Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Amiguismo: amigos no Governo, amigos no Partido, e amigos no Banco

por josé simões, em 07.07.09

 

 

 

Partindo do princípio que todo o cidadão é inocente até prova em contrário, um dos méritos da Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BPN foi o identificar um dos culpados. Por confissão e sem o recurso à tortura, o Governador do Banco de Portugal admitiu, perante os deputados, ter sido um bocado ingénuo por nunca ter pensado que Oliveira e Costa pudesse agir como agiu. Não sei foi por Oliveira e Costa usar fatos de bom corte e gravatas italianas, se por ser militante desse grande partido que dá pelo nome de Bloco Central, se por ser banqueiro, ou se por todas as três, mas o que é certo é que o patrão do BPN teve tratamento de excepção em relação aos outros cidadãos, com os resultados que todos conhecemos. E isto tem um nome: negligência. Numa empresa privada era motivo mais que suficiente para despedimento com justa causa e sem direito a indemnização.

 

(Imagem via Kobal / Guardian)