Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Mais tabaco

por josé simões, em 14.12.16

 

 

 

E se a ideia fosse deixar a Caixa Geral de Depósitos de tal maneira de rastos que a solução fosse pôr o contribuinte a pagar os tais dos 5 mil milhões para a privatizar, sabendo-se que Pedro Passos Coelho e o inner circle neoliberal que tomou o PSD por dentro sempre se manifestaram a favor da privatização do banco? Ainda "era um favor que o comprador nos fazia", pagarmos-lhe para ficar com aquele cancro, o argumento usado nas "redes sociais" pelos ideólogos de Passos Coelho para justificar a oferta do BPN ao testa de ferro Mira Amaral.


[Vídeo]

 

 

 

 

||| Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 27.04.16

 

trapezista.jpg

 

 

E o que dizia João Salgueiro, o senhor que era presidente da outra associação que, além do Banco de Portugal e de Carlos Costa, zela pelos interesses dos bancos e dos banqueiros – a Associação Portuguesa de Bancos, corria o ano de 2008 e a Euribor a seis meses atingia o pico de 5,276 por cento enquanto a três meses se fixava nos 5,066 por cento, deixando muitas famílias em incumprimento e com a corda na garganta? Paciência. Temos pena. Tivessem juízo.Tivessem pensado no futuro. É executar as hipotecas. Ide morar para casa dos pais. Ou para uma barraca de tábuas e cartão.


"João Salgueiro entende que os portugueses sentem na carteira o peso do aumento das taxas de juro, mas frisou que a "cultura do desenrasca", muito própria do povo lusitano, que não faz contas à vida, também não ajuda.


«O endividamento começa nas campanhas de publicidade», já que «quando há uma campanha agressiva para passar férias no Brasil», as pessoas convertem dívidas para aproveitar a viagem, ou seja, «a decisão não é dada pelo endividamento mas pela compra», sublinhou.


O presidente da Associação Portuguesa de Bancos frisou que «o problema do estilo de vida é uma questão de mentalidade, estimulada pelas campanhas de publicidade»." [Via]


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Prejuízo só para o contribuinte

por josé simões, em 27.04.16

 

jacq the stripper.jpg

 

 

Prejuízo só para o contribuinte quando paga o resgate dos bancos pelos desmandos da "excelência da gestão privada" depois de anos a facturar milhões e de retribuições pornográficas a banqueiros e accionistas.


"Governador contrário a lei que possa pôr os bancos a pagar parte do capital aos clientes, acenando com prejuízos de 700 milhões de euros por ano para os bancos."


[Imagem]

 

 

 

 

||| "Com papas e bolos se enganam os tolos", vox pop

por josé simões, em 13.04.16

 

louva-a-deus.jpg

 

 

"Elisa Ferreira convidada para o Banco de Portugal"


"Eurodeputada poderá deixar Bruxelas. Carlos Costa diz que “em devido tempo” formalizará uma proposta ao Governo, mas não revela quem terá a seu lado na administração."


[Imagem]

 

 

 

 

||| Descubra as diferenças

por josé simões, em 30.03.16

 

John Miller, Richard Hoeck at Johann Widauer.jpg

 

 

Descubra as diferenças [ou o nosso homem no Banco de Portugal].

 

"Banco de Portugal piora previsões para a economia este ano"


"Índice de Produção Industrial manteve variação homóloga positiva"


"Vendas no Comércio a Retalho aceleraram"


"Os empresários portugueses continuam confiantes na evolução da economia portuguesa"


[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Th-th-th-that's all folks!

por josé simões, em 28.03.16

 

Sem título.png

 

 

O homem certo, no lugar certo, na altura certa, no momento indicado.


"Carlos Costa assume pelouro da supervisão prudencial no Banco de Portugal"

 

 

 

 

||| Novilíngua

por josé simões, em 27.02.16

 

expresso.png

 

 

"Pequeno incidente".


A falta de respeito do Governador de Portugal pelos portugueses, pelos seus sacrifícios e privações, pelo esforço do seu trabalho para pagar o BES, para pagar o Banif, e para pagar principescamente a Sérgio Monteiro para vender o Banco Internacional de Cabo Verde a José Veiga, proibido pelo Ministério público de contactar Sérgio Monteiro.

 

 

 

 

||| A fórmula mágica

por josé simões, em 25.02.16

 

Romaric Tisserand.jpg

 

 

O Novo Banco, que só tem "colaboradores", quer despedir 500 "trabalhadores" com o apoio do Banco de Portugal para o despedimento de 500 "pessoas".


Subimos no rating da "pessoa humana", como agora se usa, na medida de desumanidade exactamente inversa: colaborador > trabalhador > pessoa. Despedida.


[Imagem]

 

 

 

 

||| A direita que temos

por josé simões, em 19.02.16

 

biombo.jpg

 

 

Quando um caso de manifesta [in]competência e de gritante [i]responsabilidade, ainda para mais com reflexos directos na imagem de país, no Orçamento do Estado e no bolso dos portugueses, vai, invariavelmente, desaguar numa questão de "asfixia" e "claustrofobia" e de "jobs for the boys", estamos conversados sobre a qualidade e o nível da direita que temos e quem na realidade foi/ é o boy com job que urge preservar.


