Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Um mentiroso compulsivo

por josé simões, em 09.07.14

 

 

 

Ora deixa cá ver quem é que quem governava entre 2007 e 2011...

 

"Na apresentação do relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre a consolidação da reforma estrutural em Portugal, encomendado pelo Governo e entregue ontem, terça-feira, Pedro Passos Coelho elogiou o trabalho dos últimos anos, sublinhando a diminuição da desigualdade dos rendimentos e da taxa de pobreza relativa. Contudo, as conclusões baseiam-se em números centrados no período entre 2007 e 2011, apresentados no relatório."

 

[Pinocchio na imagem]

 

 

 

 

 

 

||| E viva a UGT!

por josé simões, em 18.06.14

 

 

 

Percebem agora o ataque descabelado, assim do nada, do secretário-geral da UGT, Carlos Silva, à CGTP? Havia que criar uma manobra de diversão para desviar as atenções do que realmente importa e o que realmente importa é o papel, activo e cúmplice, da UGT neste «Relatório do Centro de Estudos Sociais [que] quantifica a "transferência de riqueza" dos trabalhadores para as empresas promovida pela última revisão do Código do Trabalho como idêntica à que se pretendia obter com a alteração da TSU» e para que um salário médio tenha sofrido «cortes anuais de 400 euros só com as alterações às leis laborais»; da UGT de João Proença, com saída directa para o Secretariado Nacional do PS onde, sem um pingo de vergonha, não se coíbe de aparecer nas televisões a criticar a política económica e laboral da maioria PSD/ CDS, o Secretariado Nacional do PS de António José Seguro que na outra frente de batalha, a parlamentar, aumenta ainda mais os lucros aos patrões e accionistas por via do voto favorável à "reforma do IRC"; da UGT de Carlos Silva que agora se prepara para dar a machadada final, perdão, para fechar o ciclo, com o "SIM" à "reforma" daquilo que ainda resta na protecção dos trabalhadores contra a rigidez patronal: a contratação colectiva.

 

O reverso é que o canibal Carlos Silva, diligente no seu papel de mordomo das empresas e corporações, ao acusar a CGTP de autofagia e de acenar com o papão do PCP aos gritos de "vem aí o comunismo!" esquece-se do óbvio e o óbvio é que o cidadão comum olha para os papéis desempenhados pela CGTP e pela UGT na revisão do Código do Trabalho e da contratação colectiva, olha para João Proença nas suas novas funções, olha para a perda de rendimentos, regalias e direitos, olha para o PS de António José Seguro a votar favoravelmente a "reforma" do IRC e, malgrado o Estaline oculto por detrás do símbolo da CDU no boletim de voto, faz a opção. Melhor propaganda para o PCP não podia haver. E Viva a UGT!

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

||| If you pay peanuts, you get monkeys

por josé simões, em 19.12.13

 

 

 

"O Governo não tem um modelo de salários baixos e de desemprego para o país", já o disseram o primeiro-ministro, o vice, o ministro da Segurança Social, o ministro da Economia, a ministra das Finanças, já o disseram todos, prontes. Mas pelos vistos nem um Código do Trabalho, a favorecer a rigidez patronal, uma acentuada diminuição das indemnizações a pagar em caso de despedimento, a favorecer a mais-valia do patrão e/ ou dos accionistas, aliado à diminuição do valor do subsídio de desemprego e da sua duração temporal, e mais uma bolsa de desempregados, desesperados e disponíveis, como força de pressão sobre os que ainda têm emprego, são motivos suficientes para invalidar a velha máxima amaricana "if you pay peanuts, you get monkeys".

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Prémio IgNobel da Economia

por josé simões, em 19.09.13

 

 

 

O encantador, inebriante, indescritível, indizível e omnipresente José Gomes O-Meu-Programa-de-Governo Ferreira no telejornal da SIC: "O relatório do FMI não é do FMI mas dos economistas do FMI". Clara de Sousa deixou-o ir às suas [dele] porque o tempo era curto.

