Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Realidades; mais ou menos virtuais

por josé simões, em 06.03.08

 

 
Segundo o DN, António Cunha Vaz aconselhou Luís Filipe Menezesa tentar as novas tecnologias para atrair os eleitores”:
 
"Qualquer partido de oposição devia ter um 'Second Life' para mostrar aos portugueses como faria se fosse Governo."
 
António Cunha Vaz recebe dinheiro por isto! É o que se chama deitar dinheiro à rua. É que o PSD está todo ele transformado num Second Life, não desde o dia das directas que consagraram Menezes como líder; desde o dia em que Cavaco Silva "abdicou". Seria necessário um António Cunha Vaz por cada militante; mas ao contrário; para os retirar da realidade virtual, e trazê-los de volta à realidade pura e dura. Isso sim!
 
(Foto fanada ao Guardian)
 
 
 
 
  
Ainda no DN – e esta a meu ver é a mais importante – o Coelhone foi (é?) o spin doctor de Sócrates!
 
“assumiu ter sido ele o autor do anúncio pré-eleitoral da criação de 150 mil empregos, que José Sócrates utilizou como uma das bandeiras da sua campanha em 2005”
 
Conta Jorge Coelho que foi a Inglaterra assistir a duas campanhas do guru socialista Blair para uma pós-graduação em como enganar os tugas. O que ele aprendeu:
 
"Exagerar no anúncio das políticas para obter melhor cobertura mediática", "Nunca anunciar uma medida que não possa ser anunciada mais duas ou três vezes" e "abandonar uma política que seja mal recebida pela opinião pública"
 
Nada que um observador minimamente atento já não soubesse. Os primeiros dois pontos foram religiosamente seguidos por Sócrates até “ontem”; à queda do ministro da Saúde. Passámos (passaram, salvo seja) ao terceiro ponto. Afinal sempre vão haver eleições para o ano… Depois de dizer o que disse, e, segundo o DN, com um sorriso nos lábios, concluiu:
 
"A imagem dos políticos está muito degradada".
 
Amén. Digo eu.
 
(Foto fanada ao The Times)