Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Uma história de ratos

por josé simões, em 17.11.13

 

 

 

Pedro Passos Coelho que, nos intervalos da cruzada ideológica para "tirar o peso do Estado da economia", tinha uma empresa a meias com a alma gémea Miguel Relvas, que se dedicava, entre outras, a formar técnicos de aeródromos, a expensas dos fundos comunitários, para aeródromos que não existiam nem que fosse previsto alguma vez virem a existir, e que, nos intervalos da cruzada ideológica contra a subsídio dependência e contra as gorduras das fundações e de contra €1 mal gasto, ainda arranjou tempo para fundar uma ONG, a meias com Marques Mendes, Ângelo Correia, Vasco Rato, e mais tralha cavaquista, para obter do Fundo Social Europeu e da Segurança Social financiamentos destinados a projectos de cooperação que «interessassem à empresa Tecnoforma», a dos "aeródromos", Pedro Passos Coelho que, nos intervalos de ser primeiro-ministro e na cruzada ideológica pela tansparência e pela boa governação e pela meritocracia e para dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido por Rui Machete na obtenção de fundos dos amAricanos, nomeia Vasco Rato para presidente da FLAD. Vasco Rato, o do Centro Português para a Cooperação, da "Tecnoforma".

 

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post