Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O Grande Líder (II)

por josé simões, em 01.08.07

Mais uma pérola dos tribunais portugueses.

 

João Carlos Gouveia, líder do PS/ Madeira foi condenado por um tribunal “cubano”; um tribunal do “contenente” – Tribunal da Relação de Lisboa –, a pagar uma indemnização ao “nosso grande líder” (Marques Mendes says) Alberto João Jardim no valor de 35 mil euros pela prática de crime de difamação, depois de ter sido absolvido na primeira instância pelo Tribunal do Funchal, da indemnização inicialmente pedida: 70 mil euros.

Alegou o Tribunal do Funchal julgar improcedente o pedido cível «dada a ausência de factos concretos que logrem integrar o pressuposto de dano de que dependia a obrigação de indemnizar, designadamente perturbação, vergonha, depressão sofridos” por Alberto João (negrito meu). Tal não foi o entendimento do tribunal “cubano”, do “contenente”. «Perturbação, vergonha, depressão» foi do que ficou a padecer Alberto João, devido ao “insulto” do João Carlos Gouveia. Pelo historial; pelo curriculum do justiçado, a decisão judicial dando razão à argumentação do queixoso, provoca em mim um sorriso amarelo. Não me convence o tribunal, mas ajuda a explicar muita coisa.

 

Quando a Madeira for independente – e já ontem era tarde –, para onde é que vai recorrer o “nosso grande líder” das decisões dos tribunais? Para o Tribunal de Rongorongo?