Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 16.06.18

 

The Globe and Mail (2).jpg

 

 

A primeira página do canadiano The Globe and Mail.

 

 

 

 

Relatório e Contas. Resumo da Semana

por josé simões, em 16.06.18

 

fck.jpg

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

Porque hoje é sábado

por josé simões, em 16.06.18

 

Boy with a watch, Comacchio, Italy, 1955 Piergiorgio Branzi.jpg

 

 

Boy with a watch, Comacchio, Italy, 1955

 

Piergiorgio Branzi

 

 

 

 

"Baixar os custos do trabalho foi a reforma que ficou por fazer"

por josé simões, em 15.06.18

 

passos portas maria luis.jpeg

 

 

Pobreza em Portugal prolonga-se geração após geração

 

[Pedro Passos Coelho em 9 de Abril de 2015]

 

 

 

 

Mundial 2018

por josé simões, em 15.06.18

 

1 (16).jpg

 

 

2 (16).jpg

 

 

3 (15).jpg

 

 

4 (13).jpg

 

 

5 (13).jpg

 

 

6 (11).jpg

 

 

7 (10).jpg

 

 

8 (2).jpg

 

 

9 (1).jpg

 

 

Soccer Fields Around the World

 

 

 

 

Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 15.06.18

 

bloomberg-businessweek.jpg

 

 

         "Gold! Iron! Zinc! Petroleum! Molybdenum! Plus beaches! Think of it from a real estate perspective", Donald Trump.

 

A capa da Bloomberg Businessweek.

 

 

 

 

O lado positivo

por josé simões, em 14.06.18

 

 

 

O lado positivo desta coisa é que sirva de lição para quando, no futuro, as pessoas sejam chamadas a decidir pelo voto, seja para um clube desportivo seja para o Parlamento.

 

 

 

 

Detido perto da fronteira

por josé simões, em 14.06.18

 

DfpSSQQX0AUV544.jpg

 

 

Esta imagem na primeira página do The New York Times de hoje.

 

 

 

 

Acham isto normal?

por josé simões, em 13.06.18

 

1 (15).jpg

 

 

2 (15).jpg

 

 

3 (14).jpg

 

 

Bicha, que "fila" é paneleirice brasileira, na Feira do Livro ao Parque Eduardo VII em Lisboa, para tirar selfie com Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. O título do post é uma pergunta retórica.

 

[Imagens fanadas no Twitter]

 

 

 

 

Entretanto nos States, que é onde tudo sempre começa e onde tudo acaba sempre

por josé simões, em 12.06.18

 

paving for pizza.png

 

 

Naomi Klein em No Logo - O Poder das Marcas [em português] já havia demonstrado como os sucessivos cortes orçamentais pela agenda liberal e neo-liberal das administrações norte-americanas obrigaram as universidades a recorrer a subsídios e financiamentos de empresas privadas para sobreviver e, como a consequência da entrada das marcas globais no campus universitário, a adulteração dos currículos e dos cursos, direccionados e orientados consoante a vontade e exigência do pagador, a empresa ou a marca que os subsidia. Como disse uma vez a dona Manuela Ferreira Leite "quem paga é quem manada". Agora, e fazendo honra ao escrito por Marx em 1852 no Dezoito Brumário de Louis Bonaparte, assistimos à repetição da história em farsa, com os cortes orçamentais, na Europa a austeridade, a obrigarem os municípios  aceitar o contributo das empresas privadas por forma a conseguirem manter as estradas minimamente aceitáveis e circuláveis.

