Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| O Presidente fez prova de vida

por josé simões, em 02.01.13

 

 

 

"Tomarei a decisão tendo em conta os pareceres jurídicos aprofundados que mandei fazer". Que pareceres jurídicos aprofundados? Como diz o povo, sabes tu, sei eu…

 

"O que suscita fundadas dúvidas na repartição dos sacrifícios". Quais as normas que vão ser enviadas para o Tribunal Constitucional? Como diz o povo, sabes tu, sei eu…

 

O Presidente fez prova de vida no primeiro dia de Janeiro depois de jantar. Pode voltar descansado para o Facebook, até ao Dia de Reis para receber os cantores das Janeiras. Paz à sua alma.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Um incompetente

por josé simões, em 18.12.12

 

Since 1993

 

[Have a nice day]

 

 

 

 

 

 

|| Das três uma ou todas as três

por josé simões, em 14.10.12

 

 

 

Só estranha que o Presidente da República comunique com os cidadãos via Facebook quem:

 

- Ainda leva Cavaco Silva a sério?

- Quem não tem vida para além do Facebook?

- Quem ainda não se habituou à ideia de que não temos Presidente da República?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Nós vamos além do Tea Party, vai dizer Pedro Passos Coelho

por josé simões, em 13.10.12

 

 

 

A ideia é haver um escalão único no IRS, não é? É a chamada "democracia fiscal" onde toda a gente paga o mesmo xis por cento mas o xis por cento que toda a gente paga é mais xis por cento para alguma gente do que para outra gente. Todos diferentes todos iguais.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O admirável mundo novo de Nuno Crato

por josé simões, em 25.07.12

 

 

 

E é nesta altura do campeonato que a universidade, pressionada pela falta de fundos, procura fontes alternativas de rendimento e abre as portas do campus às marcas e às corporações que, como contrapartida, levam consigo projectos educativos próprios – a célebre bandeira de a escola ter um projecto educativo próprio e independente do centralismo e condicionalismo do Ministério da Educação, pois… –, e desenganem-se os que pensam que fica por aqui, ainda há os menus das cantinas em exclusividade para determinadas marcas de fast-food, os equipamentos desportivos e o desporto escolar disputados por outras, os computadores e software "generosamente" oferecidos, a educação ambiental patrocinado por uma companhia que afinal não destrói o ambiente e o ecossistema mas cria emprego e, no final das contas feitas, onde é que está a linha que separa a educação da publicidade e da formação dos futuros consumidores na/ da aldeia global. O admirável mundo novo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O prestidigitador

por josé simões, em 08.07.12

 

 

 

Há quem veja na decisão do Tribunal Constitucional uma oportunidade para estender o esbulho dos salários à generalidade dos portugueses e para continuar o ataque ao Serviço Nacional de Saúde e à escola pública com o objectivo de os desmantelar e repartir pela elite da família político-partidária com interesses nas mesmas áreas no sector privado.

 

 "Há quem veja aqui uma oportunidade, mais uma vez, quem veja na decisão do Tribunal Constitucional uma desculpa para não cumprir"

 

 

 

 

 

 

|| Pandora’s Box

por josé simões, em 07.07.12

 

 

 

E não fica por aqui. Em nome da igualdade ainda resta a ADSE, A Caixa Geral de Aposentações, a possibilidade de despedimento indiscriminado, o encerramento sem dar cavaco a ninguém e por dá cá aquela palha e, quiçá, os salários em atraso. De boas intenções está o Inferno cheio.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

|| ¿Por qué no te callas?

por josé simões, em 06.07.12

 

 

 

"Eu tenho alertado"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Assim à primeira vista

por josé simões, em 05.07.12

 

 

 

O acórdão do Tribunal Constitucional tem o condão de vir acelerar a erosão da base de apoio do Governo e da aceitação das medidas de austeridade por parte dos cidadãos, por deixarem de ser exclusivamente direccionadas para um nicho estigmatizado da sociedade – o funcionalismo público, e o de alargar a base de apoio e influência da CGTP, por demissão, agora assumida, da UGT [o pessoal do privado não vai esquecer estas declarações], retirando a Intersindical do "nicho de mercado" a que tinha sido remetida – a central sindical das empresas públicas e da função Pública. Quase que apetece dizer: Grande Tribunal Constitucional!

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| As perguntas que António José Seguro não fez

por josé simões, em 30.06.12

 

Foi para isto que o PS se absteve [violentamente] na votação do Orçamento do Estado?

Foi para isto que a correia de transmissão do PS e do PSD nos sindicatos, a que se dá o pomposo nome de central sindical UGT, assinou a concertação social?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

|| A Voz do Povo

por josé simões, em 11.01.12

 

 

 

Ao balcão do café: "Não vão ser precisas medidas adicionais de austeridade em 2012 porque o fundo de pensões do Eduardo Catroga vai ser transferido para o Estado".

 

 

 

 

 

 

|| Critérios. Amplos. Profundos. Equidade. Repartição. Sacrifícios [*]

por josé simões, em 04.01.12

 

 

|| Volksgemeinschaft por medida

por josé simões, em 05.12.11

 

 

 

Faz tanto sentido falar em "povo madeirense" como em "povo alentejano" ou "povo minhoto" ou "povo algarvio".

 

Esta gente é perigosa [e nem me estou sequer a referir ao dinheiro dos contribuintes]:

 

«Um povo, uma cultura, uma região»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O calado vai longe

por josé simões, em 04.12.11

 

 

 

Era o mui salazarento conselho dado a quem, pela primeira vez e depois de terminada a escola, entrava numa empresa. Que é como quem diz, faz-te de sonso, deixa o protagonismo e as confusões para os outros, para melhor progredires na carreira.

 

O homem invisível, que conseguiu o feito de só dar a cara na alínea do encerramento das embaixadas e consulados, num Orçamento de Estado com a dimensão e a brutalidade como é o de 2012, também teve "bons" conselheiros e "bons" ensinamentos.

 

Não fora o caso de sentir necessidade de vir justificar a sonsice. Um erro na luta entre o ego idel que se alimenta do protagonismo como de pão para a boca e a consciência moral da invisibilidade necessária à sobrevivência.

 

[Imagem Liu Bolin, Hiding in the City No. 2: Suo Jia Cun]

 

 

 

 

 

 

|| Prémio “Maria Vai Com As Outras”

por josé simões, em 02.12.11