Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A memória em 5 estrelas

por josé simões, em 30.09.08

 

Tinha decidido não emitir opinião sobre o assunto, mas, uma vez que a Joana teve a amabilidade de me contactar com um link que remete para o Caminhos da Memória, aqui fica:

 

- Não me escandaliza absolutamente nada que a Memória da Resistência à Ditadura possa conviver paredes-meias com um hotel de luxo ou com uma pousada. Dito de outra forma, não me choca que se converta o Forte de Peniche numa pousada que venha a albergar no seu interior um museu da Resistência. Principalmente se essa for a única forma de preservar essa memória.

 

- Faço minhas as palavras do Fernando na caixa de comentários:

 “Antes que se crie um novo caso Maria Keil talvez fosse bom perceber qual é o conteúdo da proposta (…) que seja explicado o que é que o projecto pretende fazer exactamente (dimensão, arquitectura, etc.), que partes do edifício seriam usadas para “pousada” e qual a sua relevância quantitativa e histórica, que contrapartidas seriam dadas, etc., etc.”

 

- A posição dos comunistas (que governam a Câmara de Peniche). Por tudo e por mais alguma coisa o PCP invoca e evoca a memória da resistência à ditadura, às vezes como se tivessem sido os únicos em Portugal a travar esse combate. Ora o PCP a isto disse nada, e mais: deu o seu aval ao projecto, via executivo camarário. O simbolismo que o Forte de Peniche tem no imaginário colectivo dos comunistas portugueses, pela mítica fuga de Álvaro Cunhal e Jaime Serra. Desculpem lá, mas se nem o PCP protesta, acho que estamos a fazer uma tempestade num copo de água.

 

 

 

3 comentários

Comentar post