 

Domino’s Pizza ($DPZ) is filling in potholes in towns across the U.S. with a new ‘”Paving for Pizza” initiative. The American pizza chain announced on Monday that it will help “smooth the ride home” for deliveries by making pothole repairs in towns nominated by their customers

 

 

 

 

Ele há com cada coincidência...

por josé simões, em 12.06.18

 

cacilhas-margueira-lisnave-aspecto-da-construc3a7c3a3o-da-doca-13-e-do-portico.jpg

 

 

Pouco mais de meio ano passado sobre o Partido Socialista ter ganho a câmara de Almada à CDU nas autárquicas de Outubro, e depois de anos e anos anos de sucessivos avanços e recuos, mais recuos que avanços, sobre a solução a dar aos terrenos da antiga Lisnave na Margueira - Almada, a Parpública, empresa do Estado, decide colocar à venda o terreno onde se situavam os estaleiros da então mui famosa "Cintura Industrial de Lisboa". Como veio logo dizer, ligeirinha, a presidente da autarquia PS, Inês Medeiros, depois «"do empenho claro do Governo" na resolução da questão da titularidade dos terrenos, está-se agora "na parte de contratar assessorias para o desenvolvimento do projecto", para depois se passar à fase da "venda dos terrenos para se começar a construir e a desenvolver aquela zona"». Ele há com cada coincidência... Autarquia PS + Governo PS + construção civil. Como dizia o Sócras ao Mexia na visita a uma barragem qualquer das rendas da energia pagas pelo contribuinte, "agora é só começar a pôr betão".

 

As notícias da morte da velha aliança PS/ pato bravismo da construção por cima de todo o m2 livre eram manifestamente exageradas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Com as calças do meu pai também sou um homem, vox pop

por josé simões, em 12.06.18

 

 

 

Contratos de associação. Mais dois colégios privados encerram portas devido aos cortes do Estado

 

Com as calças do meu pai também sou um homem, que é como quem diz, com o dinheiro do Estado, para fazer o que o Estado já faz com o dinheiro dos impostos, mais barato, com mais qualidade, sem a trafulhice das notas marteladas para as médias e para os rankings, também sou um empresário, de sucesso, criador de emprego e riqueza e o coise.

 

 

 

 

A next big thing, a salvação da Europa

por josé simões, em 11.06.18

 

migrants-refugees.jpg

 

 

De certeza há uma, ou duas, ou três, ou várias, boas explicações e/ ou justificações para que um barco com 600 migrantes a bordo venha de Itália para Espanha e faça toda a costa sul de França sem aportar e com a next big thing europeia, e da esquerda do "sentido de Estado", a salvação e o futuro da Europa, Emmanuel Macron, de boca caladinha e sem sequer respirar.

Da França e das merdas que andou a fazer do lado de lá do Mediterrâneo, de braço dado com os bifes e com os 'amaricanos', contra o fundamentalismo e o terrorismo e as armas de destruição massiva e pelo efeito dominó de espalhar a democracia ao redor e os milhares de refugiados na costa sul da Europa e os mortos no Mediterrâneo, de mar nosso a mar deles .

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Alguma vez havia de dar merda

por josé simões, em 11.06.18

 

Sammlung Jakob.jpg

 

 

A estupidez do politicamente correcto, para o caso e por ser um quase exclusivo da esquerda, nomeado de "linguagem inclusiva", do "eles e elas", do "bom dia a todas e a todos", do "homens e mulheres", alguma vez havia de dar merda. E deu. Deu para o lado do mais fraco, o lado que é suposto a suposta linguagem supostamente inclusiva proteger e incluir, o lado das trabalhadoras, com a empresa espanhola Aceites y Energía Santamaría a recusar pagar retroactivos das actualizações salariais às mulheres alegando que o acordo colectivo de trabalho fala em trabalhadores" e não em trabalhadoras.

 

[Imagem]

 

ADENDA: Isabel Casanova em "Calem-se, por favor, mas de vez!"

 

 

 

 

3 000 000

por josé simões, em 11.06.18

 

statcounter.png

 

 

Diz-me o Statcounter que são três milhões de visitas em 10 anos, já que nos dois primeiros anos de vida o blogue não teve contador [o gráfico de cima pertence a um projecto já acabado].

 

Obrigado a todos.