 

 

 

 

 

 

 

|| A gente intuitivamente sabe isto

por josé simões, em 12.09.13

 

 

 

E confirma por ver, e sentir na pele cada vez mais osso, no dia-a-dia, e quando começa a cheirar a dinheiro fresco e os Pá Triques Monteiros deste país não se tiram das televisões em declarações e entrevistas e debates, e às portas dos ministérios com os investimentos e os desenvolvimentos e os apoios e a criação de emprego e a sustentabilidade das empresas e todo o léxico que nem de longe possa soar a subsídio:

 

«Portugal tem beneficiado "elites económicas" e arrisca-se a ser um dos países mais desiguais»

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| O Batista da Silva de Passos Coelho e Paulo Portas

por josé simões, em 24.01.13

 

 

 

E houve logo quem se apressasse a comparar o nosso Batista da Silva com o também nosso Mulas-Granados. Nada de mais errado. Batista da Silva inventou um passado, escreveu um currículo, pirateou uma tese de doutoramento e compôs um mundo à medida das suas intenções, em primeiro lugar por vaidade, em segundo lugar para fazer pela vidinha, não é de menosprezar o cachet pago pelas televisões aos paineleiros-comentadeiros por cada aparição, e veio, qual D. Quixote, batalhar contra o discurso instalado na tentativa de dar uma luz de esperança aos seus compatriotas. Mulas-Granados é tudo aquilo que parece ser, limitou-se a também fazer pela vidinha, receber o cachet por colocar a sua assinatura num relatório, martelado e cheio de erros, elaborado pelos doutorados e catedráticos do Governo de Portugal com o objectivo de massacrar e castigar, ainda mais, os cidadãos que os elegeram.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Afixe-se

por josé simões, em 16.01.13

 

 

|| Uma festa bunga bunga

por josé simões, em 15.01.13

 

 

 

À porta fechada com o Estado social, para ouvir a sociedade civil por convite, com a cumplicidade da comunicação social. Siga.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Tendências, Primavera/ Verão 2013

por josé simões, em 13.01.13

 

 

 

Afinal o relatório feito pelo Governo e assinado pelo almighty FMI não é uma Bíblia, "a Bíblia do Governo", é apenas uma base de trabalho, assim a modos que os desfiles de moda "novas tendências", ninguém no seu perfeito juízo, os que têm juízo, vai sair à rua com aquilo vestido, e até porque a essência e o sucesso dos criadores da moda começa no saber sentir o batimento da rua. Mas há sempre a possibilidade da moda pegar a partir de cima, Naomi Klein, em "No Logo, o poder das marcas", explica como as corporações e as marcas, por ex. a Nike e a Tommy Hilfiger pervertem, a partir de cima, a lógica de funcionamento do sistema, identificando numa cidade, num bairro, um grupo tipo e líder de opinião a quem depois é oferecida a nova colecção para que comece a circular nas ruas para ver se a moda "pega". Um Governo catwalk novas tendências, com estratégia de marketing, que pode parecer atabalhoada mas não o é, era o só que nos faltava.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Relatório e Contas. Resumo da Semana

por josé simões, em 12.01.13

 

 

 

[Rua dos Almocreves, Setúbal]

 

 

 

 

 

 

|| Quer-me parecer que não é bem assim…

por josé simões, em 11.01.13

 

 

 

Alínea a) e que tenham sido sufragadas em eleições livres e democráticas

 

"o Governo tem toda a legitimidade para vir a tomar as medidas que forem necessárias para preparar o futuro do país, quaisquer que elas sejam, desde que sejam conformes à Constituição e às leis".

 

E não exactamente o oposto do que foi a votos no programa eleitoral do partido vencedor das eleições.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Farinha do mesmo saco

por josé simões, em 11.01.13

 

 

 

€8 800 a dividir pelos 12 meses do ano, igual a €733 mais uns trocos por mês, por sua vez a dividir por 4 – casal mais 2 filhos, é uma das preocupações do Governo PSD/ CDS legitimada pelo relatório do almighty FMI, elaborado com as dicas do Governo PSD/ CDS. Como dizia Paulo Portas em campanha eleitoral, é "o elevador social".

 

Pensões superiores a €1350 mensais taxadas de 3,5% a 10% são as preocupações, baseadas em "pareceres jurídicos aprofundados", do Presidente de um Governo e de uma maioria. Tudo o resto no Orçamento do Estado para 2013 está bem e aconselha-se.

 

Criminosos e cobardes, sim. Do que é que as pessoas estão à espera para se revoltar?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Apocalipse Agora... em Portugal!

por josé simões, em 10.01.13

 

 

 

[Fanado ao Tomás Vasques]

 

 

 

 

 

|| Isto é para levar a sério?

por josé simões, em 09.01.13

 

 

 

O problema não é o FMI desconhecer por completo a realidade do país, não saber nada de nada, e vir daqui por uns meses, como aconteceu recentemente, reconhecer que afinal errou. Não. O problema é o Governo, escudado na autoridade de um relatório elaborado pelo almighty FMI, vir impor ao país uma agenda ideológica que não foi sufragada nas urnas. Isto é para levar a sério? É.

 

[Imagem]