismo e as fundações e as gorduras do Estado e o viver acima das nossas possibilidades, quando a verdadeira razão para o termos chegado ao dia de hoje ter sido precisamente um ano de desgoverno do além da troika do quarteto Coelho-Portas-Gaspar-Relvas. Já era tempo de a Esquerda reagir ao embuste, não?

 

[Imagem "in the streets soon"]

 

 

 

 

 

 

|| Para o Ultramar

por josé simões, em 11.09.12

 

 

 

António Nogueira Leite já não vai mais a congressos do PSD. Vamos aguardar para ver o que faz Bettencourt Picanço.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| Ora deixa cá ver para que lado é que está o vento…

por josé simões, em 11.09.12

 

 

|| Agit-prop manhosa

por josé simões, em 10.09.12

 

 

 

Ou como, e quando, o Governo das empresas e das marcas trata o povo como indigente intelectual. Esta pedra não é uma pedra, é um pau.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Marcelices

por josé simões, em 10.09.12

 

 

 

E os do PP, como são muito virgens e inocentes e não percebem nada de nada de política nem de economia, acreditam no truque do impreparado primeiro-ministro:

 

 "Ficou a ideia de que para agradar ao PP diz que não é um aumento de impostos quando é"

 

Assim como os portugueses, não tivessem eles um primeiro-ministro tão desastrado a comunicar saques e esbulhos e até aceitavam, sem pestanejar, uma transferência de 10%, quanto mais, do seu salário para a conta bancária dos accionistas e dos patrões.

 

[Imagem]