[Para bom entendedor uma imagem basta. O biombo foi encontrado aqui]

 

 

 

 

||| Bancos, banqueiros, aprendizes de feiticeiro e pescadinhas de rabo na boca

por josé simões, em 17.02.16

 

pesacdinhas de rabo na boca.jpg

 

 

O Banco de Portugal, que contratou principescamente Sérgio Monteiro para vender o Novo Banco, bloqueou a venda Banco Internacional de Cabo Verde [BICV] a José Veiga, que está proíbido pelo Ministério Público de contactar Sérgio Monteiro, ex secretário de Estado do Governo que mudou a lei de modo a que o Novo Banco negociasse a venda do BICV a um só interessado: José Veiga.


[Imagem]

 

 

 

 

||| "Está preocupado com o estado da banca em Portugal? Não, não, não estou"

por josé simões, em 07.01.16

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

||| Há aqui um padrão

por josé simões, em 22.12.15

 

Pussypoint.jpg

 

 

Pedro Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque escondidos atrás de Carlos Costa do Banco de Portugal no caso BES, Pedro Passos Coelho escondido atrás de Maria Luís Albuquerque escondida atrás de Carlos Costa do Banco de Portugal no caso BANIF, Paulo Portas o profissional da invisibilidade quando há gaivotas em terra. É o padrão mentira e cobardia.


Adenda: tem razão Maria Luís Albuquerque quando diz que "há um problema de supervisão" pelos sucessivos problemas que têm surgido na banca portuguesa. Só que não é desde a nacionalização do BPN em 2008, é desde a privatização do BES em 1991.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Uma quadrilha de mentirosos, uma associação de criminosos

por josé simões, em 21.12.15

 

vintage mugshot.png

 

 

Não só esconderam dos contribuintes a verdadeira dimensão do problema, com a cumplicidade da Comissão Europeia e por mútuo interesse, adiando uma solução para ontem de modo a apresentarem uma saída limpa do programa de assistência, como depois, surfando a onda da tal da saída limpa, mentiram aos eleitores em campanha eleitoral com quantos dentes tinham na boca ao mesmo tempo que, por fanatismo ideológico do "privatizar até a puta que os pariu",  atiravam lama para cima do banco do Estado, para cuja administração e zelo do regular bom-funcionamento tinham sido eleitos pelo voto popular.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Prenda no sapatinho

por josé simões, em 21.12.15

 

Yrjö Edelman.jpg

 

 

Metade de 12 mil milhões de euros da troika para a reestruturação do sistema bancário e financeiro, um dos pontos do memorando de entendimento, mandados de volta para a casa de partida por falta de uso pelo Governo da saída "êxito-limpo" e bancos escondidos debaixo do tapete, para não atrapalhar a limpeza da propaganda em campanha eleitoral, que o eleitor é cego por natureza e o bolso do contribuinte um poço sem fundo, por natureza também. E se já nem nas ditaduras sanguinárias africanas amigas para negócios amigos se pode confiar para salvar bancos – o BANIF, salvou-se António Costa vírgula primeiro-ministro vírgula corajoso vírgula a dar a cara por um problema que herdou e a não se esconder atrás do delegado do ministério das Finanças que o Governo PSD/ CDS tinha como Governador no Banco de Portugal [que teima em não colocar o lugar à disposição do novo Governo democraticamente suportado por uma maioria de deputados eleitos em eleições livres e democráticas], como fez o seu antecessor Pedro Passos Coelho vírgula primeiro-pantomineiro vírgula cobarde vírgula, agora confortavelmente refastelado na cadeira de deputado como se não fosse nada com ele. Ele, o seu ex-vice vírgula pantomineiro e a sua ex-ministra das Finanças vírgula expert em contratos swap, todos na sombra da garantia da estabilidade do sistema, exigida com cara de pau pelo pai do povo de direita - Cavaco, O Avisador, a António Costa.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| Gestão privada e exames da 4.ª classe

por josé simões, em 14.12.15

 

Diploma-4-Classe.jpg

 

 

A direita, PSD e CDS, que em 2011 chamou a troika e fez bicha de pirilau à porta do Ministério das Finanças para as reuniões que levaram à assinatura do memorando de entendimento que preconizava a reestruturação e sustentabilidade do do sector financeiro faz, 4 anos depois, uma "saída limpa" a esconder o BES da troika e dos incautos depositantes e aforradores, com a cumplicidade de Cavaco Silva e do amanuense colocado na governação do Banco de Portugal, que não põem o lugar à disposição do novo Governo saído de uma base de incidência parlamentar e ainda esconde, a meias com o Governo, o BANIF da opinião pública e da oposição, para a aliança PàFiosa ir a eleições sem nódoas na camisa e empurrando o problema para depois de 1 de Janeiro de 2016, quando passar a ser suportado pelos depositantes. E ainda falta o Montepio e o que Cavaco Silva pediu a António Costa, garantias sobre a estabilidade do sistema financeiro, sabendo o que a casa gastava quando fazia.


A excelência da gestão privada e do Governo do aliviar o peso do Estado na economia: BPN, BPP, BCP, BES, BANIF, Montepio Geral, tudo gente com o exame da 4.ª classe feito.


[Imagem]