Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Quiz

por josé simões, em 28.06.16

 

capa_jornal_i_28_06_2016.jpg

 

 

[Primeira página do jornal i]


- Porque os alunos dos colégios privados são mais inteligentes que os alunos das escolas públicas;


- Porque os professores dos colégios privados são melhores professores e mais exigentes que os professores das escolas públicas;


- Porque os colégios privados martelam as notas finais dos alunos de tal forma que seria mais honesto o acesso ao ensino superior ser decidido por sorteio com uma quota proporcional para o público e o privado;


- Porque quanto mais altas forem as notas, mais aproveitamento os alunos tiverem e menor for a taxa de retenção, mais o colégio sobe no ranking das escolas e mais cativa futuros financiamentos públicos e matrículas de novos alunos.

 

 

 

 

Jornalismo engagé

por josé simões, em 18.06.16

 

assembleia-republica.jpg

 

 

No dia 29 de Maio os colégios paralelos conseguiram meter 40 mil protestantes no quadrado vermelho na imagem, mais coisa menos coisa [atrás, de onde a foto foi tirada, há uma parede de casas], "segundo os números do movimento Defesa da Escola Ponto – que a PSP não desmente", já que uma das funções da polícia é tomar partido, mentir e desmentir, algo que não faz nem nos acidentes de viação, por exemplo.


No dia 18 de Junho a famosa organização e mobilização do PCP, que dá jeito invocar quando dá jeito desclassificar qualquer iniciativa, já que a Fenprof é do PCP e a CGTP é do PCP, como toda a gente aprende desde o dia em que nasceu, só consegue meter "alguns milhares" entre o Marquês e o Rossio em defesa da escola pública, apesar da ajuda dos esquerdalhos radicais do Bloco e dos radicais esquerdalhos que tomaram o PS por dentro – a Geringonça.

 

Jornalismo engagé é isto.

 

 

 

 

Guardar

Todas as cores, escola para todos!

por josé simões, em 16.06.16

 

 

 

 

 

 

Escolas independentes

por josé simões, em 06.06.16

 

obey.jpg

 

 

"Homosexual, adjective: having unnatural sexual feelings towards one of the same sex… Homosexual activity is another of man’s corruptions of God’s plan."


"The Bible records that God destroyed the cities of Sodom and Gomorrah because of homosexual activity. Some people mistakenly believe that an individual is born a homosexual and his attraction to those of the same sex is normal."


"God has given both the husband and the wife certain areas of responsibility in the home. The husband is to be the leader of the home, loving his wife even as Christ loved the church… The wife is to obey, respect and submit to the leadership of her husband, serving as a helper to him… She is available all times day or night."


"God desires for me to submit to my husband, train up my children, see that my house is properly supplied, pray without ceasing, teach other women to love their husbands and children, and be discreet, pure and a keeper of my home."


As "escolas independentes", já no Guião que Paulo Portas escreveu para a Reforma do Estado.

 

 

 

 

Galdeiragem à parte

por josé simões, em 30.05.16

 

 

 

"Cá não há misturas, é tudo boa gente!", na boca dos infantes na manif do Portugal ultramontano, com o alto patrocínio da Igreja Católica e da direita radical. E toda a gente sabe a significado de "boa gente" na boca de muito boa gente. Cada macaco no seu galho. E toda a gente sabe o significado de "misturas" na boca da boa gente que não se mistura. Galdeiragem à parte. "Não somos escolas para meninos ricos nem para betinhos". Manda quem pode, obedece quem deve. O que eles dizem e o que eles omitem e o que eles fazem. E às vezes descuidam-se. Respeitinho é muito bonito. A merecer ralhete dos mestres, os meninos.


[Vídeo]

 

 

 

 

Em nome do meu vírgula

por josé simões, em 29.05.16

 

contratos associação.jpg

 

 

O Portugal ultramontano tutelado pela Igreja Católica


- Negócios privados com o alto patrocínio do Estado via impostos dos contribuintes.


- A caridadezinha para acudir aos deserdados da captura do Estado pelos interesses privados.


[A imagem é uma manipulação que circula no Twitter]

 

 

 

 

Tomem nota do nome

por josé simões, em 23.05.16

 

orelhas de burro.jpg

 

 

Porque a seguir vai trabalhar para um escritório de advogados e depois é ministo.


{Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A 'Geringonça' começa a ganhar a causa

por josé simões, em 23.05.16

 

livro.jpg

 

 

Podemos ver isto de duas maneiras:


- Um bando de palermas, acoitados debaixo de uma bandeira e de uma sigla política, porque têm uma vaga lembrança de umas bocas ouvidas da boca dos mais velhos, resolve comparar Mário Nogueira da Fenprof a Estaline, demonstrando desta forma a sua ignorância e a sua falta de cultura porque, se soubessem um mínimo dos mínimos sobre a história da Europa do século XX e sobre quem foi o 'Pai dos Povos', nem sequer pensavam duas vezes antes de chamar Estaline a alguém, não chamavam, ponto final. Os infantes da direita radical, escudeiros do estudioso de Salazar, têm dois defeitos: são burros e não querem aprender.


