Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O gesto é tudo

por josé simões, em 01.05.14

 

 

 

Esta gentinha que pensa e fala em inglês também faz gestos em inglês para português ver.

 

E depois a frase assassina, dita e repetida ontem pela ministra das Finanças e por um dos vice-escudeiros do vice-trampolineiro, à frente do Ministério do Trabalho e da Segurança Social, nomeado para preencher a quota do CDS no desmantelamento e destruição do Estado social: "Mais impostos para aliviar pensões e salários no Estado", como quem diz "Estão a ver? Isto tudo é por causa  dos calaceiros dos funcionários públicos – o cancro, e daqueles que por lá passaram uma bela vida e agora vivem de papo para o ar na reforma – a peste".

 

O privado contra o público, os bons contra os maus. O discurso manhoso do ódio, revertido em votos nas urnas no dia das eleições: os "bons" porque acreditam piamente nos trabalhos por que o Governo passa para pôr os "maus" na linha, os "maus" porque acreditam, piamente também, que o Governo se preocupa genuinamente com eles, com a sua condição e com a condição das suas famílias. Ainda não perdi a fé na inteligência do povo português.

 

O que vale é que é de "estratégia orçamental" que se trata…

 

 

 

 

 

 

||| Reforma do Estado

por josé simões, em 30.04.14

 

 

 

Paulo Portas, vice-trampolineiro, vai dizer que a troika queria aumentar o IVA para 23, 50% ele, Viriato 2014, é que bateu o pé aos ocupantes estrangeiros, não deixou, vai ficar nos 23, 25%.

 

Pires de Lima, o soldado disciplinado, está a puxar lustro às botas para a formatura.

 

O que vale é que é de "estratégia orçamental" que se trata.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O "elevador social" de Paulo Portas na campanha eleitoral

por josé simões, em 24.09.13

 

 

 

«O imposto que mais contribui para o aumento da receita continua a ser o IRS, com uma subida de 30,1% (provocada em larga medida pelos agravamento de taxas realizados este ano).

 

[…]

 

O IRC também abrandou (de um crescimento de 7% para 6,1%), enquanto o IVA, que estava a cair 1,3% até Julho, cai agora 2,1%.»

 

Brutal aumento de impostos e queda contínua, e continuada, do consumo interno, e apesar do aumento da eficácia da máquina de cobrança do fisco. "Chegou o momento do investimento". Pois sim. 

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| "A minha participação no Governo tem como único propósito retribuir ao país o enorme investimento que o país colocou na minha educação"

por josé simões, em 23.10.12

 

 

 

 «Mas as receitas fiscais caíram 4,9% e o excedente da Segurança Social reduziu-se em quase 560 milhões de euros.»

 

[*]

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

 

 

|| O "elevador social" de que Paulo Portas falava na campanha eleitoral

por josé simões, em 19.07.12

 

 

 

A nova classe dos miseráveis, os novos desempregados e os desempregados de longa duração, os primeiros a sofrer na pele as consequências da austeridade e do ir para além da Troika, passam fome e, com um bocado de sorte e de boa vontade, vão à caridadezinha e à sopinha dos pobres. Os que dão graças a Deus e ao Deus Mercado por terem visto o seu salário substancialmente reduzido, e o horário de trabalho substancialmente aumentado, levam a lancheira para o trabalho, a pé se morarem perto, de transporte público enquanto houver dinheiro para o passe, ou enganam o estômago com uma bica e um rissol no café da esquina, até fazer horas de chegar a casa para saborear uma sopa e uma sandes de manteiga. Os que nem sequer abanam e que até lucram alguma coisa com o estado das coisas têm incentivos fiscais. Resumidamente é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Crónica Feminina

por josé simões, em 18.11.11

 

 

 

A seguir vai aparecer com um programa de televisão, a preto-e-branco para poupar energia, para ensinar os portugueses a comer. Só me ocorre um trocadilho brejeiro-manhoso que envolve banana e pêssego. Assunção ‘Supico Pinto’ Cristas.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

|| Andam a brincar com as nossas pensões e com as nossas reformas. E com coisas sérias não se brinca

por josé simões, em 14.09.11

 

 

 

Aumenta-se a margem de lucro das empresas em 8% e, para não descapitalizar a Segurança Social, compensa-se a redução da TSU com um aumento do IVA. O consumo das famílias retrai, as exportações ressentem-se, a economia estagna, crescimento económico nem vê-lo. Como diria o beato Guterres, é fazer as contas.

 

Este cavalheiro é o testa de ferro dos maiores inimigos da nossa economia.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Prevenção Tributária Portuguesa

por josé simões, em 05.09.11

 

 

 

Depois da política da Guerra Preventiva, com os resultados sobejamente conhecidos, apresentam-nos, apesar dos avisos, a política da Tributação Preventiva que consiste em inventar impostos e aumentar os impostos que já existem mais que o necessário, just in case. Depois não nos venham com a estória de que foram colocadas provas forjadas à frente do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho que essa já é velha.

 

 

 

 

 

 

|| Qual foi a parte que eu não percebi?!

por josé simões, em 12.08.11

 

 

 

Por um lado quer-se reduzir a Taxa Social Única para aumentar a margem de lucro a competitividade das empresas, por o outro lado a taxa do IVA no gás e na electricidade sobe dos actuais 6% para 23%...

 

 

 

 

 

|| Qual foi a parte que eu não percebi?!

por josé simões, em 05.04.11

 

 

 

 

 

Aumentar o IVA para não cortar nas pensões e reformas significa que as pensões e reformas mais baixas, que não serão cortadas por via do aumento do IVA, vão ter um cabaz de compras [alimentação, medicação, bens de primeira necessidade] e pagamentos [rendas, água, luz, etc.] específico, com IVA reduzido para não perderem poder de compra?

 

Brincar com as palavras, ou Pedro Passos Coelho em modo Harry Houdini:

 

«(…) explicou que "estando a falar de pensões tão baixas, de pessoas que já vivem de rendimentos tão baixos" preferiria "se tudo mais falhasse e a ter que fazer qualquer coisa", poupar as pensões e as reformas e mexer na estrutura do IVA, realçando que não alteraria o IVA nos bens essenciais.»

 

 

 

 

 

 

 

|| Guerrilha urbana

por josé simões, em 25.03.11

 

 

 

 

 

 

Assembleia da República Portuguesa, 23 Março 2011

Dia da demissão do primeiro-ministro

 

(Via)

 

 

 

 

 

 

 

|| No taxation without representation

por josé simões, em 19.10.10

 

 

 

«Bruxelas propõe a criação de IVA europeu para financiar orçamento da EU»

 

(Imagem)

 

 

 

 

 

|| Já estou noutra

por josé simões, em 29.09.10

 

 

 

 

 

A tentar imaginar quem, depois de e depois de Pedro Passos Coelho, vai ser o Miliband do Partido Socialista.

 

(Na imagem Wordle of Ed Miliband's speech at the Labour party conference)

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 14.05.10

 

 

 

 

"Há famílias que compram Coca-Cola a taxa de 5% e isso não é justo"