Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A Cidade das Mulheres

por josé simões, em 31.03.08

 

Para o pessoal “cá da terra” isto não é novidade; para os outros, e para os mais distraídos, convém ter uma especial atenção aos pormenores.
 
Um dos pormenores a ter em conta pelo seu mediatismo é, quando o Vitória joga; quando o Vitória se desloca fora do seu reduto, seja numa final da Taça, seja num qualquer jogo para o campeonato, e quando as televisões aparecem com os inevitáveis directos e entrevistas de circunstância aos adeptos, antes e depois do embate. Quem fala “pelo Setúbal”; num jogo tradicionalmente masculino? Mulheres. Ferrenhas q. b., de cara pintada, cachecol e bandeira, equipadas a rigor; espontâneas. Por contraste com os apoiantes dos outros clubes, maioritariamente homens, mais ou menos organizados em claques.
Pois é. A “força” do Vitória sempre foram as mulheres. A “alma” do clube e da cidade reside aí.
 
Atenção pois, ao publicado hoje no jornal cá da terra; o trissemanário O Setubalense. Dois exemplos de mulheres. Adeptas ou não do Vitória, pouco importa. Importa – e muito – o empreendedorismo; o não virar a cara à luta; o nunca desistir. Dizem-me vocês: não exercem a sua actividade em Setúbal-cidade. Pois não. Mas exercem-na em Setúbal, como nós a entendemos aqui:
 
“Sou pescadora, agricultora, mãe, mulher… tudo por prazer”
 
“Não sei quantas somos, mas somos muitas, e fazemo-nos ao mar com os nossos maridos. O Rio é tudo para nós porque nos dá o sustento, e quando chegamos a terra ainda temos os filhos, a casa e a horta para tratar”. O relato, desassombrado, foi de Fátima Ricardo, pescadora da Carrasqueira, uma comunidade que movimenta muitos casais na pesca.
(Link)
 
“O melhor vinho do mundo já está à venda”
 
“Leonor Freitas está orgulhosa por ter arrecadado este prémio, que é o reconhecimento de todo o trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos e que resulta de muito trabalho de equipa.”
(Link)
 
“Um projecto liderado por mulheres”
 
“A história da Casa Ermelinda Freitas mostra que as mulheres foram sempre as grandes impulsionadoras deste projecto e isso está para continuar, pelas mãos da filha de Leonor Freitas.”
(Link)
 
(Foto roubada no El País)