- Um bando de palermas, acoitados debaixo de uma bandeira e de uma sigla política, resolve comparar Mário Nogueira da Fenprof a Estaline, demonstrando desta forma que a direita radical começa a perder o debate 'escola pública/ ensino privado', pelo recurso à 'Lei de Godwin' na vertente direita: "À medida em que cresce uma discussão, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Estaline ou o estalinismo aproxima-se de 1 (100%)".


Fica à vossa consideração, sendo que eu opto pelas duas.


[A imagem é minha]

 

 

 

 

Lata não lhes falta

por josé simões, em 20.05.16

 

caneca.jpg

 

 

Os deputados do PSD vão andar em campanha pelo país para explicar às pessoas porque é que se pode cortar salários - o Governo da direita radical não tinha uma política de baixos salários e de desemprego para o país enquanto lamentava não ter conseguido baixar os custos do trabalho, a reforma que ficou por fazer, e nos contratos de associação em situação de duplicação da oferta não se pode cortar.


Os deputados do PSD vão andar em campanha pelo país para explicar às pessoas porque é que se pode cortar pensões e reformas - não há dinheiro para nada e além disso as pessoas não tiveram uma carreira contributiva para receberem as pensões quer recebem, e nos contratos de associação em situação de duplicação da oferta não se pode cortar.


Os deputados do PSD vão andar em campanha pelo país para explicar às pessoas porque é que se pode cortar subsídios e contribuições diversas - no montante a receber e na sua duração temporal, enquanto se aumentam todas as taxas e taxinhas - já é tempo das pessoas interiorizarem que não podem viver acima das suas possibilidades, e nos contratos de associação em situação de duplicação da oferta não se pode cortar.


Os deputados do PSD vão andar em campanha pelo país para explicar às pessoas porque é que o Estado deve ser instrumento ao serviço de interesses privados - e o contribuinte pagar por e para isso ou, em linguagem simples que as pessoas simples percebem, vão explicar às pessoas porque é que a direita radical é tão amiga e protectora dos ricos e vira as costas a quem vive e sobrevive com o rendimento do seu trabalho, e ainda tem de garantir, com o dinheiro dos seus impostos, o rendimento aos protegidos da direita radical.


[Imagem]

 

 

 

 

Herman Enciclopédia

por josé simões, em 20.05.16

 

herman enciclopedia.jpg

 

 

Direita acusa Governo de favorecer a escola pública

 

 

 

 

||| Governo PSD/CDS explica contratos de associação ao PSD/CDS

por josé simões, em 18.05.16

 

 

 

Alexandra Leitão, secretária de Estado da Educação, desmonta a posição da direita radical nos contratos de associação recorrendo a um texto enviado ao Tribunal de Contas pelo Ministério da Educação do Governo da direita radical – PSD/ CDS.


[Via]

 

 

 

 

||| Erro na forma

por josé simões, em 13.05.16

 

pinóquio.jpg

 

 

Costa devia ter sublinhado que há pessoas que, na sua credulidade e boa-fé, continuam a deixar-se enganar por Passos. «Financiamento a colégios: Costa acusa Passos de "enganar as pessoas"»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 11.05.16

 

 

 

Nuno Magalhães, líder da bancada parlamentar do CDS, o partido do Governo que, em coligação com o PSD, durante quatro anos rasgou e fez tábua rasa de todos os contratos estabelecidos entre o Estado e os cidadãos - pensões, reformas, salários, contratos de trabalho, dias de férias, dias feriados, impostos e taxas, preocupado com a idoneidade do Estado a propósito da mentira inventada pela direita que é os contratos de associação para rasgar.


Não ter a puta da vergonha na cara nem é isto que isto é a raça deles, como sói dizer-se, não ter a puta da vergonha na cara é, numa sala repleta de jornalistas nenhum ter confrontado o preocupado, idóneo e cumpridor contratual Nuno Magalhães com o passado recente do seu partido, o CDS, em coligação com o PSD.

 

 

 

 

||| Um espelho, sff

por josé simões, em 11.05.16

 

espelho.jpg

 

 

O que continua a ser "fascinante" em Pedro Passos Coelho é a facilidade, diria mesmo a naturalidade, com que aponta e acusa os outros daquilo que na realidade o move e, aparentemente, sem se dar conta da evidente contradição: o fanatismo ideológico aplicado à governação, que favoreceu as negociatas à sombra do Estado, a partir mesmo de dentro do próprio Governo, e que nos colocou numa posição de subserviência a interesses corporativos e a interesses de outros Estados, alguns onde a democracia e o Estado de direito são "conversa de Miss Mundo", com prejuízo para o interesse público e comum.


"as famílias e os estudantes não têm a culpa que o Governo tome decisões não a pensar nesses estudantes e nessas famílias, mas sim a pensar noutro tipo de interesses corporativos e ideológicos"


[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

||| Conta-me como foi

por josé simões, em 10.05.16

 

hugo barros.jpg

 

 

Ainda sou do tempo dos deputados do PSD na rotunda do Marquês de Pombal a aplaudir efusivamente a manif da Fenprof encabeçada por Mário Nogueira. Era o tempo em que dava jeito ao "sentido de Estado" e à "responsabilidade" do PSD que o Comissário Nogueira pusesse e dispusesse no Ministério da Educação, em defesa dos professores e da escola pública.


[Imagem]